Conheça a história do empresário de São Francisco do Sul que sobreviveu após ser baleado na cabeça - Geral - A Notícia

Versão mobile

 

 

Exemplo de vida21/05/2018 | 17h37Atualizada em 21/05/2018 | 17h37

Conheça a história do empresário de São Francisco do Sul que sobreviveu após ser baleado na cabeça

Eduardo Anton lança o livro "Inesperado" nesta terça-feira no Shopping Mueller

Conheça a história do empresário de São Francisco do Sul que sobreviveu após ser baleado na cabeça Divulgação/Divulgação
Foto: Divulgação / Divulgação

Qualquer pessoa atingida por um tiro de arma de fogo corre sérios riscos de morte, não é mesmo? Além disso, quando sobrevivem, muitas vezes ficam com graves sequelas, dependendo da região afetada. Agora, como explicar a sobrevivência de alguém que levou um tiro no abdômen e três tiros à queima roupa na cabeça?

Esse violento atentado ocorreu há cinco anos, em São Francisco do Sul, com o empresário Eduardo Anton e agora ele conta os detalhes do drama vivido por ele e pela família e de que forma se recuperou fisicamente e psicologicamente no livro Inesperado, uma oportunidade de superação e aprendizado.    

A obra será lançada nesta terça-feira (22), às 19h, no 1º Piso do Shopping Mueller, em Joinville, quando o autor estará disponível para falar com o público e autografar exemplares. O lucro arrecadado com o livro, que custa R$ 25 e pode ser adquirido pelo site www.eduanton.com.br/livro será doado para entidades beneficentes de Joinville. 

Inesperado foi escrito em parceria com o jornalista Cadu Bortolot e conta o drama pessoal que mudou radicalmente a trajetória profissional do autor. Eduardo era diretor da empresa de transporte de cargas da família, em São Francisco do Sul, quando sofreu o atentado. Tinha uma vida normal com a mulher Carol e as filhas Beatriz e Isabella. À época, Carol estava grávida de cinco meses de João Júlio e tudo parecia perfeito.

Entretanto, por razões ainda desconhecidas, na noite do dia 25 de março de 2013, ele foi abordado por dois homens, que estavam em uma moto, quando chegava na casa do irmão, no bairro Rocio Grande, em São Francisco do Sul. Eduardo lembra até hoje, em detalhes, os momentos que antecederam o crime.

— Às 19h45, estacionei o carro em frente à casa do meu irmão, do outro lado da rua. Saí do carro, virei-me e fechei a porta. Quando me voltei para a casa, para atravessar a rua, deparei-me com uma moto ocupada por duas pessoas. Inicialmente, a impressão que tive era de estar assistindo ao desenrolar de cenas sem sentido, totalmente absurdas e inesperadas — conta Eduardo, em um trecho inicial do livro.

Ato contínuo, Eduardo levou o primeiro tiro no abdômen. Permaneceu de pé e, sem tempo para gritar por socorro, viu o atirador se aproximar, encostar a arma na testa e fazer outro disparo. Ainda consciente, percebeu o criminoso se deslocar para trás do seu corpo e disparar mais duas vezes na região da nuca. Por milagre, Eduardo continuava consciente e teve um pensamento instintivo: decidiu cair no chão e assim cessar o ímpeto do criminoso que fazer novos disparos.

A decisão salvou a vida de Eduardo. Os criminosos foram embora e seus familiares o socorreram. O mais incrível de tudo é que o empresário ficou com pequenas sequelas neurológicas e hoje atua como coach profissional, ajudando pessoas com deficiências a se recolocarem no mercado de trabalho.

A obra conta também como Eduardo superou o drama pessoal. Com muito esforço pessoal e o trabalho de uma equipe interdisciplinar de saúde, o jovem executivo se transformou em palestrante para mostrar às pessoas que, com determinação e fé, é possível superar adversidades e vencer na vida.

Aprendendo a lidar com as limitações

Após o atentado, Eduardo ficou 12 dias em coma em um hospital de Joinville. Esse período foi necessário para que o seu cérebro pudesse se recuperar. Quando acordou, já queria voltar ao trabalho, mas teve de aprender a lidar com as limitações, como não ter visão periférica. Após um longo processo de reabilitação física e psicológica, Eduardo encontrou a satisfação e a alegria de viver no trabalho de coach.

Especializou-se em ajudar pessoas, especialmente àquelas que têm sequelas decorrentes de doenças e/ou acidentes e são portadoras de deficiência. Por meio do processo de coaching, Eduardo leva a pessoa ao autoconhecimento e ao desenvolvimento pessoal para atingir a realização pessoal e profissional.

— A contribuição social tornou-se mais que o principal valor da minha vida. Tornou-se o propósito dela. Não por acaso, eu descobri e me realizei pessoal e profissionalmente como coach — reforça. 

Meta é ajudar pessoas

Para Eduardo, o papel do coach não é o de criar uma planilha com regras que devem ser colocadas em prática. O profissional deve, em primeiro lugar, estimular a pessoa a entender o seu problema, a descobrir suas limitações e a buscar suas qualidades.

 Aos 37 anos, Eduardo se considera hoje um profissional com propósitos bem definidos, que tem como foco principal ajudar pessoas a superarem momentos difíceis por meio de aconselhamentos e palestras.

 — Não escrevi esse livro para ganhar dinheiro. Quero ajudar as pessoas que passam por situações inesperadas como a que eu passei. Quando temos objetivos, planejamento e disciplina, superamos desafios e alcançamos metas que, à primeira vista, nos parecem inalcançáveis — ressalta. 

 O livro Inesperado, de Eduardo Anton, pode ser adquirido pelo site ao custo de R$ 25 o exemplar. Para realizar a entrega é cobrada uma taxa de R$ 7 para qualquer parte do Brasil. O lucro obtido com a venda dos exemplares será doado para entidades beneficentes de Joinville.

 SERVIÇO

O quê: Lançamento do livro Inesperado
Quando: 22 de maio, terça-feira
Horário: 19h
Onde: Shopping Mueller – 1º piso – Joinville

 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaCepat divulga vagas de emprego em Joinville nesta segunda-feira https://t.co/m2Ox0itJV4 #LeianoANhá 4 horas Retweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaServidores municipais iniciam greve por tempo indeterminado em Joinville https://t.co/OeP3dekeGq #LeianoANhá 5 horas Retweet
A Notícia
Busca