Três de cada cinco mulheres já foram vítimas de relacionamentos destrutivos  - Geral - A Notícia

Versão mobile

VIOLÊNCIA07/11/2017 | 11h32Atualizada em 07/11/2017 | 11h32

Três de cada cinco mulheres já foram vítimas de relacionamentos destrutivos 

Existem inúmeras outras atitudes que podem provocar danos emocionais, diz Rosangela Matos, coach de relacionamento e analista comportamental 

Três de cada cinco mulheres já foram vítimas de relacionamentos destrutivos  Jessé Giotti/
Foto: Jessé Giotti

A novela da Rede Globo O outro lado do paraíso estreou promovendo uma reflexão sobre relacionamentos abusivos. Logo no início da trama, a protagonista Clara é estuprada pelo personagem Gael na noite de núpcias do casal. A situação, conhecida como estupro marital, costuma ficar escondida entre quatro paredes na vida real. Um dos motivos que levam a vítima a adotar o silêncio se deve à cultura ultrapassada de submissão das mulheres aos seus parceiros. Normalmente, comportamentos cotidianos que se iniciam de forma branda e aparentemente inofensivos, como um pouco de ciúmes, alteração no tom de voz, seguidos por pedidos de desculpas e justificativas, se transformam em atos violentos e tentativas de controlar e cercear a liberdade dessas mulheres.  

Relacionamentos abusivos não são caracterizados exclusivamente por atos de violência física. Existem inúmeras outras atitudes que podem provocar danos emocionais. "Mulher minha não usa isso", "você precisa tomar cuidado com as suas companhias", "não há necessidade de ir para a academia todos os dias". Essas são algumas frases comuns ouvidas pelas vítimas de forma cotidiana. Expressam uma tentativa do domínio masculino sobre questões rotineiras que vão desde o que a parceira pode vestir, quais amigas pode ter, onde pode ir  até com quem poderá conversar.

Muitas mulheres por amor, por medo ou ainda pela esperança de que seu parceiro mude, continuam dando chances e insistindo na relação. Segundo a ONU, três de cada cinco mulheres já foram vítimas de relacionamentos destrutivos para a autoestima e a autoconfiança, provocando feridas emocionais e traumas. Cada vez mais, as novelas estão incluindo em seus roteiros questões polêmicas que costumam ser silenciadas na vida real. Ao expor comportamentos e provocar discussões, as novelas cumprem o importante papel de provocar o debate público e expor questões cruciais para que as mulheres possam compreender e identificar melhor comportamentos abusivos.

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaLoetz: Colombo veta projeto que combatia roubo de cargas  https://t.co/g6s3MzCfYD #LeianoANhá 1 horaRetweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaEmpresa de Joinville oferece 30 vagas para jovens de 18 a 22 anos https://t.co/WSKP0Br0IL #LeianoANhá 2 horas Retweet

Mais sobre

A Notícia
Busca