Performance em praça é confundida com surto e bailarino é levado para atendimento psiquiátrico no RS - Geral - A Notícia

Versão mobile

Tumulto01/11/2017 | 09h47Atualizada em 01/11/2017 | 09h47

Performance em praça é confundida com surto e bailarino é levado para atendimento psiquiátrico no RS

Caso envolveu Igor Medina Cavalcante e ocorreu em Caxias do Sul

Performance em praça é confundida com surto e bailarino é levado para atendimento psiquiátrico no RS Diogo Sallaberry/Divulgação
Foto: Diogo Sallaberry / Divulgação
Pioneiro
Pioneiro


Era para ser uma performance ao ar livre do bailarino Igor Cavalcante Medina dentro da programação do 8º Caxias em Movimento, em Caxias do Sul, no RS. Mas a dança solitária, misto de protesto e arte, foi confundida com um surto psicótico e Medina foi levado à força para o Pronto-Atendimento 24 Horas da cidade . O caso aconteceu no final da manhã de sábado (28), na Praça da Bandeira, no bairro São Pelegrino.

Medina é integrante da Companhia Municipal de Dança e a apresentação "Fim." fazia parte da programação do 8º Caxias em Movimento divulgada pela Prefeitura de Caxias do Sul. No documento, a performance foi descrita como um trabalho que "aborda a violência e põe o corpo em evidência para trazer à tona as diversas formas de brutalidade do cotidiano, sejam elas físicas ou psicológicas". O texto ainda questionava "será que já não somos nada mais além de um mero pedaço de carne incapaz de sentir, incapaz de resistir, incapaz de se rebelar?".

Segundo o diretor da Guarda Municipal, Ivo Rauber, os agentes foram acionados para verificar o que um homem fazia parado na Praça da Bandeira. Ele relata que o atendimento foi liderado pela equipe do Samu, que decidiu pela contenção com o uso de colete e o encaminhamento para uma unidade de saúde. Rauber ressalta que, em nenhum momento, os agentes da Guarda utilizaram a força na abordagem.

— O que chamou a atenção é que ele usava umas roupas da performance e tinha um arame farpado no pescoço. A equipe tentou falar com ele, mas o bailarino ficava mudo. Olhava para o céu, para cima e para baixo. De repente, começou a soltar frases filosóficas, citava a Somália a todo momento. Os guardas entenderam que poderia ter algum problema de saúde e acionaram o Samu — resume o diretor. Após a abordagem na praça, Medina foi conduzido para o Postão.

Leia mais: 

Bailarino ficou 8 horas amarrado depois de ser parado por guardas durante performance no RS

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaLoetz: Black Friday vai movimentar R$ 17 milhões em Joinville  https://t.co/0AWhJNPSoY #LeianoANhá 25 minutosRetweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaAcidentes na BR-470 matam duas pessoas no Vale do Itajaí com intervalo de uma hora https://t.co/5klMsGaEM2 #LeianoANhá 1 horaRetweet
A Notícia
Busca