Bombeiros continuam buscas por jovem desaparecida após tromba d'água em Garuva, no Norte Catarinense - Geral - A Notícia

Versão mobile

Acidente08/01/2018 | 09h24Atualizada em 08/01/2018 | 21h36

Bombeiros continuam buscas por jovem desaparecida após tromba d'água em Garuva, no Norte Catarinense

Banhista está desaparecida desde a tarde de sábado (6)

Bombeiros continuam buscas por jovem desaparecida após tromba d'água em Garuva, no Norte Catarinense Polícia Militar/Divulgação
Foto: Polícia Militar / Divulgação
A Notícia
A Notícia

Os Bombeiros Militares continuam as buscas por uma jovem desaparecida durante a passagem de uma tromba d'água em Garuva, no Norte Catarinense. Ela se banhava no rio Três Barras, na localidade no Monte Crista, na companhia de uma amiga, quando o tempo mudou repentinamente, aumentando o fluxo das águas. Os bombeiros reiniciaram na manhã de segunda-feira a busca por toda a extensão do rio, desde o Monte Crista até o canal do Rio Palmital. Elas ocorreram até o anoitecer, por volta das 20 horas. 

Na terça-feira, as buscas recomeçam às 8 horas. Em alguns trechos, terão que ser realizadas à nado ou de caiaque. Pescadores da região também disponibilizaram embarcações para ajudar na procura. 

Leia as últimas notícias de Joinville e região em AN.com.br

O corpo da amiga, identificada como Geovana Katielly Iankoski de Oliveira, foi encontrado pelos bombeiros na manhã de domingo (7), perto de uma ponte - distante dois quilômetros do local onde elas tomavam banho. Um morador da região teriam avisado as jovens e outros banhistas que, devido a mudança de tempo, eles teriam até 15 minutos para sair da água. No entanto, as duas amigas não conseguiram sair a tempo, de acordo com o morador. 

O corpo de Geovana foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) de Joinville. Conforme o órgão, a liberação para o translado da jovem aconteceu ainda na manhã de domingo para a sua cidade natal, em Guarapuava, no Paraná.

Confira o relato sobre o acidente

Um dos banhistas, que preferiu não se identificar, relatou à NSC TV que um morador local avisou que o rio estava enchendo em decorrência da forte chuva na serra de Garuva. Segundo ele, a informação é de que os banhistas teriam até 15 minutos para sair da água. No entanto, as duas amigas não conseguiram sair da água, conforme ele.

GARUVA, SANTA CATARINA, BRASIL (07/01/2018) - jovem morre afogada no Rio Três Barras, em Garuva
Foto: Marco Aurélio Pereira / NSC TV

— Nós saímos e gritamos para elas: 'vocês pulam que a gente pega vocês', porque o rio estava começando a encher ainda. Aí elas pegaram e ficaram com medo e subiram para cima da pedra e veio a tromba d'água. Uma se segurou na outra, e (o rio) começou a encher muito rápido — revela.

Ele contou ainda que uma das moças escorregou da pedra por conta da forte correnteza. 

— Puxou a outra junto e as duas passaram por nós, mas não tinha o que fazer. Não tinha um galho de arvore grande, não tinha uma corda, não tinha nada — lamenta.

 Segundo a testemunha, um rapaz que seria namorado de uma das garotas pulou na água na tentativa de salvar as jovens. O jovem chegou a conseguir chegar até uma delas, mas a correnteza a arrastou novamente.

 — Vi que ela afundou, subiu, afundou, subiu, e a outra menina que vinha logo atrás dela pela correnteza conseguiu ficar em pé em cima de outra pedra, só que a correnteza veio ainda mais forte e a levou — conta.

Segundo o Corpo de Bombeiros Voluntários de Joinville, alguns cuidados devem ser observados para garantir a segurança ao tomar banho de rio: 

— Escolher um lugar seguro: procure informações sobre a profundidade do rio e do local;
— Observe a correnteza e verifique a existência de obstáculos como troncos, pedras ou galhos;
— Verifique as condições climáticas e eventos naturais, como enxurradas;
— Evite mergulhar, o risco de acidente é maior;
— Se comer, evite entrar na água;
— As crianças devem estar sempre com adultos;
— Evite ficar em áreas com grande profundidade;
— Procure ficar próximo das margens e perto de pessoas.

Outras dicas que também podem ajudar:
— Procure materiais flutuantes como boias, bolas, câmara de pneu para arremessar a uma pessoa que esteja se afogando;
— Use um bambu, vara ou toalha para tentar ajudar a pessoa a sair da água;
— Nunca use as mãos ou tente salvá-la se não tiver experiência. A pessoa em perigo está desorientada, pode agarrar quem tenta socorrê-lo e causar risco de afogamento a ambos;
— Muita atenção: após dias de chuva, rios apresentam forte correnteza e presença de vegetação e pedaços de madeira arrancados das margens.

Socorro em casos de afogamentos:
Ligue para a Defesa Civil (199), Polícia Militar (190), SAMU (192) ou Bombeiros (193) em caso de afogamentos ou acidentes em rios. 

A Notícia
Busca