Alemanha investigará influência de redes nazistas na chancelaria - Mundo - A Notícia

Versão mobile

Berlim26/11/2016 | 14h52

Alemanha investigará influência de redes nazistas na chancelaria

O governo alemão vai dedicar quatro milhões de euros para tentar investigar a influência das redes neonazistas nas "autoridades centrais" depois de 1945, em particular dentro da chancelaria, anunciou o ministério da Cultura.

O objetivo do programa, previsto até 2020, é completar os cerca de vinte estudos sobre o tema realizados em alguns ministérios e instituições.

Um milhão de euros serão destinados a investigar a influência das redes neonazistas na chancelaria.

Trata-se de esclarecer a "continuidade pessoal" na chancelaria antes e depois de 1945 - ou seja, a continuidade no cargo de ex-encarregados do Terceiro Reich - e a política de recrutamento e evolução "das mentalidades e da cultura política", indicou o ministério da Cultura no comunicado.

O estudo aponta em particular a esclarecer o papel de Hans Globke, chefe da chancelaria entre 1953 e 1963, que supervisionava o recrutamento dos funcionários.

Hans Globke foi considerado o conselheiro mais próximo do chanceler conservador Konrad Adenauer, que comandou o governo alemão de 15 de setembro de 1949 a 23 março de 1963.

Hans Globke, jurista e alto funcionário no ministério nazista do Interior, tinha trabalhado na equipe que endureceu as leis raciais de Nuremberg e colaborou na redação do "Código Judaico", aplicado na Eslováquia, país aliado do Terceiro Reich.

A influência dos juristas nazistas muito tempo depois do fim da Segunda Guerra Mundial e o fim do nazismo em postos-chave da jovem democracia da Alemanha ocidental é uma das principais lições dos estudos realizados em cada ministério.

Um informe governamental, publicado no começo de outubro, revelou, por exemplo, que em 1957, 77% dos quadros dirigentes do ministério da Justiça eram antigos membros do Partido Nacional Socialista (NSDAP), uma proporção desconhecida.

O mais célebre deles era o ex-magistrado nazista Eduard Dreher, que em 1968 redigiu uma lei de aparência técnica, que complicou a ação judicial contra os ex-criminosos do Terceiro Reich, pondo fim a quase todas as investigações em curso.

cfe/bds.zm/eg/mvv

 
 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A Notícia'AN' testa o aplicativo Uber no primeiro dia de funcionamento em Joinville https://t.co/il68udAyxO https://t.co/6WUEYID981há 9 horas Retweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaVagner Mancini será o técnico da Chapecoense https://t.co/QEwIhlRC03há 17 horas Retweet
  •  
A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros