Schützenfest celebra herança cultural deixada pelos colonizadores de Jaraguá do Sul - Geral - A Notícia

Versão mobile

 

Cultura08/11/2018 | 10h41Atualizada em 08/11/2018 | 11h01

Schützenfest celebra herança cultural deixada pelos colonizadores de Jaraguá do Sul

Festa dos Atiradores começa nesta quinta-feira (8) e segue até dia 18 de novembro

Schützenfest celebra herança cultural deixada pelos colonizadores de Jaraguá do Sul Salmo Duarte/A Notícia
Realeza da festa, que inicia neste dia 8 em Jaraguá do Sul Foto: Salmo Duarte / A Notícia

Por anos, as cores da Alemanha deram o tom da decoração da Schützenfest, a Festa dos Atiradores de Jaraguá do Sul. Em 2018, ao chegar à 30ª edição, os 11 dias de evento serão coloridos por uma mistura do amarelo e vermelho da região de onde saíram os primeiros imigrantes colonizadores da cidade localizada ao Norte de Santa Catarina e o verde da bandeira jaraguaense. É uma forma de consolidar a festa, que nasceu como homenagem à tradição e às celebrações dos antepassados, como uma comemoração que se consolidou pela união dos jaraguaenses. Ela começa hoje, com a abertura dos portões do Parque Municipal de Eventos às 18h para a cerimônia que marca o início da festa.

Dez motivos para curtir a Schützenfest em Jaraguá do Sul

A abertura oficial será às 20h, no pavilhão A. Após o pronunciamentos das autoridades, haverá os ritos tradicionais da festa, com a sangria do primeiro barril de chope pelo prefeito, o tiro inaugural e o desfile das majestades do tiro. A expectativa deste ano é ultrapassar a marca da última edição, quando cerca de 92 mil pessoas passaram pelo evento.

— É a quarta vez que fazemos a festa em novembro e tem se mostrado uma decisão muito acertada. Antes, dificilmente passávamos dos 80 mil participantes — comenta o presidente do Comissão Central Organizadora (CCO), Alcides João Pavanello.

O sucesso da Schützenfest faz com que ela seja autossuficiente. São necessários cerca de R$ 1,1 milhão para realizá-la e, segundo Pavanello, cerca de 80% deste valor retorna no caixa da festa. Uma parte do montante é dividido entre as 16 sociedades e os 12 grupos folclóricos que colaboram na organização e com as apresentações culturais. O restante fica guardado para a realização da edição seguinte. A prefeitura de Jaraguá do Sul também disponibiliza parte do orçamento.

— A Schützen já teve altos e baixos, mas agora está no auge. Será difícil superar essa edição no ano que vem — analisa Pavanello.

Novidades imperdíveis

O tiro esportivo, que é a estrela da festa, terá mais espaço em 2018. Serão 26 raias para a atividade, que desde o ano passado conta também com a opção de arco e flecha. A cultura germânica também é homenageada na gastronomia, nas cervejas e nas apresentações culturais: grupos folclóricos da região sobem ao palco para 24 apresentações, e 61 shows de 32 atrações musicais irão se revezar em dois palcos para garantir os bailes e a animação do público.

Entre os grupos musicais está a banda Pedra no Rim. Com oito integrantes, eles têm experiência em alegrar plateias com músicas e performances bem humoradas. O grupo já tocou na Schützenfest no ano passado, mas em 2018 tem uma novidade: depois de anos fazendo cover de grupos tradicionais que se apresentam nas festas típicas de Santa Catarina, eles mostrarão músicas autorais inspiradas na cultura do imigrante germânico e na própria Schützen.

— Ter participado em 2017 garantiu nossa ascensão na carreira, então estas músicas são uma forma de retribuir — conta um dos vocalistas, Luiz Peters, 34 anos.

Ele divide os microfones com o irmão mais velho, Kau Peters, de 45 anos, e a experiência de escolher Jaraguá do Sul como casa. Naturais de Pouso Grande, eles chegaram na cidade há 30 anos quando o pai assumiu um emprego na cidade.

— Conhecemos Jaraguá ao mesmo tempo em que a Schützenfest estava para começar e é simbólico que possamos participar da 30ª edição e homenagear a cidade que nos recebem tão bem — avalia Kau.

JARAGUÁ DO SUL,SC,BRASIL,06-11-2018.Quase tudo pronto para a 30ª Schützenfest em Jaraguá do Sul.Reales,Paula Luísa Pereira (rainha),Júlia Cristina Beuettgen(1ª princesa) e Nicolle Chuika (segunda princesa) com a Banda Pedra no Rim.(Foto:Salmo Duarte/A Notícia)
Festa e alegria tomam conta das comemorações em torno da SchützenfestFoto: Salmo Duarte / A Notícia

Desafios repassados entre diferentes gerações

A jaraguaense Soneia Hornburg tinha 14 anos quando, em 1989, ocorreu a primeira Schützenfest. Ela e a família participavam da Sociedade Aliança, no Rio Cerro II, e Soneia vivia a tradição das sociedades do tiro em festas como a do Rei e a do Colono. Até então, a participação da menina era como caixa ou ajudando na cozinha, mas, naquele ano, assumiu um compromisso maior: ser a candidata que representaria a sociedade no concurso para a rainha da festa.

— Eu aceitei com a condição de que todo mundo teria que me ajudar a vender os votos, que era como a rainha era eleita na época — recorda.

Soneia conquistou 63 mil votos - número imbatível, considerando que a cidade não chegava a 80 mil habitantes na época - e passou a primeira Festa dos Atiradores com a coroa. Aquela edição ocorreu pela dedicação de dois amigos, Ademar Duwe, que era deputado estadual quando idealizou o evento com Norberto Barg e o viabilizou quando tornou-se vice- prefeito. Mesmo sem uma estrutura adequada, a primeira Schützen reuniu pelo menos 18 mil pessoas.

Paula Pereira ainda nem era nascida enquanto Soneia passeava pelos galpões da primeira Schützenfest. Ela tem 23 anos e foi coroada como rainha da 30a edição, em uma competição com outras 14 jovens. Paula é integrante da Sociedade Baependi desde criança - seus pais são membros há pelo menos 30 anos - e pratica tiro esportivo no local desde os 18 anos.

— Era meu sonho ser rainha da Schützenfest, mas nunca pensei que o conquistaria — diz.

Estudante de design de moda, Paula teve desafios diferentes dos vividos por Soneia para alcançar o posto. Em vez de vender votos, estudou a história do evento e de sua própria sociedade, para ser sabatinada sobre o tema no concurso. Beleza e simpatia também contaram pontos: ao lado de Júlia Cristina Beuettgen, da Sociedade Ribeirão Grande da Luz, e de Nicolle Chuika, da Sociedade Aliança, ela assumiu compromissos importantes nos últimos 12 meses, desde que a realeza foi eleita.

Serviço
O quê: 30ª Schützenfest
Onde: Parque Municipal de Eventos, na rua Walter Marquardt, 1.111, no bairro Barra do Rio Molha, em Jaraguá do Sul
Quando: de 8 a 18 de novembro
Ingressos: estarão disponíveis nos dias da festa, nas portarias do Parque Municipal de Eventos. O acesso é livre para quem vestir trajes típicos. Conforme previsto em lei, crianças com idade até 12 anos, idosos (a partir de 60 anos) e estudantes pagam meia-entrada, mediante apresentação de documento com foto.

- Dia 8 - entrada livre
- Dia 9 - R$ 15,00
- Dia 10 - R$ 15,00 - entrada livre até as 19 horas
- Dia 11 - R$ 8,00 - entrada livre até as 17 horas
- Dia 12 - entrada livre
- Dia 13 - R$ 8,00
- Dia 14 - R$ 15,00 - entrada livre até as 18 horas
- Dia 15 - R$ 8,00 - entrada livre até as 18 horas
- Dia 16 - R$ 15,00 - entrada livre até as 18 horas
- Dia 17 - R$ 15,00 - entrada livre até as 18 horas
- Dia 18 - R$ 8,00 - entrada livre até as 17 horas

 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaMaquete de Jaraguá do Sul em material reciclado é exposta no Centro de Convivência https://t.co/k06HxZ6NzV #LeianoANhá 37 minutosRetweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaConfira o obituário de 20 de novembro de 2018 https://t.co/OzTXlMPGzf #LeianoANhá 1 horaRetweet
A Notícia
Busca