Prefeito veta projeto que previa publicação do andamento de obras em galerias pluviais em Joinville - Geral - A Notícia

Versão mobile

 

Política24/07/2018 | 17h21Atualizada em 24/07/2018 | 17h25

Prefeito veta projeto que previa publicação do andamento de obras em galerias pluviais em Joinville

A proposta, aprovada pela Câmara de Vereadores no mês passado, recebeu veto total da Prefeitura nesta segunda-feira

Prefeito veta projeto que previa publicação do andamento de obras em galerias pluviais em Joinville Salmo Duarte/A Notícia
A prefeitura argumentou em nota que a reprovação do projeto foi que sua execução acarretaria em geração de custos Foto: Salmo Duarte / A Notícia

O prefeito de Joinville, Udo Döhler, vetou o projeto de lei, proposto pela Câmara de Vereadores, que prevê a obrigatoriedade na divulgação do andamento de obras pluviais em Joinville. Com a lei, a Prefeitura deveria disponibilizar de informações detalhadas de obras em galerias de água da chuva.  A proposta, aprovada em plenário no mês passado, recebeu veto total protocolado nesta segunda-feira.

No texto, de autoria do vereador Rodrigo Coelho (PSB), prevê que o governo municipal divulgue relatórios mensais sobre a construção, os reparos e a manutenção de galerias coletoras de águas pluviais, especificando a localização das intervenções, os recursos empregados, a previsão de novas intervenções, o volume de água suportado, por exemplo. 

De acordo com a Câmara de Vereadores, um dos argumentos da Prefeitura para vetar o projeto é de que ele "cria complexidade operacional" e "custos desconhecidos" para administração pública municipal.

A Prefeitura de Joinville se manifestou, por meio de nota, e afirmou que a reprovação do projeto de lei ocorreu por causa da geração de novos custos com pessoal que acarretariam à administração municipal e a complexidade operacional a ser criada para atender a demanda. "A Prefeitura salienta ainda que atende a legislação ao manter abastecido o portal da transparência com dados referentes aos custos e investimentos municipais".

Com a decisão do Executivo, o relator do veto na Comissão de Legislação da Câmara deve ser definido nas primeiras reuniões após o recesso legislativo, em 31 de julho. O veto pode ser rejeitado ou mantido pela Câmara, após análise e votação na comissão, onde receberá um parecer, e depois votado em Plenário.

 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaJEC/Krona terá um desfalque no jogo de ida das semifinais da Copa do Brasil https://t.co/olZZYH34r7 #LeianoANhá 41 minutosRetweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A Notícia12ª Feira do Livro de Jaraguá do Sul encerra com crescimento de 25% em relação a a 2017 https://t.co/ECYFLkiWvN #LeianoANhá 2 horas Retweet
A Notícia
Busca