Médicos e dentista são presos por falsidade ideológica em São Bento do Sul  - Geral - A Notícia

Versão mobile

 

Segurança09/08/2018 | 21h27Atualizada em 10/08/2018 | 12h11

Médicos e dentista são presos por falsidade ideológica em São Bento do Sul 

Eles cumpriam apenas parte da jornada nas unidades de trabalho da Prefeitura. Foram soltos por decisão judicial durante a madrugada

Médicos e dentista são presos por falsidade ideológica em São Bento do Sul  Kleber Pizzamiglio/NSC TV
Investigação apontou que dois médicos faziam jornada dupla no hospital da cidade Foto: Kleber Pizzamiglio / NSC TV
A Notícia
A Notícia

Dois médicos e um dentista foram presos em flagrante por falsidade ideológica na quinta-feira (9) em São Bento do Sul, no Planalto Norte de Santa Catarina. As prisões de Adriana Pinheiro Lisboa, Giancarlo Zanon e Jaime Pedro Ferreira de Lima foram realizadas pela Polícia Civil de São Bento do Sul e de Rio Negrinho, após receberem denúncias de que os profissionais estariam cumprindo apenas parte da jornada nos locais de trabalho, causando prejuízo no atendimento da população.

Na quinta, os três teriam registrado a entrada em postos de saúde da Prefeitura de São Bento do Sul. Segundo a Polícia, dois deles foram fazer jornada dupla no hospital da cidade, e o outro saiu do posto de saúde meia hora depois de registrar a entrada e foi preso em casa. As informações são da Polícia Civil de São Bento do Sul. 

Segundo o delegado Odair Sobreira, a polícia começou a investigar, monitorando a saída de casa e o deslocamento até o trabalho  dos três suspeitos. De acordo com ele, dois dos investigados deveriam cumprir 30 horas semanais e o outro 34 horas semanais, mas não vinham cumprido a carga horária porque saiam para fazer trabalhos particulares. A investigação apontou que o problema era recorrente.

Na noite de quinta-feira, saiu uma decisão judicial dando liberdade provisória aos três na condição deles não se ausentarem da Comarca por mais de oito dias sem autorização judicial e obrigação de comparecer a todos os atos quanto intimados.

A polícia vai continuar a investigação e tem 30 dias para concluir o inquérito. Será solicitado à Prefeitura documentos retroativos há cinco anos para identificar há quanto tempo a prática vinha acontecendo.

A Prefeitura de São Bento do Sul informou que vem colaborando com a Polícia Civil e demais autoridades para a apuração do descumprimento de carga horária de trabalho dos médicos e dentistas que atuam junto à Secretaria Municipal de Saúde.

Paralelamente à investigação criminal, a Prefeitura de São Bento do Sul instaurou processo administrativo para apurar o descumprimento dos deveres funcionais dos servidores envolvidos no episódio e eventualmente de outros servidores que não cumprem com a respectiva carga horária mensal de trabalho.

O QUE DIZEM OS INVESTIGADOS:

O dentista Jaime Pedro Ferreira de Lima, que também é vereador em São Bento do Sul, negou as irregularidades. Ele disse por telefone que na tarde de quinta-feira deu expediente no posto de saúde, mas admitiu que precisou sair do local uma hora e meia antes do fim da jornada para ir ao hospital fazer biópsia de uma paciente.

A médica Adriana Pinheiro Lisboa informou que se ausentou do posto de saúde porque, diariamente, precisa se deslocar até o hospital para atender pacientes do SUS.

O médico Giancarlo Zanon não atendeu as ligações da reportagem e não retornou os contatos.

Leia mais notícias

 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaSindico suspeito de matar cadeirante é achado morto no Presídio de Joinville https://t.co/CcdbVVWBKl #LeianoANhá 2 horas Retweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaJEC/Krona tenta quebrar série de derrotas na Liga neste domingo https://t.co/fzPBwQ6aK4 #LeianoANhá 9 horas Retweet
A Notícia
Busca