Buscas por pescador vítima de naufrágio continuam em Balneário Barra do Sul - Geral - A Notícia

Versão mobile

Litoral Norte12/06/2017 | 15h47Atualizada em 12/06/2017 | 15h55

Buscas por pescador vítima de naufrágio continuam em Balneário Barra do Sul

Acidio Vegini, 75 anos está desaparecido desde sexta-feira quando barco afundou entre as ilhas dos Remédios e Feia

Buscas por pescador vítima de naufrágio continuam em Balneário Barra do Sul Salmo Duarte/Agencia RBS
Pescadores ajudam a retirar o barco Weríssimo Silva do mar Foto: Salmo Duarte / Agencia RBS
Gabriela Florêncio
Gabriela Florêncio

gabriela.florencio@an.com.br

A busca por Acidio Vegini, 75 anos, pescador desaparecido no naufrágio em Balneário Barra do Sul continua durante esta segunda-feira. O barco Weríssimo Silva virou entre as ilhas dos Remédios e Feia por volta das 8 horas desta sexta-feira. Sete homens estavam na embarcação no momento do acidente. Cinco deles foram resgatados com vida. Astrogildo Olegário da Silva, 71 anos, não resistiu e morreu ainda no mar e a sétima vítima está desaparecida.

Leia as últimas notícias de Joinville e região em AN.com.br

A Delegacia da Capitania dos Portos em São Francisco do Sul coordenada à procura ao homem sumido. O comandante da delegacia, Marcio Alves Santana, ressalta que na noite deste domingo a correnteza virou sentido Oeste. Por este motivo, as equipes da Marinha trabalham próximos as praias da região e nas ilhas onde ocorreu o incidente.

Ainda segundo Santana, um navio, duas embarcações da delegacia, uma aeronave do 5º Distrito Naval e uma equipe por terra auxiliam nas buscas. Além da Marinha, os Bombeiros Voluntários de Balneário Barra do Sul e de Joinville também estão envolvidos na procura.

Barco que naufragou foi retirado da água pelas equipes de resgate  Foto: Salmo Duarte / Agencia RBS

A guarnição joinvilense disponibilizou sete bombeiros — quatro mergulhadores e três aquaviários. Eles farão a investigação dentro da água na área onde ocorreu o naufrágio, entre as duas ilhas. Os equipamentos e o treinamento da equipe permite que desçam até uma profundidade de até 40 metros.

A embarcação virou após ser atingida por uma onda, chocou-se contra a encosta e virou. Segundo pescadores da localidade, o lugar onde o barco afundou é perigoso, cheio de pedras e águas traiçoeiras. 

 
 
A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros