Filha de casal catarinense nasce na Flórida em meio à passagem do furacão Irma - Geral - A Notícia

Versão mobile

surpresa13/09/2017 | 14h28Atualizada em 13/09/2017 | 14h28

Filha de casal catarinense nasce na Flórida em meio à passagem do furacão Irma

Edio e Caroline moram nos Estados Unidos há um ano e meio

Filha de casal catarinense nasce na Flórida em meio à passagem do furacão Irma West Boca Medical Center / Divulgação/Divulgação
Foto: West Boca Medical Center / Divulgação / Divulgação

Em meio à passagem do furacão Irma pelos Estados Unidos no final de semana, um casal de Criciúma foi surpreendido com a chegada da primeira filha. Caroline Calegari Sartor, 26 anos, estava com 37 semanas de gestação, mas as contrações começaram no manhã de domingo. Quando o trabalho de parte se intensificou, a família chamou os bombeiros, que por pouco não foram até o local. Com o vento forte, a ambulância levou uma hora para percorrer os dois quilômetros de casa até o West Boca Medical Center, hospital onde Marina nasceu.

Os danos pelas ruas de Deerfield Beach, onde Caroline mora há um ano e meio com o noivo Edio Colombo Junior, 30 anos, contabilizavam dezenas de árvores caídas e apresentavam risco para o trânsito. Por isso, eles chegaram a procurar o auxílio de uma enfermeira obstetra para realizar o parto domiciliar, caso o socorro não chegasse. Caroline foi levada de ambulância e Marina nasceu 20 minutos depois da chegada ao hospital.

— O período forte do furacão foi as 16h, foi quando começamos a entrar em contato om o resgate para poder nos auxiliar, nem que fosse um parto em casa mesmo. Eles foram nos auxiliando por telefone, mas dizendo que não podiam vir pois era muito perigoso, ninguém poderia sair naquele momento. Passou um tempo e eles apareceram na porta, foi uma coisa muito emocionante para a gente — contou Junior.

Marina nasceu às 19h21min de domingo, com quase 3 quilos. Ela e Caroline passam bem e tiveram alta do hospital na terça-feira. Os pais de Caroline estavam nos Estados Unidos para acompanhar o nascimento da neta, e puderam participar do momento marcante para a família. A pequena nasceu de parto normal.

— Fizeram primeiro atendimento em casa, o caminhão tinha toda aparelhagem se precisasse fazer o parto ali, mas como estava com muitas contrações, ela foi levada para o hospital mais próximo. Deu tudo certo, atendimento perfeito, mas nesse meio tempo pegamos estrada, muito vento, árvores no chão, a gente nunca imaginava que poderia passar por esse tipo de coisa, que a Marina ia nascer no meio do furacão. Foi tudo perfeito, eles são pela vida, deu para ver que três homens saíram de seus locais seguros para fazer o atendimento, e isso não tem preço, não tem o que dizer — agradeceu.

Leia mais:
"Consegui sair do inferno anunciado", diz jornalista catarinense que fugiu do Irma
VÍDEO: catarinense abrigada em hospital relata como está Miami durante o Irma

A Notícia
Busca