Festival de Dança: Menino de Joinville é eleito melhor bailarino infantil pela segunda vez - Geral - A Notícia

Versão mobile

 

Meia Ponta27/07/2018 | 18h09Atualizada em 27/07/2018 | 18h09

Festival de Dança: Menino de Joinville é eleito melhor bailarino infantil pela segunda vez

Marcelo Victoria Filho, o Marcelinho, tem dez e traz conquista inédita para Joinville

Festival de Dança: Menino de Joinville é eleito melhor bailarino infantil pela segunda vez Salmo Duarte/A Notícia
Marcelo Victoria Filho, o Marcelinho Foto: Salmo Duarte / A Notícia

Nenhum outro bailarino joinvilense jamais obteve tamanha conquista ao longo das 36 edições do Festival de Dança de Joinville, quanto o pequeno  Marcelo Victoria Filho, de apensas dez anos. O "Marcelinho" foi anunciado na tarde desta sexta-feira (27) como o melhor bailarino da Mostra Meia Ponta, que premia as melhores coreografias entre crianças de 9 a 12 anos.

Com o título, o menino volta ao palco do Teatro Juarez Machado neste sábado (28) como bicampeão nesta premiação, a qual já havia sido agraciado no ano passado. Desta vez, a Meia Ponta teve 46 grupos e 57 coreografias aprovadas para a disputa.

 Confira todas as notícias sobre o 36º Festival de Dança de Joinville 

Talento joinvilense

Foi no ano passado que a Meia Ponta começou a oferecer premiações especiais de melhor bailarino, melhor bailarina e melhor conjunto. A estreia destas premiações teve o joinvilense entrando para a história do Festival. Marcelinho foi o primeiro a receber o título de melhor bailarino infantil, com apenas nove anos e enquanto vivia sua primeira experiência no palco do evento. Hoje, veio o anúncio da segunda conquista, inédita para a cidade.

Foi Alisson Pereira, professor e coreógrafo, que percebeu o talento nato do menino, quando Marcelinho tinha apenas cinco anos. Ele participava de um evento da escola de dança da prima e se envolveu em uma aula aberta de hip hop com tanta dedicação que surpreendeu o professor.

— O Marcelinho chamou a atenção pela facilidade de pegar os passos, com movimentos muito precisos e limpos para uma criança tão nova e sem nenhuma experiência anterior. Em dez minutos, ele já estava reproduzindo a coreografia como se estivesse em uma apresentação — recorda o mentor.

O treinamento começou despretensioso, com duas aulas de uma hora por semana. Cresceu para três aulas até que, aos oito anos, o menino passou a integrar o grupo de competições da academia de dança. Desde então, por onde passa recebe prêmios de primeiro lugar — tudo com acompanhamento da psicóloga da escola e dos pais, para garantir que não estas experiências não sejam transformadas em frustrações com possíveis derrotas no futuro.

No ano passado, Marcelinho estreou no Meia Ponta com a coreografia Malandragem e ficou com o primeiro lugar no solo masculino de danças urbanas. No mesmo dia, participou da coreografia Mundo dos Vilões - Descendentes, com seus colegas na categoria conjunto em danças urbanas, e ficou com o segundo lugar. Neste ano, ele dançou o solo masculino Pequeno Chaplin, também ficando em primeiro lugar, e disputou com o grupo em Party, conquistando o segundo lugar de conjunto em danças urbanas.

 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaJovem consegue fugir em Balneário Camboriú após suspeita de sequestro em Joinville https://t.co/lSKUOpOdsf #LeianoANhá 2 horas Retweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaJovem é libertada em Balneário Camboriú após suspeita de sequestro em Joinville https://t.co/Dh8D450ixA #LeianoANhá 3 horas Retweet
A Notícia
Busca