Gâmbia escolhe presidente em eleições disputadas - Mundo - A Notícia

Versão mobile

Banjul01/12/2016 | 07h45

Gâmbia escolhe presidente em eleições disputadas

Os gambianos comparecem às urnas nesta quinta-feira para eleições em que o presidente da Gâmbia, Yahya Jammeh, há 22 anos no poder, enfrenta pela primeira vez o desafio de uma oposição unida.

Quase 890.000 gambianos - de dois milhões de habitantes - devem escolher entre Yahya Jammeh, Adama Barrow, principal candidato opositor, e Mama Kandeh, ex-deputado governista que criou um novo partido.

Os três candidatos têm 51 anos e nasceram em 1965, ano da independência da ex-colônia britânica do oeste da África.

A votação começou às 8H00 (6H00 de Brasília) e deve prosseguir até 17H00 (15H00 de Brasília).

Os primeiros resultados devem ser anunciados até meia-noite.

Desde sua independência, a Gâmbia conheceu apenas dois presidentes, o líder da luta pela autonomia do país, Dawda Jawara, derrubado em 1994 por um golpe de Estado liderado por Yahya Jammeh.

O atual presidente foi eleito pela primeira vez em 1996 e reeleito três vezes consecutivas.

Yahya Jammeh disse que não existe possibilidade de fraude e advertiu que não tolerará nenhuma contestação do resultado nas ruas.

O opositor Adama Barrow afirmou ter "100% de certeza da vitória e com uma ampla vantagem" e advertiu o governo contra uma eventual fraude.

"Se tivesse que dar um conselho a Jammeh seria que aceite a vontade do povo em caso de derrota", disse Barrow.

Os analistas e a oposição acreditam que pela primeira vez o poder de Jammeh está ameaçado ao fim de uma campanha marcada por um pluralismo incomum.

As vozes críticas são cada vez mais ouvidas desde os protestos de abril para exigir reformas políticas. As manifestações também criticaram a morte do opositor Solo Sandeng.

O líder do principal partido de oposição, Usainu Darboe, adversário de Jammeh nas eleições anteriores, e outros 30 acusados foram condenados em julho a três anos de prisão pela participação em uma reunião ilegal.

A repressão despertou um movimento de unidade da oposição ao redor do candidato Adama Barrow, relativamente novo na política, que se comprometeu a respeitar o acordo da oposição que prevê a formação de um governo de transição de três anos para romper com o poder sem limites de Jammeh.

Apesar das críticas de perseguição aos opositores e de violações à liberdade de imprensa, Yahya Jammeh tem muitos partidários.

Muitos gambianos consideram que ele garante a estabilidade em uma região abalada por vários conflitos e conseguiu avanços nas áreas de educação e saúde.

Ao mesmo tempo, muitos moradores fogem da pobreza e da repressão.

mlo-jom-sst/fp

 
 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaConfira como vai funcionar a cerimônia na Arena Condá, em Chapecó, neste sábado https://t.co/ngQAlHVxyv https://t.co/RssxLFEDBwhá 13 minutosRetweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaRepórter é consolado por mãe de goleiro da Chape, dona Alaíde, morto em tragédia https://t.co/axGmaiv7Ehhá 18 horas Retweet

Mais sobre

  •  
A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros