Unidades da Farmácia Popular fecham em agosto em SC  - Geral - A Notícia

Versão mobile

Sem repasse05/07/2017 | 18h38Atualizada em 05/07/2017 | 18h38

Unidades da Farmácia Popular fecham em agosto em SC 

Estabelecimentos próprios do programa não receberão mais recurso federal; no Estado as oito unidades funcionam até final de julho

Unidades da Farmácia Popular fecham em agosto em SC  Gilmar de Souza/Ver Descrição
Foto: Gilmar de Souza / Ver Descrição

As unidades próprias do programa Farmácia Popular irão fechar em agosto em Santa Catarina. No Estado são oito estabelecimentos que fornecem medicamentos gratuitos ou com descontos que deixarão de funcionar devido à interrupção de repasses pelo governo federal. As farmácias credenciadas ao programa "Aqui tem Farmácia Popular" não serão afetadas. 

Na segunda-feira, foi publicada no Diário Oficial da União a lista de municípios que foram desabilitados do programa, estavam incluídos Balneário Camboriú, Canoinhas e Criciúma. Além desses, Chapecó, Jaraguá do Sul, Lages, Rio do Sul  e Tijucas também já anunciaram que fecharão as unidades. Elas funcionam só até o final do mês de julho. 

As unidades vão fechar as portas por falta de repasses do governo federal. Em março o Ministério da Saúde já havia anunciado que não iria mais transferir os R$ 12 mil mensais para manter as estruturas. A decisão foi tomada, de acordo com a pasta, devido aos altos custos com fiscalização, armazenamento e distribuição de medicamentos. Cerca de 80% do valor estaria sendo usado para os custos administrativos. O Ministério da Saúde afirma que a economia, de R$ 100 milhões por mês, permitirá ao governo aumentar o valor mensal por habitante destinado à compra de remédios de R$ 5,10 para R$ 5,58. 

O Ministério informou que os municípios poderiam manter as unidades em funcionamento, desde que assumissem os custos, porém as cidades catarinenses participantes do programa alegam que não têm condições de arcar com as despesas e por isso optaram pelo fechamento. 

A gerente de programas de saúde de Jaraguá do Sul, Joyce Ribeiro Bueno, explica que pelos altos custos administrativos, o município optou por não manter o programa. Agora aguardam a publicação da portaria do Ministério da Saúde de fechamento da unidade, mas devem funcionar até 31 de julho. 

Já em Rio do Sul para reverter a situação, no local onde ficava a farmácia serão disponibilizados alguns medicamentos da farmácia do município e serviços da policlínica. Além disso, a secretária de Saúde do município, Sueli de Oliveira, explica que irão implementar um projeto novo, uma farmácia solidária, com remédios doados por representantes e fabricantes. Em Tijucas, no local será instalado um centro administrativo da secretaria de Saúde. 

Aqui tem Farmácia Popular é alternativa

As farmácias credenciadas no programa ¿Aqui tem Farmácia Popular¿ não sofrem mudança. Em Santa Catarina são em torno de 2 mil pontos onde são oferecidos itens gratuitos ou com até 90% de desconto. São cerca de 30 medicamentos disponíveis, enquanto na rede própria eram 112 itens. 

A modalidade funciona em parceria com farmácias particulares e drogarias comerciais que aderem ao credenciamento. Os medicamentos anti-hipertensivos, antidiabéticos e antiasmáticos são gratuitos.

Confira a lista de credenciadas em SC. 

Onde estão as farmácias populares em SC que serão fechadas:

Balneário Camboriú
Rua: 620 nº 250 esquina com a 4ª avenida do Bairro. Centro

Canoinhas
Rua Getulio Vargas Nº 845 Centro

Chapecó
Av. Nereu Ramos, 973-D, Edifício Baleia Branca Centro

Criciúma
Rua Henrique Lage, 240 sala 02 - Bairro Centro

Jaraguá do Sul
Rua Reinoldo Rau nº 123 Centro

Lages
Rua Caetano Vieira da Costa, nº 883 - Centro

Rio do Sul
Travessa Bento de Oliveira - Centro

Tijucas
Av. Hercílio Luz, 688 - Bairro: Centro CEP: 88200-000 

Fonte: Ministério da Saúde

Leia também:

Oito unidades próprias da Farmácia Popular podem fechar em SC

Unidades próprias da Farmácia Popular não terão mais recurso federal e podem fechar

Reajuste dos medicamentos: saiba qual é o aumento máximo para cada tipo de remédio

Instituto do Câncer suspende inclusão de pacientes em testes clínicos com a fosfoetanolamina




A Notícia
Busca