Moradores de ocupação protestam pedindo moradia em Araquari - Geral - A Notícia

Versão mobile

Comunidade05/12/2017 | 11h25Atualizada em 05/12/2017 | 16h08

Moradores de ocupação protestam pedindo moradia em Araquari

Principal reivindicação é a regularização dos terrenos onde moram cerca de 700 pessoas

Moradores de ocupação protestam pedindo moradia em Araquari Salmo Duarte/A Notícia
Aproximadamente 360 pessoas da ocupação participaram do ato Foto: Salmo Duarte / A Notícia

Moradores do loteamento Oliveiras protestaram na manhã desta terça-feira em Araquari. A manifestação teve início na ocupação, entre as ruas Itamar Bertino Cordeiro e João Luis Filho. Depois, o grupo seguiu em passeata até a Prefeitura. A principal reivindicação é a regularização das terras onde moram cerca de 700 pessoas, dentre elas 187 crianças.

O terreno de 248 mil metros pertence à Secretaria de Patrimônio da União (SPU). A área será doada ao município e destinada exclusivamente a programas habitacionais. O presidente da associação de moradores, Erico José do Carmo Dias, diz que a intenção do ato é chamar a atenção do governo municipal para a situação das pessoas que residem no loteamento. 

— Precisamos regularizar nossos terrenos para conseguir acessar as condições mínimas de infraestrutura, como saneamento básico, coleta de lixo e abastecimento de água e luz — afirma o presidente da associação. 

Com casas de madeira e teto de amianto, as pessoas da ocupação não tem acesso a saneamento básico, iluminação ou segurança. Não há ruas, nem asfalto. As valas, abertas pelos moradores, se espalham pelos arredores das residências e ajudam a drenar o banhado que o terreno se transforma em dias de chuva. 

Na tentativa de obter uma reunião com o município, os manifestantes protestaram por cerca de uma hora. Eles seguravam cartazes com os dizeres 'somos trabalhadores, queremos moradia', também carregavam uma casinha construída em madeira, simbolizando  o desejo de regularizar a ocupação.  Ao final da caminhada, uma comissão representando os moradores foi chamada para uma reunião com o Prefeito da cidade, Clenilton Carlos Pereira. 

A reunião ocorreu dentro do prédio da Prefeitura. Conforme Erico, durante o encontro, os moradores não conseguiram expor todas as reivindicações e nem remeter a situação das moradias ao Governo Municipal.

— Nós achamos que íamos ser um pouco mais respeitados e ouvidos. Durante a reunião, nós não pudemos conversar — garante Erico. 

Em nota, a Prefeitura de Araquari informou que, durante a manifestação, o prefeito Clenilton Carlos Pereira se colocou à disposição para atender uma comissão representando os ocupantes desta área. A comissão se formou no momento e o prefeito e sua equipe realizaram o atendimento e explicaram para a comissão a posição da Prefeitura. Sendo o local, área da União e correndo uma ação na justiça, movida pela mesma, a Prefeitura não tem como interferir, porque qualquer manifestação da Prefeitura correria contra a lei.  Os ocupantes devem aguardar a decisão da justiça e realizar qualquer solicitação junto do Governo Federal, pois a área pertence à União.


A Notícia
Busca