Saavedra: Cepat de Joinville tem 956 trabalhadores registrados com deficiência - Geral - A Notícia

Versão mobile

Portal15/06/2017 | 07h30Atualizada em 15/06/2017 | 07h30

Saavedra: Cepat de Joinville tem 956 trabalhadores registrados com deficiência

Desse total, quase a metade possui deficiência física, enquanto os demais se dividem em auditivas, visuais e mentais

Os cadastros do Cepat de Joinville apontam o registro de 956 trabalhadores com deficiência na cidade, com parte deles fora do mercado de trabalho. O levantamento do centro, uma espécie de Sine mantido pela Prefeitura, traz dados catalogados por tipo de deficiência e por bairro. 

Quase metade dos cadastrados tem deficiências físicas. Os demais se dividem em auditivas, visuais e mentais. Os dois bairros mais populosos de Joinville, Aventureiro e Paranaguamirim, contam com o maior número de deficientes. O Cepat, instalado na Abdon Batista, conta com setor especial para atendimento de deficientes.

Mais perto
Mauro Mariani aponta lançamento em julho do edital de concessão do terminal de cargas do Aeroporto de Joinville. A Infraero vem abordando a concessão pelo menos desde o ano passado. Quem ganhar a concorrência, terá de investir R$ 47,9 milhões. Já área disponível para o terminal no aeroporto, com 105 mil metros quadrados.

Fosso
Fernando Krelling e Douglas Strelow continuam distantes de qualquer afinidade. O atual presidente da Câmara é o ex-presidente da Felej, hoje transformada em Secretaria de Esportes, comandada por Douglas. Os dois até já se reuniram, mas a relação permanece a distância.

Não retornou
Krelling chegou a ser convidado para voltar aos Esportes, mas preferiu ficar na Câmara. A tentativa dele de indicar o secretário não foi aceita e, talvez por causa disso, o atual titular entenda que não precisa se aproximar de Krelling. O fato de não haver relação partidária também reforça a posição do secretário.

Numa boa
Situação mais tranquila é a de Roque Mattei. Eleito vereador, preferiu voltar para a Secretaria de Educação, onde tem muito mais chances de se habilitar para a sucessão de Udo do que na Câmara. Hoje, Roque é o nome preferido pelo governo Udo para 2020, mas há 2018 na frente, o que pode alterar o plano de voo.

Corte de R$ 11,15
A supressão de apenas R$ 11,15 mereceu um aditivo na construção do elevado da Santos Dumont com a Tuiuti, em Joinville. A obra está custando R$ 23,1 milhões.

Homenagem
Em recuperação de problemas de saúde, Alsione Gomes de Oliveira Filho se sentiu satisfeito nesta quarta-feira ao ser convidado por um grupo de servidores da Habitação para homenagem. Alsione foi secretário da pasta no governo Carlito.

Sem lixo
Tem mutirão neste sábado pela manhã para limpar as praias do Forte, Sumidouro e Capri, em São Francisco do Sul. A ação faz parte do Junho Verde da Univille.

Em 2017
No contramão dos demais setores, que encolheram, as indústrias conseguiram aumentar a metragem liberada para novas construções em Joinville junto à Prefeitura.

Viva Ciranda
Esta visita de alunos de Joinville a propriedade rural do município foi acompanhada por comitiva de Parapanema-SP, inclusive pelo prefeito da cidade paulista. O programa Viva Ciranda leva estudantes para o interior de Joinville para experiências sobre a vida no campo. Como o ¿ingresso¿ custa R$ 10 por aluno, é oportunidade de renda para os produtores.

Aplauso a Roque
Na tarde desta quarta-feira, Mauricinho Soares foi o único peemedebista a usar a tribuna para elogiar o secretário Roque Mattei (Educação)pela nomeação para o Conselho Estadual de Educação. Claudio Aragão, Rodrigo Fachini e Fernando Krelling estavam presentes, votaram a favor da moção, mas não se manifestaram. A moção é de Mauricinho, coincidentemente o suplente de Roque, um vereador licenciado.

Parte paga
Pelos balanços da Prefeitura de São Francisco do Sul, foram pagos R$ 10 milhões da dívida de R$ 50 milhões recebida da administração anterior. Há um cronograma de desembolso dos pagamentos. Há também medidas de economia em contratos, como, por exemplo, a redução dos celulares corporativos, de 150 para 20 aparelhos. Houve também corte em diárias, com redução de R$ 135 mil até agora.

Motivo das filas
O leitor Gilberto Boettcher escreve para apontar as obras na Otto Boehm como motivo para as filas maiores perto do semáforo do Hospital Sadalla, na rua Camboriú (¿Marquês¿). As interdições na Otto Boehm levam mais motoristas a acessar a Nelson Nunes Guimarães para entrar no miolo do Atiradores. A situação deve durar mais três meses, até que seja concluída a galeria do rio Mathias naquele ponto.

Foi simulação

Simulado ocorreu perto do pedágio de Garuva Foto: Divulgação / Divulgação

No início da tarde desta quarta-feira, foi realizado simulado de acidente com produtos perigosos na BR-101, perto da praça de pedágio de Garuva. O treinamento teve a participação de equipes de resgate da Autopista Litoral Sul, bombeiros, PM, Defesa Civil, entre outros serviços especializados. Um drone ajuda a identificar o produto.

No vácuo
Um dos mais ferrenhos membros da base governista, Maurício Peixer (PR) disse nesta quarta-feira na Câmara que vai mostrar a Udo as mensagens de WhatsApp que não são nem visualizadas por ¿três ou quatro secretários¿, embora a principal reclamação seja em cima de um deles. O vereador não disse nomes, só relatou que fez pedidos em nome das comunidades.

Tratamento
Na sequência, Lioilson Correa (PSC), também governista, relatou ter enviado um áudio para um secretário há uma semana e até agora a mensagem não foi nem aberta, que dirá respondida. Curiosamente, o oposicionista Odir Nunes (PSDB), crítico de Udo, diz ser sempre bem recebido pelos secretários. ¿Nunca passei de cinco dias para ser atendido e no WhatsApp não passa de meia hora¿.

A Notícia
Busca