Ucrânia inaugura na terça-feira a cúpula que cobrirá reator de Chernobyl - Mundo - A Notícia

Versão mobile

Chernobil27/11/2016 | 12h35

Ucrânia inaugura na terça-feira a cúpula que cobrirá reator de Chernobyl

A Ucrânia inaugurará nesta terça-feira a cúpula de aço que cobrirá o reator afetado da usina nuclear de Chernobyl, um projeto de dois bilhões de euros financiado pela comunidade internacional que garantirá a segurança do lugar no próximo século.

Esta enorme estrutura em forma de arco é um escudo de aço de 25.000 toneladas, 108 metros de altura e 162 metros de comprimento.

"Poderia cobrir o Stade de France ou a Estátua da Liberdade", disse em um comunicado Novarka, empresa dos grupos franceses Bouygues e Vinci, que desenhou e construiu o arco.

Com uma esperança de vida de ao menos 100 anos, a estrutura permitirá isolar o material radioativo, proteger os trabalhadores do sítio e o sarcófago já existente contra as intempéries.

Além disso, vai dispor de equipamentos para as futuras operações de desmantelamento do reator Nº4.

Em 26 de abril de 1986, este reator explodiu durante um teste de segurança. O combustível nuclear queimou durante dez dias, liberando na atmosfera elementos radioativos que acabaram contaminando, segundo estimativas, até três quartos da Europa, principalmente a Rússia, Ucrânia e Bielorrússia.

O balanço humano da catástrofe continua sendo fonte de debates. O comitê científico da ONU (UNSCEAR) só reconhece oficialmente cerca de 30 mortos entre os operadores e bombeiros que morreram pelas radiações imediatas da explosão, mas segundo algumas estimativas pode ter havido milhares de mortos.

Cerca de 90.000 pessoas trabalharam durante 206 dias na construção de um "sarcófago", uma estrutura metálica de 7.300 toneladas e composta por 400.000 metros cúbicos de concreto, para isolar o reator acidentado.

Inicialmente, se pensava que o sarcófago duraria entre 20 e 30 anos, mas sua vida acabou sendo mais curta. Em 1999 foram realizadas as primeiras obras para reforçar a estrutura, e estas foram repetidas em 2001, 2005 e 2006.

"É uma construção potencialmente perigosa, que supõe uma eventual ameaça para o meio-ambiente e para a população", disse à AFP Sergui Paskevitch, do Instituto de Problemas de Segurança das Usinas Nucleares da Academia de Ciências da Ucrânia.

Paskevitdch detalhou, por exemplo, que fatores ambientais como um terremoto poderiam acelerar o afundamento da estrutura, o que poderia provocar o vazamento de magma altamente radioativo.

Após a instalação da nova cúpula, serão iniciadas as obras para desmontar a antiga construção, segundo Sergui Bojko, chefe da inspeção do Estado para a regulação nuclear (o organismo encarregado da segurança nuclear na Ucrânia).

* AFP

 
 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaAcidente entre três veículos bloqueia trânsito na BR-280, em Araquari https://t.co/Zn9qoTxd98 https://t.co/5tLiPddq4Yhá 2 horas Retweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaDelegado deve concluir inquérito sobre chacina em Joinville em até 30 dias https://t.co/sZOLZeqvB0 https://t.co/dr9cGk1c9Chá 4 horas Retweet
  •  
A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros