Inaugurada em Nova York biblioteca temporária com tuítes de Trump - Mundo - A Notícia

Versão mobile

Nos EUA16/06/2017 | 15h54Atualizada em 16/06/2017 | 20h23

Inaugurada em Nova York biblioteca temporária com tuítes de Trump

O conceito da exposição é uma referência à tradição de presidentes do país, que compilam documentos de valor histórico sobre seu governo após o fim do mandato

Inaugurada em Nova York biblioteca temporária com tuítes de Trump Drew Angerer/GETTY IMAGES/AFP
Foto: Drew Angerer / GETTY IMAGES/AFP
AFP
AFP

Os tuítes de Donald Trump geram polêmica, insultam e produzem manchetes ao redor do mundo. Agora, estão expostos em uma irônica biblioteca presidencial perto do lar do presidente americano em Nova York.

O programa de televisão The Daily Show do canal a cabo Comedy Central, dirigido por Trevor Noah e cuja audiência disparou desde a eleição de Trump, organizou esta exposição gratuita que acontecerá neste fim de semana para zombar do presidente e fazer o público refletir.

De sexta-feira a domingo, os visitantes poderão conhecer a "Biblioteca Presidencial de Twitter Donald J. Trump", repassar seus tuítes mais famosos e lançar algumas mensagens eles próprios a partir de um vaso sanitário dourado.

Trump "é um ótimo tuiteiro", disse a jornalistas o comediante sul-africano Noah.

— Nunca antes tivemos um presidente tão transparente e ao mesmo tempo tão opaco.

Leia mais:
Trump cancela política de Obama com Cuba e proíbe negociar com militares
Trump insiste na falta de provas sobre conluio com a Rússia
Sobe para 30 o número de mortos no incêndio em Londres

Muitos americanos podem já estar se sentindo saturados com a cobertura dos tuítes de Trump, nos quais ele atacou seu predecessor Barack Obama, rivais políticos, o prefeito de Londres e comentou a vida amorosa de celebridades.

Mas a exposição busca explorar ao máximo o amor de Trump por esta rede social, que lhe permite se expressar em apenas 140 caracteres para se comunicar diretamente com seus seguidores, contornando seus porta-vozes na Casa Branca e os meios tradicionais.

O conceito da exposição é uma referência à tradição de cada presidente americano desde Franklin D. Roosevelt de inaugurar uma biblioteca após o fim do seu mandato para abrigar documentos de valor histórico sobre seu governo.

É também outro veículo para que os comediantes debochem de uma presidência que fez os índices de audiência dos programas que comentam a atualidade com humor dispararem e revigorou carreiras como a de Noah.

Na exposição há uma tela com o feed do Twitter de Trump que emite uma sirene quando o presidente tuíta, e grandes molduras douradas enquadrando algumas das suas mensagens mais famosas, como se fossem obras de um museu.

— Acho que as pessoas vão encontrar uma maneira de rir de forma catártica do estresse que todos nós sentimos — diz Hasan Minhaj, correspondente do Daily Show.

A exposição chega em um momento em que se debate se os tuítes de Trump devem ser incluídos na Lei de Registros Presidenciais.

O representante democrata Mike Quigley apresentou nesta semana o projeto de lei COVFEFE, uma referência ao erro tipográfico mais famoso de Trump até hoje, quando o presidente tuitou misteriosamente, no mês passado, em sua conta pessoal: "Apesar da covfefe de imprensa constantemente negativa".

— Devemos nos assegurar de que estas declarações sejam documentadas e preservadas para referências futuras. Os tuítes são poderosos, e o presidente deve ser responsabilizado por cada postagem — disse Quigley na segunda-feira.

Leia as últimas notícias

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaDiretor do JEC/Krona quer 'tríplice coroa' nesta temporada https://t.co/tgxqqr4WZR #LeianoANhá 2 horas Retweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaDesaparecimento de taxista é investigado como um possível latrocínio em Jaraguá do Sul https://t.co/wDopUqiEoO #LeianoANhá 4 horas Retweet
A Notícia
Busca