Moradores do bairro Floresta realizam protesto em praça de Joinville - Geral - A Notícia

Versão mobile

 

Manifestação04/04/2018 | 10h43Atualizada em 04/04/2018 | 18h01

Moradores do bairro Floresta realizam protesto em praça de Joinville

Principal reivindicação é a implantação de uma Estação Elevatória de Esgoto (EEE) no local

Moradores do bairro Floresta realizam protesto em praça de Joinville Salmo Duarte/A Notícia
Foto: Salmo Duarte / A Notícia

Moradores organizaram um protesto na manhã desta quarta-feira contra a construção de uma Estação Elevatória de Esgoto (EEE) na praça Tiradentes, no bairro Floresta, zona Sul de Joinville. A preocupação da comunidade local é de que a obra possa causar mau cheiro, complicar o problema já existente com alagamento e prejudique o espaço físico, dificultando o uso dos frequentadores.

A manifestação contou com a participação de cerca de 50 pessoas, entre moradores, membros de associações de moradores e conselho de segurança do bairro. Ao final do ato, eles também realizaram um abraço ao redor da praça. Uma das queixas é de que a Companhia Águas de Joinville, responsável pela obra, não apresentou nenhum estudo de impacto de vizinhança e nem conversou com a comunidade informando sobre a instalação da estação.

Segundo o representante da Associação de Moradores São Francisco de Assis, Eraldo José Hostin Júnior, os moradores começaram a observar os trabalhos de implantação da estação em outubro passado. No entanto, as obras pararam logo após a reclamação dos moradores. Eles são a favor da implantação da rede de esgoto, mas contra o local escolhido. Eraldo conta que todas as melhorias realizadas na praça foram conquistas da comunidade e a obra pode fazer com que tudo seja perdido.

— Acredito que a construção poderia ser realizada em outro local, em terrenos que ficam mais no final desta rua, ali naquela baixada. A companhia não nos informou que a estação seria aqui, apenas fomos vendo o maquinário — conta.

A Águas de Joinville informou que tem o licenciamento ambiental para realizar a obra e os órgãos competentes deliberaram que não havia a necessidade do estudo de impacto de vizinhança. De acordo com o gerente de obras da companhia, Tiago Amorim, o local foi escolhido devido às condições de relevo. Como o sistema de esgoto trabalha com densidade, a praça foi selecionada por ser a área mais baixa do bairro. Todo o esgoto e também a água da chuva escorre para as imediações da praça.

O gerente explica que para colocar a estação em um ponto mais elevado seria necessário aumentar os custos da obra. Estes valores sairiam do bolso do consumidor, ao final da implantação. Por outro lado, ele admite o erro ao demorar para conversar com a comunidade sobre a implantação da elevatória.

— Poderíamos ter conversado antes? Sim. A gente entende talvez como uma falha de comunicação da companhia com os moradores — afirma.

Sobre os possíveis problemas com mau cheiro apontados pela população, a Companhia afirmou que o único momento em que pode haver a presença de odor é quando houver manutenção na estação. Segundo Amorim, isso pode acontecer uma vez ao ano, mas no dia a dia não é para existir porque a estrutura é vedada e tem uma chaminé com filtro. Além disso, a Águas de Joinville garantiu que a estação não terá influência em relação aos alagamentos.

— Aqui na praça hoje temos um grande problema que é da enchente. O esgoto não interfere em nada nessa elevatória porque ela é lacrada e tem tampas. O suspeito e o painel elétrico também ficam acima do nível de enchente — explica o gerente de obras.

Segundo Tiago, as obras de instalação da estação elevatória vão começar apenas depois de todas as dúvidas dos moradores forem sanadas.

 
A Notícia
Busca