Consumidores começam a sentir reflexos da greve nos supermercados de Joinville - Geral - A Notícia

Versão mobile

 

 

Manifestações25/05/2018 | 16h28Atualizada em 25/05/2018 | 16h28

Consumidores começam a sentir reflexos da greve nos supermercados de Joinville

Na maioria dos estabelecimentos da cidade, há falta de várias tipos de verduras, legumes e frutas nas gôndolas

Consumidores começam a sentir reflexos da greve nos supermercados de Joinville Salmo Duarte/A Notícia
Falta de produtos hortifrutigranjeiros é uma das principais preocupações Foto: Salmo Duarte / A Notícia
A Notícia
A Notícia

Consumidores começam a sentir reflexos nas prateleiras dos supermercados em Joinville por causa da greve de caminhoneiros. Na maioria dos estabelecimentos da cidade, há falta de várias tipos de verduras, legumes e frutas nas gôndolas. Além disso, o estoque de perecíveis, carnes in natura e produtos resfriados, como laticínios e derivados de leite, também está comprometido em alguns mercados, porque não foram reabastecidos na quinta-feira.

— Eu vim comprar salada para o almoço, mas cheguei aqui no mercado e não tinha mais nada — conta a fisioterapeuta Mônica Rezende.

Desde que a paralisação dos caminhoneiros iniciou-se, na segunda-feira, o abastecimento destes alimentos ficou comprometido para as distribuidoras. Algumas cargas ainda não foram recebidas e outas chegaram com bastante atraso. Na Central de Abastecimento (Ceasa) de Joinville, dos 98 itens distribuídos no local, 80 estavam em falta nesta sexta-feira. Segundo a Prefeitura, a unidade estará fechada neste sábado.

A retomada do serviço na Ceasa será feita com o fim da paralisação do setor de transporte. Os alimentos comercializados ali são de produtores do Norte, Planalto Norte e Alto Vale do Itajaí, que precisam passar pelas rodovias federais e estaduais para acessar a central. 

 JOINVILLE,SC,BRASIL,25-05-2018.Greve dos caminhoneiros começa a deixar prateleiras de mercados vazias.(Foto:Laís Cristine)
Prateleiros de supermercados já estão sem legumes, verduras e frutasFoto: Laís Cristine / A Notícia

A falta de produtos hortifrutigranjeiros é a principal preocupação de Cláudio Esidio, sócio-administrador de um supermercado na rua Campos Salles, no bairro Glória. Segundo ele, a última leva de saladas verdes foi recebida na terça-feira (22), e de legumes e frutas, nesta quinta. O comércio também só conta com laticínios e carnes que estão no estoque, já que não há previsão para o recebimento destes produtos.

— Nós vamos continuar fornecendo aos consumidores o que nós ainda temos em estoque, sem restrição, até que acabem. Ainda não conseguimos mensurar se tivemos prejuízo, mas, mesmo que acabe a greve, vai demorar até estabilizar os nossos estoques — conta o administrador.

As grandes redes de supermercado da cidade também estão com dificuldades para receber cargas de legumes, verduras e frutas. Os produtos perecíveis, que são recebidos diariamente, estão com itens faltando em alguns estabelecimentos. De acordo com o vice-presidente da região Norte da Associação Catarinense de Supermercados (Acats), Marco Aurélio Mattiola, os supermercados estão abastecidos, mas estão faltando alguns itens que têm o abastecimento contínuo. 

– Tem muitos mercados da região que ainda têm estoque e que estão trabalhando normalmente. Um ou outro é que estão com problemas no abastecimento dos perecíveis – explica Mattiola.

 JOINVILLE,SC,BRASIL,25-05-2018.Greve dos caminhoneiros começa a deixar prateleiras de mercados vazias.(Foto:Laís Cristine)
Foto: Laís Cristine / A Notícia

Ainda segundo o vice-presidente, os atendimentos nas redes de supermercados da cidade continuam normalmente, não há previsão de alterações de horários e nem limitação de itens durante a venda. Somente a assessoria do Fort Atacadista informou que, para prevenir a escassez de produtos, o supermercado limitou a quantidade de alguns itens da cesta básica que podem ser comprados pelos consumidores, como feijão, trigo e arroz. No local, não há falta de nenhum item, a limitação foi adotada para manter o estoque, caso a greve não acabe.

Nesta quinta-feira, o Procon permitiu a limitação na venda de produtos nos mercados de Santa Catarina. A informação sobre a quantidade dos produtos a serem adquiridos por cliente deve estar exposta de forma prévia, clara e ostensiva na área de vendas da loja, para que o consumidor não seja surpreendido ao chegar ao caixa para pagar sua compra. Também deve ser divulgada a quantidade de produtos disponível no estoque.

PONTOS DE MANIFESTAÇÃO DOS CAMINHONEIROS – REGIÃO NORTE
- SC-416 – Itapoá, km 24,600;
- SC-417 – Garuva, km 10,800;
- SC-418 – Campo Alegre, km 46;
- BR-280 – Araquari em três pontos: km 21, km 50 e km 55;
- BR-280 – São Francisco do Sul, km 3;
- BR-280 – São Bento do Sul em dois pontos: km 122 e km 111;
- BR-280 – Rio Negrinho, km 136;
- BR-280 – Canoinhas em dois pontos: km 231 e km 235;
- BR-101 – Joinville, km 26;
- BR-101 – Araquari, km 75;
- BR-116 – Mafra, km 7;
- BR-116 – Papanduva, km 54;
- BR-116 – Santa Cecília, km 138. 

Leia mais:
Veja como ficam os serviços públicos de Joinville e região nesta sexta-feira por causa da greve
Greve dos caminhoneiros continua em 17 pontos na região Norte de SC
Governo e caminhoneiros chegam a acordo para suspender greve por 15 dias
Caminhoneiros continuam concentrados às margens da BR-101, em Joinville
Falta de combustíveis é o principal impacto da greve na rotina dos moradores de Joinville
AO VIVO: acompanhe a greve dos caminhoneiros em Santa Catarina  


 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaCepat divulga vagas de emprego em Joinville nesta segunda-feira https://t.co/m2Ox0itJV4 #LeianoANhá 4 horas Retweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaServidores municipais iniciam greve por tempo indeterminado em Joinville https://t.co/OeP3dekeGq #LeianoANhá 5 horas Retweet
A Notícia
Busca