Nível de água baixa e lixo fica acumulado no Rio Carahá, em Lages - Geral - A Notícia

Versão mobile

Chuva em SC08/06/2017 | 11h49Atualizada em 08/06/2017 | 17h18

Nível de água baixa e lixo fica acumulado no Rio Carahá, em Lages

Pilhas de diferentes tipos de materiais impressionam quem passa no local

Nível de água baixa e lixo fica acumulado no Rio Carahá, em Lages Diorgenes Pandini/DC
Foto: Diorgenes Pandini / DC

Depois de quatro dias de tensão nas áreas mais baixas de Lages, na Serra catarinense, o nível dos rios Carahá e Ponte Grande começou a retroceder, o que esvaziou parte das casas inundadas. Com isso, começa a aparecer parte dos motivos do represamento dos rios. Desde quarta-feira à tarde é possível ver o lixo acumulado em diferentes partes da cidade. Como as áreas estão secando, ficam visíveis amontoados de garrafas, caixas, armários, brinquedos, roupas e pedaços de madeira. Tudo isso próximo aos imóveis afetados pela enchente.

Entre os bairros Universitário e Bom Jesus, no Carahá, as árvores estão rodeadas de lixo. Parte dos materiais chega a represar nas pontes que ligam uma comunidade a outra. A quantidade de lixo impressionou o secretário de Serviços Públicos e Meio Ambiente, Euclides Mecabô. Nesta quinta-feira ele visitou alguns pontos e fez fotos do acumulado. Mecabô afirma que 70 pessoas estão trabalhando na limpeza das áreas atingidas. Nos bairros Passo Fundo e Sagrado Coração de Jesus, o trabalho já começou, pois lá a água do Ponte Grande baixou.

– Mesmo com o lixo teríamos a enchente, mas o problema seria menor. A população precisar ajudar e colocar o lixo no lugar certo. Principalmente o plástico, que além de não deteriorar, ocupa bastante espaço no rio. Isso vai represando e acumula água – relata o secretário.

Mecabô garante que o trabalho vai seguir até as ruas ficarem totalmente limpas. Nesta manhã de quinta-feira, os caminhões da prefeitura estão levando algumas vias e recolhendo entulhos deixados pelos moradores.

– Seguiremos enquanto tiver trabalho, independente do fim de semana, da Festa do Pinhão, que começa sexta-feira – prometeu o secretário.

Foto: Diorgenes Pandini / DC

Seis abrigos continuam abertos

Até a manhã desta quinta-feira, seis abrigos continuavam abertos na cidade. O número de desabrigados, segundo a Defesa Civil, é de 406 pessoas. O secretário de Assistência Social de Lages, Samuel Ramos, diz que parte das pessoas poderá continuar nos abrigos depois que a água baixar totalmente. Segundo ele, mesmo com a enchente diminuindo, as residências não estarão totalmente limpas e secas. Dessa forma, os moradores terão um apoio nos locais montados pela prefeitura para dormir e fazer as necessidades mais básicas até que a rotina se restabeleça. A Defesa Civil do Estado encaminhou para Lages 610 cestas básicas, 610 kits de limpeza, 2036 kits de higiene pessoal, 83 colchões de solteiro e 83 acomodações de solteiro.

A chuva voltou à cidade na tarde de quarta-feira, mas cessou durante a noite, o que possibilitou a alguns moradores limparem suas casas. No começo da manhã desta quinta-feira, uma nova pancada, acompanhada de ventos fortes, atingiu o município. No final da manhã não chove em Lages.

Leia também:

Confira a cobertura das chuvas em Santa Catarina

Previsão de chuva intensa deixa as famílias de áreas atingidas em alerta

Estado registra queda de granizo e rajadas de vento de até 104 km/h

Quatro cidades catarinenses decretam situação de emergência após as cheias

Serra tem chance de neve entre a noite de quinta e a manhã desta sexta-feira

sexta-feira

 
 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaJogo-treino entre reservas e time sub-20 marca o início da semana do JEC https://t.co/w4tcsebxAs #LeianoANhá 16 minutosRetweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaCarreta bate em árvore e trânsito fica complicado na Expedicionário Holz, no Centro de Joinville https://t.co/aibwo3hSie #LeianoANhá 3 horas Retweet
A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros