Helicópteros e aviões da PM de Santa Catarina estão fora de operação - Geral - A Notícia

Versão mobile

Segurança20/09/2017 | 13h00Atualizada em 20/09/2017 | 13h00

 Helicópteros e aviões da PM de Santa Catarina estão fora de operação

Parte das aeronaves passa por manutenção, enquanto o restante aguarda por seguro

 Helicópteros e aviões da PM de Santa Catarina estão fora de operação Arquivo Pessoal/Arquivo Pessoal
Foto: Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

O serviço aéreo da Polícia Militar (PM) está totalmente paralisado em Santa Catarina. Os três helicópteros e dois aviões sediados em Florianópolis, Joinville e Lages aguardam manutenção ou contratação de seguro para voltarem a voar. O problema ocorre desde a metade de agosto. Por isso, durante a quinta onda de atentados ocorrida no Estado entre o final do mês e passado e começo de setembro, apenas parte dos veículos estava apto a trabalhar.

A reportagem entrou em contato com a PM em 4 de setembro para confirmar os problemas no serviço. Das cinco fontes oficiais procuradas, apenas o Centro de Comunicação Social (CCS) se manifestou e afirmou que a Secretaria da Fazenda deveria ser procurada. A pasta disse que repassou os valores necessários para manutenção e seguro das aeronaves. Segundo a secretaria, está sendo cumprido o cronograma de repasses definido pela própria PM. Na segunda-feira, o Tesouro do Estado enviou R$ 823,2 mil, conforme teria sido previsto. Em agosto, o envio foi de R$ 151,5 mil.

Nesta quarta-feira, a PM confirmou que recebeu o repasse e fez ontem, 19 de setembro, a licitação para a renovação do seguro das aeronaves. A corporação diz que os helicópteros Águia 02, de Florianópolis, e Águia 04, de Lages aguardam a chegada de peças para o retorno de suas atividades operacionais. O Águia 01, de Joinville, e os dois aviões estão com o seguro em processo de renovação.

 A corporação não informou desde quando cada um dos veículos está parado, mas a reportagem apurou que o problema ocorre em Joinville pelo menos desde 15 de agosto, enquanto em Lages o equipamento parou de voar na última sexta-feira. Recentemente, o Águia 04 atuou em operações em Videira e Santa Cecília.

A licitação estaria aguardando apenas a liberação da Secretaria da Fazenda, que nega estar tramitando na pasta processo interno com esse objetivo. Segundo a PM, "as atividades e os serviços de aviação só poderão ser restabelecidos quando as situações forem normalizadas".  Por isso, ainda não há prazo para a volta das operações.

O Batalhão de Aviação da PM começou as atividades em 1986 com uma aeronave alugada. Ela fazia serviços de resgate, busca, salvamento, defesa civil, meio ambiente, atendimento de ocorrências policiais, entre outros. A última unidade a ser aberta no Estado foi em Lages, com a criação da 5ª Companhia para missões na Serra catarinense.

Atualmente, as aeronaves atuam em diferentes frentes, mas principalmente no combate à criminalidade.

Leia também:

VÍDEO: taxistas e motoristas executivos brigam no aeroporto Hercílio Luz

A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros