Naufrágio de embarcação no Litoral Norte provoca morte de pescador e deixa outro desaparecido - Geral - A Notícia

Versão mobile

Litoral Norte09/06/2017 | 10h02Atualizada em 10/06/2017 | 19h39

Naufrágio de embarcação no Litoral Norte provoca morte de pescador e deixa outro desaparecido

Barco afundou entre as ilhas dos Remédios e Feia na manhã desta sexta-feira. Cinco tripulantes foram resgatados com vida

Naufrágio de embarcação no Litoral Norte provoca morte de pescador e deixa outro desaparecido Salmo Duarte/Agencia RBS
Barco que naufragou foi retirado da água pelas equipes de resgate  Foto: Salmo Duarte / Agencia RBS
Gabriela Florêncio
Gabriela Florêncio

gabriela.florencio@an.com.br

A embarcação de Valdecir da Silva, 55 anos, zarpou do cais da rua Barra Velha, em Balneário Barra do Sul, no Norte de Santa Catarina, por volta das 6h30 desta sexta-feira. O mar aparentava estar calmo no início da manhã. O dono do barco e mais seis amigos saíram em busca de uma boa pescaria.

Na metade do trajeto, quando o relógio marcava quase 8 horas, uma onda surpreendeu os tripulantes do barco, que naufragou entre as ilhas dos Remédios e Feia.Depois da primeira oscilação, veio a segunda. O Weríssimo Silva – como foi batizada a embarcação – sofreu com a corrente marítima, encheu de água, chocou-se contra a encosta e virou.

Segundo pescadores da localidade, o lugar onde o barco afundou é perigoso, cheio de pedras e águas traiçoeiras. Com o impacto, a proa quebrou e a tripulação foi jogada ao mar. A história foi narrada pelo irmão caçula de Valdecir, o pescador Osmar da Silva, de 51 anos. A notícia do naufrágio foi espalhada entre os pescadores via rádio.

Os amigos rapidamente se mobilizaram e partiram mar adentro para fazer o resgate da embarcação. Valdecir conseguiu pegar dois tripulantes em uma rocha, enquanto que outros três foram salvos pelos pescadores. Um homem, identificado como Astrogildo Olegário da Silva, 71 anos, não resistiu e morreu ainda no mar. A sétima vítima, identificada como Acidio Vegini, 75, continuava desaparecida até a noite desta sexta-feira.

De acordo com o diretor da Secretaria de Pesca do município, Sérgio Dias, aproximadamente dez embarcações de pescadores ajudaram no resgate. O local onde ocorreu o naufrágio tem uma profundidade de quase 12 metros, e as correntes marinhas no local são frequentes. Ele relembra que outros barcos já viraram no mesmo lugar.

O resgate da tripulação já tinha sido feito quando Sérgio chegou ao local. Ele e outro membro da secretaria mergulharam atrás dos escombros na esperança de encontrar o pescador desaparecido.

– Mergulhamos e amarramos cordas para puxar o barco. Achávamos que a sétima pessoa poderia estar ali, mas quando a embarcação veio, o homem não estava lá dentro – lamentou.

Ainda de acordo com Sérgio, o barco de Valdecir era novo, recém-pintado e reformado. Além da proa, uma espécie de toldo também foi quebrada durante o acidente. A embarcação era utilizada para pescarias pela região.

Leia as últimas notícias de Joinville e região em AN.com.br

Irmãos tinham larga experiência com navegação
Os irmãos Silva navegam no mar de Balneário Barra do Sul desde pequenos. A pescaria é a principal atividade econômica – e de lazer – de quase toda a família. Mesmo não conhecendo todos os tripulantes, o pescador Osmar da Silva se emociona ao falar do irmão que era capitão do barco neste dia. Ele relembra que, desde muito jovens, os dois já viviam entre a proa e a popa dos barcos.

– Foi uma tragédia o que aconteceu! Meu irmão ainda conseguiu salvar dois, mas poderia ter acontecido algo mais grave com ele – comentou.

Com lágrimas no rosto, o pescador conta que o barco do irmão era novo e que a experiência em alto-mar era uma marca presente em Valdecir. Os seis tripulantes eram velhos conhecidos do irmão, eles frequentemente saíam de Joinville para Balneário Barra do Sul para pescar.

Osmar conta que, devido ao acidente, o condutor do barco estava com a pressão muito alta – por causa da preocupação com os amigos e que sofreu hipotermia devido à baixa temperatura da água.

– Graças a Deus, ele está bem, mais ainda assim é tudo muito triste – completou.

Buscas serão retomadas no domingo 

As buscas pelo tripulante desaparecido são coordenadas pela Delegacia da Capitania dos Portos em São Francisco do Sul e se iniciaram logo após o resgate das vítimas e da embarcação. Elas deverão continuar até que a vítima seja encontrada e envolvem a Marinha e pescadores da região.

Neste sábado a procura pelo homem desaparecido continuou, mas nada foi encontrado. As buscas foram interrompidas no fim da tarde e devem ser retomadas no amanhecer de domingo (11), segundo a Capitania.  

O comandante da delegacia, Marcio Alves Santana, explica que duas equipes ajudam nas buscas – uma por terra e outra pelo mar.

Os trabalhos começaram perto da ilha dos Tamboretes e seguem em direção ao Sul do oceano, de acordo com o sentido da maré.

– Agora, os nossos esforços serão concentrados em encontrar essa pessoa que ainda está desaparecida – afirmou o comandante.

Santana ressaltou que será instaurado um inquérito policial para investigar a causa do acidente e averiguar as condições da embarcação tão logo o tripulante desaparecido seja localizado.

 
 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaSaavedra: Justiça nega limitar que cobrava limpeza do rio Bucarein, em Joinville https://t.co/wmz3amMPos #LeianoANhá 8 minutosRetweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaObras de duplicação da Santos Dumont devem ser concluídas até o final do ano em Joinville https://t.co/PeL6DSToPH #LeianoANhá 47 minutosRetweet
A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros