Alunos da rede municipal e comunidade fazem cursos de robótica em Joinville - Geral - A Notícia

Versão mobile

 

Educação19/04/2018 | 16h00Atualizada em 19/04/2018 | 16h00

Alunos da rede municipal e comunidade fazem cursos de robótica em Joinville

Estudantes podem participar no contraturno escolar. Público em geral também pode se inscrever

Alunos da rede municipal e comunidade fazem cursos de robótica em Joinville Salmo Duarte/A Notícia
Felipe Dantas faz aulas de robótica no Cesita Foto: Salmo Duarte / A Notícia

Os alunos da rede de ensino municipal agora têm uma nova opção para preencher o tempo ocioso no contraturno escolar com o curso de robótica oferecido pela Prefeitura de Joinville. O projeto funcionou como modelo piloto no ano passado e está sendo ampliado em 2018 para estudantes e a comunidade em geral. O objetivo é que as pessoas conheçam as noções de construção e desenvolvimento de projetos, além serem capazes de resolver questões em várias áreas do conhecimento.

Segundo o diretor executivo de tecnologia da Secretaria de Educação, Fernando Lopes, cerca de 1,1 mil alunos de 25 escolas já foram capacitados no programa. Dentre eles, 80 são professores da rede municipal.

Os interessados em participar podem comparecer até as secretarias do Centro Educacional e Social do Itaum (Cesita) ou Centro Educacional XV de Novembro, no bairro Glória. São oferecidas duas modalidades: curso de 20 horas para a comunidade em geral no período da manhã e o ensino durante todo o ano, durante a tarde, para os estudantes.

A ideia do município é expandir o projeto para outras escolas municipais nos próximos meses. Quatro unidades já estão mapeadas para receber laboratórios específicos de robótica. Além disso, futuramente o plano é adaptar os laboratórios de informática de outras escolas para também receber os materiais necessários para o curso de robótica.

— Hoje, em muitas situações o aluno estuda de manhã na rede e a família o deixa em casa de tarde. Com essa iniciativa, a gente têm como começar a usar esse tempo que é vago para apresentar algumas coisas pelas quais ele pode se interessar — explica.

Atualmente, os alunos trabalham por projetos, em que o professor atua como um facilitador. O educador vai orientar e tirar dúvidas dos estudantes, que vão aprender teoricamente e na prática. Também é usada uma apostila que auxilia no ensino. São fornecidos conhecimento sobre lógica de programação, cálculo, eletrônica básica e até inglês.

Estudantes veem oportunidade no contraturno

Para o estudante João Vitor Furtado, de 12 anos, foi uma experiência de muito aprendizado. Ele conta que foram feitos projetos como semáforos sincronizados e displays informativos durante as aulas, mas o que mais gostou foi aprender a mexer com uma máquina chamada servomotor.

— Antes, eu ficava assistindo televisão a manhã toda. Agora, faço o curso e acho bem melhor. Infelizmente, já está acabando — conta.

O curso de robótica também tem deixado o aluno Felipe Dantas empolgado com os ensinamentos. Ele conta que essa é uma oportunidade de pessoas carentes terem contato com a robótica e conhecerem coisas com as quais não tinham contato.

— Eu descobri, por exemplo, que se deixar o carregador ligado na tomada não vai explodir, como minha mãe me dizia — diz.

Felipe participou de uma competição estadual de robótica no início do ano e já conquistou troféus com a equipe. Agora, ele quer continuar aprendendo nas aulas diárias que recebe no contraturno escolar para participar de outros campeonatos e ter ainda mais conhecimento.

 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaGrupo irlandês apresenta espetáculo celta em Joinville  https://t.co/M4SniegKWA #LeianoANhá 30 minutosRetweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaNovo prazo é estipulado para liberação total do Contorno Sul, em Garuva https://t.co/Z0ZznI7Vfv #LeianoANhá 1 horaRetweet
A Notícia
Busca