Morre Vany Knoll, fundadora de um dos primeiros conservatórios de música em Joinville - Geral - A Notícia

Vers?o mobile

 
 

Obituário28/04/2018 | 16h38Atualizada em 30/04/2018 | 13h36

Morre Vany Knoll, fundadora de um dos primeiros conservatórios de música em Joinville

Carreira da pianista foi marcada pela luta no desenvolvimento da área musical na cidade

Morre Vany Knoll, fundadora de um dos primeiros conservatórios de música em Joinville Paulo Caetano/Divulgação
Foto: Paulo Caetano / Divulgação
A Notícia
A Notícia

Atualização: diferentemente do que havia publicado anteriormente, a morte de Vany foi causada por causa de uma infecção hospitalar. Ela havia realizado um procedimento cirúrgico por causa de um tumor no intestino há aproximadamente 15 dias.  A matéria original foi corrigida.

A pianista  Vany Knoll, 80 anos, morreu por volta das 8h30 deste sábado em Joinville. A senhora fazia tratamento para  Mal de Parkinson e havia feito uma cirurgia, há cerca de 15 dias, por causa de um tumor no intestino. A morte foi ocasionada por uma infecção hospitalar. Professora, ela se dedicou durante anos a formação de jovens musicistas e ainda a desenvolver a área musical na cidade. 

— A dona Vany era muito mais que uma instrumentista, ela era uma pessoa de influência positiva em Joinville. Ajudou na criação da Casa da Cultura, formou deseja de pianistas e batalhava pelo crescimento musical na cidade – conta Fabricia Piva, 45 anos, violinista, maestrina e amiga de Vany.  

Para contribuir com o desenvolvimento da área musical na cidade, Vany fundou, em 1968, o Conservatório de Música Professora Vany Knoll - uma das primeiras unidades da cidade a contar com a formação técnica na área. Um dos principais objetivos do conservatório é incentivar a música, já que para a instrumentista a educação musical é elemento fundamental para educação do indivíduo. 

Além do conservatório, Vany deu aulas particulares de piano e também durante quase 40 anos em escolas tradicionais da rede estadual de ensino, como Germano Timm e o Conselheiro Mafra. A pianista deixa um importante legado para a história da música erudita na cidade, com a formação de músicos, que dão aula, continuaram a formação em universidades e até saíram do Brasil.  

— A minha vida musical iniciou com o maestro Tíbor Reinsner, a dona Vany tocava junto do maestro. Ela me acompanhou durante toda a vida, nas minhas orquestras. Eu sempre admirei muito a força dela — lamenta.  

O velório de Vany aconteceu na capela da rua Borba Gato. Ela será sepultada no Cemitério Municipal de Joinville.  

Assista a homenagem prestada por Fabricia à Vany nas redes sociais:


 
A Notícia
Busca