Campanha mira cobrança da revitalização da Serra Dona Francisca - Geral - A Notícia

Versão mobile

 

Norte de SC14/04/2018 | 09h00Atualizada em 15/04/2018 | 19h59

Campanha mira cobrança da revitalização da Serra Dona Francisca

Entidades se unem para pedir investimentos na rota que liga Joinville ao Planalto Norte

Campanha mira cobrança da revitalização da Serra Dona Francisca Salmo Duarte/A Notícia
Marcas de acidentes permanecem rente a pista da Serra Dona Francisca Foto: Salmo Duarte / A Notícia

Uma campanha de nível regional visa cobrar melhorias na Serra Dona Francisca, na SC-418, que desde a inauguração em 2002 não passa por uma grande revitalização. O lançamento da iniciativa está marcado para as 17 horas desta segunda-feira (16), na Promosul, em São Bento do Sul. As ações serão lideradas pelas associações empresariais de Campo Alegre, São Bento do Sul e de Rio Negrinho, ambas no Planalto Norte de Santa Catarina, que tem na rodovia um dos seus principais acessos e elo direto com Joinville.

A motivação para a campanha surgiu depois de reuniões realizadas pelo empresariado local com representantes do Governo Estadual, quando o tema chegou a ser debatido sem resultados efetivos. Segundo Jonathan Roger Linzmeyer, presidente da Associação Empresarial de São Bento do Sul (Acisbs) não houve por parte do poder público nenhuma previsão de projeto de revitalização da via, que sinalizou ainda estar à espera de uma possível privatização da estrada.

 JOINVILLE,SC,BRASIL,13-04-2018.Serra Dona Francisca.Mato cobre sinalização na decida da serra.(Foto:Salmo Duarte/A Notícia)
Serra Dona Francisca é rota de 8,5 mil veículos diariamenteFoto: Salmo Duarte / A Notícia

— Essa campanha tem o intuito de mostrar que a força dessas entidades juntas e a mobilização de motoristas, empresários e da população prevalecem às questões políticas e vamos seguir nela até que os investimentos aconteçam — afirma.

De acordo com Linzmeyer, um conjunto de situações corrobora para a necessidade de cuidados com a via, desde os índices crescentes de acidentes; a alta movimentação de tráfego – média diária de 8,5 mil veículos; e a baixa efetividade de serviços básicos como roçadas, pintura asfáltica e iluminação. 

Serão cobradas durante a campanha, por exemplo, aumento e manutenção da sinalização, limpeza constante das marginais, calhas e sistema de drenagem. Também serão buscados o conserto do asfalto nos pontos que apresentam rachaduras, a religação dos postes de luz hoje inoperantes, além de maior atenção ao "Posto 4" da Polícia Militar Rodoviária (PMRv), tanto para aumento de efetivo quanto para a disponibilização de materiais importante para o atendimento dos usuários.

— A Dona Francisca é o nosso portal do Planalto Norte, porta de entrada para o turismo e economia, e há mais de 15 anos não se tem uma reforma completa. Dependemos do governo para esse restauro e vamos atuar de maneira enérgica até que haja resultado — completa o presidente da Acisbs.

O pleito é direcionado ao Governo do Estado e órgãos competentes, como o Departamento Estadual de Infraestrutura (Deinfra), responsável pela manutenção da SC-418, bem como para a classe política. "Por 2018 ser ano de eleição, não queremos que seja promessa de campanha, mas de fato um compromisso com a região", reivindica a presidente da Associação Empresarial de Rio Negrinho (Acirne).

Ações previstas

  JOINVILLE,SC,BRASIL,13-04-2018.Serra Dona Francisca.Parte da frente de carro colado em placa de sinalização nos diz que provavelmente aconteceu acidente próximo ainda mais com mato tampando sinalização.(Foto:Salmo Duarte/A Notícia)
Placas somem em meio a vegetaçãoFoto: Salmo Duarte / A Notícia

A campanha será lançada oficialmente no estacionamento da Promosul com a instalação de um outdoor que requer a "revitalização da Serra Dona Francisca". Em paralelo, as entidades lançaram um abaixo-assinado online com o objetivo de colher 20 mil assinaturas.

Essa petição, em tom de cobrança por melhorias, contava com mais de 1,1 mil participantes até a última sexta-feira, e deverá ser encaminhada para 16 autoridades e representantes políticos da região, entre eles, o governador de Santa Catarina, Eduardo Pinho Moreira.

O próximo passo ocorre no dia 19 de maio, no posto da PMRv, em Campo Alegre. Trata-se de uma ‘blitz educativa’, que tem o propósito de levar orientações para os motoristas que trafegam no trecho. A imprudência e a falta de atenção são dois dos grandes responsáveis pelos acidentes registrados na estrada, conforme aponta a polícia rodoviária. 

Uma cartilha citando a campanha e os cuidados no trânsito serão abordados. Haverá ainda intervenção do Núcleo de Automecânicas de São Bento do Sul, que estará verificando os itens básicos de segurança. Já o Núcleo de Jovens da Acisbs vai aproveitar a data, também dia “D” da campanha Feirão do Imposto, para chamar a atenção para que valores arrecadados, como por exemplo, o imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) possam ser revertidos para investimentos no trecho da Serra.

Entre os apoiadores das ações estão ainda o Sindicato das Empresas de Transporte de Carga do Planalto Norte Catarinense (Sindiplan); Conselho Estadual de Jovens Empreendedores (Cejesc); Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina (Facisc); Associação Empresarial de Campo Alegre (Aciaca) e Associação Empresarial de Joinville (Acij).

Falta de recursos é empecilho

 JOINVILLE, SC, BRASIL, 31-01-2018Condições da Serra Dona Francisca ( SC 418 ), em Joinville.  Vegetação está cobrindo a sinalização e roubo de fios de cobre deixaram a Serra sem luz. Na primeira curva da Serra, só em janeiro, aconteceram 3 acidentes...
Escuridão é uma das principais questões tratadas pelas entidadesFoto: Cleber Gomes / Especial

De acordo com o superintendente regional do Deinfra, Ademir Machado, o problema de iluminação na Serra Dona Francisca decorre do furto de fios de cobre há mais de um ano. A dificuldade de monitoramento é apontada como um dos empecilhos para a conservação das lâmpadas. 

Na noite de quinta-feira (12), conta ele, os últimos postes que restavam com energia também tiveram o cabeamento furtado. A reposição de toda a iluminação tem custo estimado de até R$ 500 mil, dinheiro este que o órgão não dispõe. Porém, o Deinfra afirma ter disposição para debater o tema junto das entidades empresariais.

Leia mais notícias

 
A Notícia
Busca