Exposição de Mário Avancini, no Museu de Arte de Joinville, vai até 29 de julho - Geral - A Notícia

Versão mobile

 

 

Exposição21/05/2018 | 09h16Atualizada em 21/05/2018 | 10h43

Exposição de Mário Avancini, no Museu de Arte de Joinville, vai até 29 de julho

"Revelação da beleza - a matéria esculpida por Mário Avancini" reúne peças do acervo do museu - muitas delas inéditas

Exposição de Mário Avancini, no Museu de Arte de Joinville, vai até 29 de julho Peninha Machado/Divulgação
Foto: Peninha Machado / Divulgação

A exposição "Revelação da beleza – a matéria esculpida por Mário Avancini", continua aberta para visitação no Museu de Arte de Joinville (MAJ). Ela apresenta 73 peças da série "Aconchego", pertencentes ao acervo do museu – boa parte delas nunca expostas e, portanto, consideradas inéditas. Conta ainda com a produção de um folder com algumas das peças expostas, e a projeção, durante todo período, do filme "Decifrando a Linguagem das Pedras", de Luciano Coelho e produção da neta do escultor, Daniela Avancini, que conta a vida do artista.

O projeto tem a curadoria de Leticia Mognol e Marcio Paloschi e o apoio do Sistema Municipal de Desenvolvimento pela Cultura (Simdec), da Secretaria de Cultura e Turismo de Joinville (Secult).

O escultor Mário Avancini tinha a sensibilidade de enxergar e retirar a beleza da pedra bruta, transformando-a em obras de arte. Reconhecido como um dos mais importantes nomes da escultura catarinense, ele faleceu há 25 anos, em 1992, deixando um legado de cerca de 2.700 peças que hoje se encontram em coleções particulares e em instituições públicas como a Casa da Cultura e MAJ.

Sobre Mário Avancini

Nascido em Rodeio (SC), em 1926, Mário Avancini começou a trabalhar aos 13 anos, com o pai, que era britador de pedra – e descobriu a matéria-prima que iria ser a base para a sua obra. Já naquela época costumava escapar da vigilância paterna para esculpir, o que lhe rendeu muitas surras.

Trabalhou com a pedra por toda a vida. Já adulto e casado, exerceu a profissão de "canteiro" em São Francisco do Sul e depois "calceteiro", na Prefeitura de Joinville. Também atuou na Marmoraria Koentopp, que executava peças para jazigos.

A sua redescoberta como artista ocorreu no final da década de 1960, quando executou uma peça para a Praça do Índio, solicitada pela Prefeitura de Joinville. A partir daí foi transferido para a Escola de Arte Fritz Alt, da Casa da Cultura de Joinville (1968), pela então secretária de Educação Iraci Schmidlin. No início ganhou uma bolsa de estudos e foi aprender esculturas em cerâmica e queima das mesmas em fornos - aí pode se dedicar à escultura, como artista e professor.

Em uma primeira fase, destacaram-se as temáticas exóticas e místicas, com peças como "Pia Batismal" ou  "Mão com Cristo". A partir dos anos de 1990, a família deu o tom de sua obra, com formas concisas, como as que podem ser conhecidas na série "Aconchego", que será apresentada na exposição "Revelação da beleza – a matéria esculpida por Mário Avancini". Avancini faleceu em novembro de 1992, aos 66 anos, e hoje é reconhecido como um dos grandes artistas catarinenses.

Serviço:

Exposição "Revelação da beleza – a matéria esculpida por Mario Avancini"

Onde – Museu de Arte de Joinville (MAJ) – Rua XV de Novembro, 1400 – América – Joinville

Quando - Até 29 de julho de 2018, no horário de funcionamento do museu (de terça a domingo, das 10h às 16h)

Quanto -Gratuito

 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaLei de Diretrizes Orçamentárias propõe orçamento de R$ 3 bilhões para Joinville em 2019 https://t.co/MKnB3p2iCg #LeianoANhá 7 horas Retweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaGaroto de Joinville vence 15ª partida consecutiva e alcança top 10 da categoria no circuito europeu https://t.co/kyPGHSJXSl #LeianoANhá 7 horas Retweet
A Notícia
Busca