Trecho onde menino e padrasto morreram é um dos mais críticos da BR-280, segundo PRF - Geral - A Notícia

Versão mobile

 

Estradas13/09/2018 | 12h17Atualizada em 13/09/2018 | 13h33

Trecho onde menino e padrasto morreram é um dos mais críticos da BR-280, segundo PRF

Acidente aconteceu na tarde desta quarta-feira (12) em Guaramirim

Trecho onde menino e padrasto morreram é um dos mais críticos da BR-280, segundo PRF Salmo Duarte/Jornal A Notícia
Foto: Salmo Duarte / Jornal A Notícia
A Notícia
A Notícia

O trecho onde ocorreu o acidente entre um carro e um bitrem, em Guaramirim, que vitimou um menino e padrasto dele, é um dos mais críticos da BR-280, segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF) e que favorecem a incidência de acidentes.  Além desta parte, um trecho de cerca de dez quilômetros em Araquari também é apontado pela polícia como um ponto de atenção, já que atravessam perímetros urbanos de algumas cidades. 

Na colisão registrada nesta quarta-feira (12), Eder Rosa Fernandes, 29 anos, e o enteado dele, Nicolas Gabriel Matos dos Santos, oito anos, morreram na hora. Além dos dois, a mãe da criança, Ilda Trindade de Matos, 32, foi encaminhada ao Hospital São José, em Jaraguá do Sul, em estado grave, onde permanecia internada até esta tarde. 

— São os dois pontos mais críticos, em Araquari e Guaramirim. A incidência maior deve-se às características urbanas dos locais — explica Rafael José Siquela, chefe do núcleo de policiamento e fiscalização da Polícia Rodoviária Federal em Joinville.

Conforme Siquela, os acidentes acontecem de maneira uniforme ao longo dos 77 quilômetros do trecho Norte da BR-280, que vai Porto de São Francisco até a área urbana de Jaraguá do Sul. Até setembro de 2018, a PRF já registrou 383 acidentes, incluindo incidentes leves e graves – sendo 15 vítimas fatais e 365 pessoas feridas. Já durante todo o ano passado, 439 acidentes foram registrados neste trecho – deixando 523 pessoas feridas e 17 mortas. 

Grande parte das ocorrências é de colisões frontais, como a que ocorreu com a família de Eder, seguida das batidas transversais. Fatores como as características da rodovia federal – a falta de duplicação e o grande fluxo de pedestres e motoristas, por exemplo – podem ser agravantes para a incidência de acidentes. 

Além disso, em alguns trechos, a rodovia tem uma característica de via urbana, dando fluxo ao trânsito do município, como nas cidades de Guaramirim, Jaraguá e Araquari: os moradores precisam atravessar, entrar ou sair da BR para transitar pela cidade. O acesso constante nestes pontos, de entrada e saída, também é agravante para a incidência de acidentes. A realidade é diferente do que em uma rodovia de pista dupla, por exemplo, que tem lugares específicos para os motoristas realizarem os acessos. 

acidente, br-280, guaramirim
Foto: Reprodução / Redes Sociais

Ainda de acordo com a polícia, as colisões em uma pista simples podem ocorrer na mesma medida que em uma rodovia de pista dupla, como a BR-101. Entretanto, o problema das estradas de mão dupla é que a chance de a colisão ser fatal é maior. 

Imprudência também eleva registro de acidentes 

Para o chefe do núcleo de policiamento da PRF, ainda que as condições da rodovia influenciem, o fator principal para o registro de acidentes na rodovia do Norte é a imprudência dos motoristas no trânsito. 

— A maioria dos acidentes ocorridos na BR-280 é ocasionada pela imprudência dos condutores. O grande fluxo de veículos e características da rodovia, pista simples, agravam as consequências, mas a causa principal ainda é a conduta imprudente — garante Siquela. 

Para tentar evitar estes acidentes, a PRF realiza atividades de fiscalização e rondas, principalmente nos pontos de maior fluxo e ocorrência de acidentes. Nos 77 quilômetros deste trecho da BR-280, a unidade operacional de Guaramirim é quem faz essas operações. Entretanto, conforme Siquela, essas atividades são prejudicadas devido ao baixo efetivo da polícia.

Vítima de acidente se casaria no próximo sábado

Acidente deixa dois mortos em Guaramirim
Foto: Redes sociais / Reprodução

O casal iria se casar no próximo sábado (15). Em postagens nas redes sociais no dia 4 de setembro, a única sobrevivente da tragédia, Ilda Trindade Matos, 32 anos, iniciava a contagem regressiva para o casamento com a vítima Eder Rosa Fernandes, 29.  

— Deus mudou o teu caminho até juntares com o meu, e guardou a tua vida separando-a para mim. Para onde tu fores, irei: onde tu repousares, repousarei — escreveu a mulher em seu perfil pessoal.  

No início desta semana, a vítima esteve em um estúdio fotográfico buscando um ensaio realizado antes do casamento. Além de Eder, o filho de Ilda, Nicolas Gabriel Matos dos Santos, oito anos, também morreu na colisão. A mãe permanece internada no Hospital São José, em Jaraguá do Sul, em estado grave.   

Leia também: 

Após uma década de espera, obra pela duplicação da BR-280 tem poucos avanços 


 
A Notícia
Busca