DNIT não estabelece novo prazo para início das obras de duplicação no lote 1 da BR-280 - Geral - A Notícia

Versão mobile

 

 

Infraestrutura20/03/2018 | 08h16Atualizada em 20/03/2018 | 08h16

DNIT não estabelece novo prazo para início das obras de duplicação no lote 1 da BR-280

Plano inicial era começar obras nesta terça-feira, mas Governo Federal ainda precisa liberar recursos

DNIT não estabelece novo prazo para início das obras de duplicação no lote 1 da BR-280 Salmo Duarte/Agencia RBS
Trecho em frente ao IFC receberá obras neste ano no lote 1 Foto: Salmo Duarte / Agencia RBS

As obras de duplicação do lote 1 da BR-280, que compreende 36 quilômetros entre o porto de São Francisco do Sul e o viaduto sobre a BR-101, ainda não tem data para começar no Norte de Santa Catarina. No final de fevereiro, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) planejava iniciar os trabalhos nesta terça-feira. O problema é a demora na liberação dos R$ 22 milhões pelo Ministério dos Transportes, em Brasília.

Segundo o engenheiro Antônio Carlos Bessa, chefe de serviço do DNIT em Joinville, tudo está preparado para o início das obras, mas ainda há pendência do empenho dos recursos. Ele afirma que não é possível estabelecer um prazo para a empresa começar o trabalho no lote 1. Após a liberação dos valores, o superintendente do DNIT em Florianópolis autoriza o começo das obras e a empresa tem um prazo para instalar o canteiro.

Apesar do lote 1 ser maior, o dinheiro disponibilizado neste ano será o suficiente para fazer intervenções no trecho do quilômetro 24 ao quilômetro 32. A principal obra prevista para ser realizada neste ano é a construção de um viaduto em frente ao Instituto Federal Catarinense (IFC), em Araquari. No entanto, primeiro será necessário trabalhar em ruas laterais para desviar o tráfego da rodovia e possibilitar a construção da estrutura.

— Não vamos conseguir fazer os oito quilômetros, mas será dentro desse trecho que vamos atacar neste ano — afirma Bessa.

Serão os primeiros passos no lote 1 desde a licitação da obra em outubro de 2014. Ao mesmo tempo, estão em andamento os trabalhos nos outros dois lotes. O trecho da BR-101 até Guaramirim (lote 2.1) e o contorno de Jaraguá do Sul até Guaramirim (lote 2.2) estão recebendo a concretagem das vigas para construção de pontes e viadutos. Também continuam as obras do túnel e a terraplanagem. No entanto, também é necessária a liberação de R$ 80 milhões deste ano para a continuação das obras nos dois lotes.

O engenheiro Bessa defende que o repasse federal ainda é muito pouco diante do volume e grandiosidade de toda a obra. Segundo ele, há cerca de R$ 1 bilhão em obra contratada para dez anos, mas são liberados apenas aproximadamente R$ 100 milhões.

— Nós precisamos de R$ 250 milhões por ano para a acabar a obra em quatro anos. Se liberam R$ 100 milhões por ano vai levar mais dez anos para terminar — garante.

A previsão inicial no orçamento da União era de repassar apenas R$ 30 milhões para a duplicação da rodovia. Porém, a bancada catarinense no Congresso Nacional conseguiu reforçar o valor, que foi ampliado para R$ 122 milhões e possibilitou voltar a se cogitar o início das obras também no lote 1.

 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaElevado da avenida Santos Dumont será interditado para conclusão da obra em Joinville https://t.co/HKCzhH36Ca #LeianoANhá 51 minutosRetweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaAlunos da rede municipal e comunidade fazem cursos de robótica em Joinville https://t.co/tNai2NfiE3 #LeianoANhá 2 horas Retweet
A Notícia
Busca