Projeto de escola de Joinville quer combater desperdício de alimentos - Geral - A Notícia

Vers?o mobile

 
 

Rede municipal28/11/2018 | 11h28Atualizada em 28/11/2018 | 11h28

Projeto de escola de Joinville quer combater desperdício de alimentos

Projeto, vencedor do Prêmio Embraco de Ecologia, deve ser implantado em breve

Projeto de escola de Joinville quer combater desperdício de alimentos Secom/Divulgação
Foto: Secom / Divulgação

Um projeto da rede municipal de Joinville, a ser implantado em breve, quer combater o desperdício de alimentos. No horário da merenda da Escola Municipal Emílio Paulo Roberto Hardt, no bairro Rio Bonito, o refeitório possui recipientes onde os alunos depositam as sobras de comidas. Depois, tudo vai para a coleta de lixo. A realidade está prestes a mudar para os estudantes e a equipe docente. 

A escola irá desenvolver o projeto "Sustentabilidade na Escola: redução ao desperdício da alimentação escolar, compostagem de resíduos orgânicos, implantação de horta escolar e coleta seletiva", vencedor do Prêmio Embraco de Ecologia deste ano. Segundo a professora de ciências, Carla Keite Machado, responsável por escrever o projeto, a proposta surgiu da troca de ideias dentro da própria escola sobre a necessidade de mudanças. 

— Já era um desejo dos outros professores e de toda equipe sobre termos atitudes diferentes sobre coleta seletiva. Os alunos sugeriram uma nova horta, pois isso já faz parte da vivência eles em casa. A partir disso, coletei todas as informações e a mapeei todos os projetos que já existem na rede, com o Prato Limpo, que evita o desperdício da merenda — explica.

O próximo passo é tirar as ideias do papel. A escola vai implantar um acompanhamento do consumo e pesagem das sobras da alimentação, os próprios alunos serão os responsáveis pela contabilização dos restos de comida e pela divulgação dos resultados por semana. 

— Mas queremos mesmo é reduzir essas sobras. Incentivarem as crianças a lerem o cardápio e se alimentarem de maneira saudável para evitar a obesidade. Nossa merenda é excelente — revela a professora.

A aluna do Julia de Araújo, 15 anos, elogia o projeto e ressalta a importância de participar desta ação. 

— Foi uma atitude boa. Eu gosto da comida da escola e até repito, mas tem gente que não valoriza e joga no lixo. Acho isso ruim, pois tem muita gente lá fora passando fome, tendo doenças por causa da falta de comida — conta a adolescente. 

Outra parte do projeto é a construção de uma horta pedagógica acessível, com uma altura para que todos possam participar do plantio e colheita. Com as sobras de alimentos, terá a compostagem dos resíduos orgânicos. Outra atividade é a ampliação da coleta seletiva de lixo reciclável. O projeto vai receber o valor de R$ 10 mil para aplicar as ações. 

As famílias dos alunos e comunidade do entorno da escola também vão estar envolvidas com a realização de palestras sobre vários temas como separação do lixo, importância de bons hábitos alimentares e reaproveitamento de sobras de alimentos, realizadas em parceria com a Univille. O projeto ainda conta com a participação da equipe da unidade básica de saúde com foco na saúde da família e nutricionistas da Secretaria de Educação.

 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaDesembargador manda soltar ex-presidente Michel Temer https://t.co/CEU79a8Wxrhá 1 horaRetweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaSanta Catarina ganha mais de 25 mil novas vagas de emprego em fevereiro, diz Caged https://t.co/LWFO6bwpcmhá 1 horaRetweet
A Notícia
Busca