Estrada Rio do Morro é interditada em Araquari - Geral - A Notícia

Versão mobile

Chuva forte11/11/2017 | 11h19Atualizada em 11/11/2017 | 15h07

Estrada Rio do Morro é interditada em Araquari

Interdição ocorreu nas proximidades da BR-280 devido a uma erosão

Estrada Rio do Morro é interditada em Araquari Prefeitura de Araquari / Divulgação/Divulgação
Estrada Rio do Morro foi interditada para obras de recuperação após erosão provocada pelas chuvas, em Araquari Foto: Prefeitura de Araquari / Divulgação / Divulgação

A chuva torrencial que atingiu a região Norte de Santa Catarina, nesta sexta-feira (10), provocou a interdição da Estrada Rio do Morro, em Araquari. O bloqueio ocorre neste sábado próximo à BR-280, no trecho que liga Araquari a Joinville.

Confira mais notícias de Joinville e região

De acordo com a Prefeitura, a interdição foi feita pela Defesa Civil e Departamento de Trânsito de Araquari por causa de uma erosão na estrada. Segundo os órgãos, a galeria que forma uma ponte no início da rua, no bairro Porto Grande, foi levada pela correnteza.

Os trabalhos de recuperação estão sendo realizados neste sábado de forma paliativa para a liberação da estrada. Ainda não há previsão de quando o serviço será concluído.

Após quatro anos, a pavimentação da Estrada Rio do Morro ainda não foi concluída e depende de nova licitação. A previsão inicial da obra era de investimento de R$ 15,9 milhões. Com a reformulação do projeto, o valor ainda será atualizado.  A pavimentação  deve ser retomada provavelmente no início de 2018.    Uma longa espera que gera desconfiança, desconforto e prejuízos à população, que perde a chance de utilizar os benefícios prometidos pela obra.

O que é a obra?
A obra prevê a pavimentação da Estrada Rio do Morro, entre Joinville e Araquari. São 9,5 quilômetros de extensão que começam no final da rua Monsenhor Gercino, no bairro Paranaguamirim, em Joinville, e se estendem até a saída para o km 30 da BR-280. A obra é vista como uma alternativa para desafogar o trânsito da rodovia federal entre as duas cidades.

Quem é responsável pela obra?
O Departamento Estadual de Infraestrutura (Deinfra).

Qual é o valor estimado para a obra?
A previsão inicial era de R$ 15,9 milhões para realizar a obra. Com a reformulação do projeto, o valor ainda será atualizado. 

Quais são os cronogramas anunciados?
A obra foi licitada em junho de 2010, mas houve problemas burocráticos e falta de recursos para ser executada. A ordem de serviço para a pavimentação foi assinada em outubro de 2012, mas as obras começaram no ano seguinte. A previsão de conclusão era para 15 meses. Após a paralisação das obras no ano passado, havia a previsão de que uma nova licitação seria aberta no primeiro semestre de 2017, mas ela ainda não foi realizada.

O que foi feito até agora?
A pavimentação foi concluída em 8,3 quilômetros de extensão ou 75% do projetado. O restante da obra, em três trechos curtos, ainda não foi finalizado.

Qual é o valor investido até agora?
Desde 2012, o Estado já investiu R$ 11,9 milhões.

Por que está parada?
Em 2012, quando houve a assinatura da ordem de serviço, o Estado afirmou que a demora de dois anos para o início da obras foi por causa de entraves burocráticos e falta de dinheiro. Em 2016, a empresa que realizava a obra desistiu e houve a rescisão de contrato amigável com o governo do Estado em março. Desde então, ainda não houve uma nova licitação.

 O que se espera para o futuro? Há novos prazos de conclusão? Ainda há recursos garantidos?
Dois dos trechos que estão sem obras ficam situados na passagem dos trilhos ferroviários. O primeiro deles, localizado nas proximidades da Igreja Nossa Senhora do Bom Parto, em Araquari, tem cerca de 200 metros de estrada de chão. Um quilômetro à frente, na linha de passagem da linha férrea, há outro ponto sem obras. O terceiro trecho, no último quilômetro de acesso à rodovia federal, também não está finalizado.

O Deinfra diz que concluiu a reformulação do projeto e está finalizando o orçamento da obra dos serviços remanescentes. A nova licitação será lançada em 15 dias e depois de escolhida a nova empresa, ela terá o prazo de um mês para iniciar as atividades. Segundo o Deinfra, há R$ 4 milhões de saldo do contrato inicial para a conclusão da obra, mas como haverá a atualização do custo total, é possível que sejam necessários mais recursos. O departamento destaca ainda que os problemas com desapropriação em dois trechos restantes estão resolvidos. 

No trecho remanescente, serão feitos uma ponte, serviços de terraplenagem, pavimentação, sinalização e obras complementares, como canaletas, bueiros, sarjetas e drenagem. Também será necessária a construção de uma passagem de nível sobre a ferrovia e de um trevo de acesso à BR-280, com aprovação junto ao DNIT.

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaMotorista colide contra viatura da PM na área Central de Joinville https://t.co/VpBrz0U5aa #LeianoANhá 10 horas Retweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaDois homens morrem após ação de combate ao tráfico de drogas em Araquari https://t.co/ug6GIjF79N #LeianoANhá 10 horas Retweet
A Notícia
Busca