Jovem empreendedora vai de funcionária a dona de loja em Joinville - Geral - A Notícia

Versão mobile

 

Economia16/07/2018 | 07h31Atualizada em 16/07/2018 | 07h31

Jovem empreendedora vai de funcionária a dona de loja em Joinville

Amanda Mosimann se enquadra no perfil de pessoas entre 18 e 34 anos que despontam no empreendedorismo e tornam a cidade referência em áreas da economia

Jovem empreendedora vai de funcionária a dona de loja em Joinville Salmo Duarte/A Notícia
Amanda Mosimann dá os primeiros passos rumo a formalização do seu negócio Foto: Salmo Duarte / A Notícia

Formada como publicitária Amanda Mosimann, 32 anos,  se enquadra no perfil de pessoas entre 18 e 34 anos que despontam no empreendedorismo em Joinville. Ela dá os primeiros passos rumo a formalização do seu negócio em uma área totalmente nova, a do setor de vestuário. O Chineque Atêlie Infantil começou sem grandes pretensões há pouco mais de um ano e meio quando ela iniciou nas aulas de costura e passou a fazer roupas criativas infantis. 

A ideia surgiu por acaso ao costurar uma camisa de presente para uma amiga, mãe de um menino, e deu certo. Tudo começou depois que a filha de Amanda nasceu e ela acabou sendo demitida da empresa em que trabalhava ao voltar da licença maternidade.

— Nunca tive esse sonho de ter o próprio negócio como a maioria das pessoas tem, mas depois da demissão e de fazer a primeira roupinha, uma camisa com gravata borboleta, postei na internet e muita gente começou a pedir. Então vi nisso um nicho a ser explorado e acertei — justifica.

O perfil da moradora de Joinville espelha a situação do empreendedorismo no Brasil. Os jovens de 25 a 34 anos foram os mais ativos na criação de novos negócios em 2017. São 30,5% dos brasileiros nessa idade que administram um empreendimento em estágio inicial. Além disso, as mulheres correspondem a 52% dos empreendedores com até três anos e meio de criação. 

Receita para tornar empresa sustentável exige planejamento, afirma especialista 

Criar um empreendimento tornou-se realidade para muitos jovens, invertendo a tendência de terminar a faculdade e seguir carreira como funcionário em uma empresa pública ou privada. Eles são a maioria entre os 27,4 milhões de empreendedores iniciais no país. São 15,7 milhões os jovens que estão levantando informações para ter um negócio ou já abriram uma empresa com até três anos e meio de atividade, em 2017, no comparativo com o ano anterior.

Entretanto, se aventurar neste mundo não é garantia de acerto e é necessário planejamento a curto, médio e longo prazos. Em Joinville, a área de serviços é a mais visada para os potenciais empreendedores que buscam auxílio no Sebrae. Estão em alta os setores de higiene e beleza, além do ramo de alimentação.

— Essas são tendências de mercado, mas isso nunca pode ser uma regra. São vários fatores que vão contribuir para o sucesso desse negócio e depende do que o empreendedor vai fazer, onde e de que forma vai fazer esse planejamento que vai ajudar a determinar se a ideia pode vingar ou não. Muitas vezes ele pode começar um excelente negócio no momento errado ou estar na hora certa e não ter informações suficientes. Não existe receita pronta — explica o coordenador regional do Sebrae Jaime Arcino Dias Júnior.

Confira nove passos para montar um negócio 

Jovens são maioria entre os empreendedores de Joinville


 
A Notícia
Busca