"É deselegante criticar o próprio governo", diz ex-secretário da Saúde João Paulo Kleinübing - Geral - A Notícia

Versão mobile

Entrevista15/06/2017 | 07h55Atualizada em 15/06/2017 | 07h58

"É deselegante criticar o próprio governo", diz ex-secretário da Saúde João Paulo Kleinübing

Deputado federal do PSD ficou à frente da pasta entre 2014 e 2016

"É deselegante criticar o próprio governo", diz ex-secretário da Saúde João Paulo Kleinübing Cristiano Estrela/Agencia RBS
Foto: Cristiano Estrela / Agencia RBS

Eleito deputado federal em 2014, o ex-deputado estadual e ex-prefeito de Blumenau João Paulo Kleinübing (PSD) ficou à frente da Secretaria da Saúde por dois anos, entre 2014 e 2016, sendo sucedido pelo atual secretário Vicente Caropreso (PSDB). Neste período, saiu e voltou algumas vezes por curtos períodos para retornar à Câmara. Uma delas ocorreu em abril do ano passado, quando votou pelo impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT). Atualmente é coordenador do Fórum Parlamentar Catarinense.

A Secretaria da Saúde diz que, após levantamento interno, a dívida é bem maior do que a que foi divulgada quando o secretário Caropreso assumiu. Qual a razão dessa diferença tão grande de valores?
Não vi o resultado da auditoria, então não consigo avaliar o que eventualmente foi considerado ali como dívida. Agora, temos que ter em mente que, qualquer débito que tenha é do governo, não da Secretaria da Saúde. A responsabilidade é do governo, e o governo é o mesmo agora que era antes. O governo não mudou. Então o eventual passivo que existe é do governo, não da secretaria. Inclusive algumas coisas nós contestávamos (a inclusão como passivo). Não é por aí que vai se resolver o problema. Acho no mínimo deselegante você criticar o próprio governo, você justificar suas dificuldades olhando pra trás. Também tive inúmeras dificuldades pra enfrentar, trabalhei muito pra resolver o que dava e nunca precisei falar mal de ninguém.

A auditoria aponta questões ao longo dos anos, não só na sua gestão...
Exatamente. Esse passivo é dívida de governo e vem sendo encaminhado ao longo dos anos. Até porque a secretaria da Saúde não é a única gestora, ela trabalha com recursos que são disponibilizados.

De qualquer forma, havia um controle e gestão dessa dívida?
Havia, claro que havia. E se tu olhar, se pegar os dois anos que fiquei na secretaria, nós conseguimos inclusive reduzir o volume do passivo que existia antes. Tinha controle.

Leia também:

"Não se conhece o que se gasta na Secretaria de Saúde", diz diretora do TCE

Estado projeta prazo de dois anos para ajustar contas da Saúde

Saúde: dívida é de R$ 768 milhões em SC

"Governo estuda Refis, nova taxa e outra gestão", diz secretário da saúde de SC

Leia todas as notícias do Diário Catarinense

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaEm Joinville, PM diz que há barreiras diárias, mas não ações específicas para coibir uso de álcool na direção https://t.co/dAptg1JJGP #Lei…há 1 horaRetweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaRejane Gambin: Evento em prol de entidade do Jardim Paraíso foi um sucesso de público https://t.co/KtEwl0Rrgp #LeianoANhá 2 horas Retweet
A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros