MP pede novas informações em inquérito sobre morte de criança em Mafra - Geral - A Notícia

Versão mobile

 

 

Investigação26/01/2018 | 17h08Atualizada em 26/01/2018 | 17h11

MP pede novas informações em inquérito sobre morte de criança em Mafra

Decisão ocorreu após análise do inquérito que indiciou 14 pessoas pela morte de Heloísa Lisboa

MP pede novas informações em inquérito sobre morte de criança em Mafra Luan Martendal/Agência RBS
Foto: Luan Martendal / Agência RBS

O Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) encaminhou novamente à Polícia  Civil de Mafra o inquérito que investiga a morte da menina Heloísa Martins Lisboa, de um ano e 20 dias, em junho do ano passado. A decisão ocorreu depois da análise do documento no qual a polícia concluiu que houve omissão e negligência na transferência da criança para o Hospital Infantil de Joinville. A solicitação de diligências complementares sobre o caso foi feita pela 2ª Promotoria de Justiça de Mafra.

O encaminhamento partiu do Promotor Rodrigo César Barbosa, que investiga as responsabilidades criminais sobre a morte da menina no órgão estadual. Agora a Polícia Civil deve dar continuidade à investigação e, posteriormente, repassar o material colhido ao Ministério Público.

O resultado da apuração liderada pelo delegado Nelson Vidal, titular da Delegacia de Mafra, foi finalizado em dezembro do ano passado e resultou no indiciamento de 14 funcionários do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) nas cidades de Mafra, Joinville, Florianópolis e Canoinhas. Eles foram indiciados por homicídio culposo comissivo por omissão (quando os funcionários tinham uma atividade a realizar e não fizeram).

Conclusão da polícia

Na documentação apresentada ao MPSC, a apuração destacou ainda que houve demora na transferência da menina do Hospital São Vicente de Paulo para o Hospital Infantil de Joinville, onde ela realizaria tratamento especializado para uma pneumonia. A criança morreu no dia 10 de junho por complicações da doença.

Na época testemunhas relataram que a falha aconteceu por causa da falta de combustível na ambulância, além da falta de um médico na base do Samu de Mafra. 

Aberto três dias depois da morte de Heloísa, o procedimento policial levou seis meses para ser concluído e apurou a ação individual de cada um dos indiciados com relação à omissão e negligência no atendimento. Mais de 40 pessoas foram ouvidas ao longo da investigação.

Processo no MPSC

Cabe ao Ministério Público Estadual oferecer ou não denúncia à Justiça. Ao todo, quatro procedimentos estão em andamento no órgão, três instaurados pela Comarca de Mafra e um, em Florianópolis. 

As investigações instauradas na 1ª e 2ª Promotorias de Justiça de Mafra investigam as responsabilidades civis e criminais pela morte da criança. Na mesma cidade outro procedimento, aberto na 3ª Promotoria de Justiça, tem objetivo de apurar a moralidade administrativa pelos profissionais e gestores responsáveis pela transferência hospitalar da criança. 

Já na capital, a 33ª Promotoria – com atuação na área da saúde -, apura os motivos da alegada falta de combustível.

Leia mais:

Polícia de Mafra investiga morte de bebê após 15 horas de espera por ambulância

Ministério Público abre inquérito para investigar a morte da menina Heloísa

MP abre mais um inquérito para investigar morte de criança e falta de combustível em ambulância do Samu em Mafra  

 Polícia indicia 14 pessoas por morte da menina Heloísa em Mafra  

 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaPrazo para solicitar saque do FGTS termina nesta semana em Joinville https://t.co/YB2Pf9QD0J #LeianoANhá 2 horas Retweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaHomem é morto a tiros em frente a uma casa na zona Norte de Joinville https://t.co/j3xuJNE7xK #LeianoANhá 3 horas Retweet
A Notícia
Busca