Álcool na gestação: pesquisa revela que consumo pode alterar fisionomia dos bebês - Geral - A Notícia

Versão mobile

Relação de risco09/06/2017 | 12h43Atualizada em 09/06/2017 | 12h43

Álcool na gestação: pesquisa revela que consumo pode alterar fisionomia dos bebês

Mesmo com baixa exposição à substância, foram observadas alterações nos rostos das crianças

Álcool na gestação: pesquisa revela que consumo pode alterar fisionomia dos bebês Jose Torres/Stock.xchng
Foto: Jose Torres / Stock.xchng

Os malefícios do consumo de álcool durante a gestação são descritos na ciência desde 1973. Na época, especialistas relacionaram a ingestão de bebida pelas mães com problemas cognitivos, comportamentais e no desenvolvimento do cérebro. De lá para cá, diversos estudos investigam essa relação perigosa. O mais recente foi publicado no último dia cinco, no periódico JAMA Pediatrics. Ele revelou uma associação entre a exposição pré-natal ao álcool e alterações no desenvolvimento facial dos bebês.

Realizada na Austrália, a pesquisa escolheu bebês que tiveram baixa, moderada ou alta exposição à substância durante o primeiro trimestre de gestação. Ao todo, foram analisadas 415 crianças brancas (195 meninas e 220 meninos) através de imagens craniofaciais tridimensionais feitas aos 12 meses de idade.

Leia mais:
Os riscos do consumo de maconha na gravidez não estão claros
Gestantes não devem ingerir qualquer quantidade de álcool

Observou-se uma relação consistente entre o consumo de álcool na gravidez e o formato craniofacial das crianças, independente do no nível e período de exposição. As principais diferenças foram encontradas no meio do rosto, nariz, lábios e olhos. Algumas das mudanças apontadas pelos pesquisadores foram o nariz encurtado com a ponta arrebitada.

— Os resultados mostram que há algum efeito (no desenvolvimento facial), embora sutis — disse a líder do estudo, Jane Halliday, à publicação New Scientist, acrescentando que essas alterações podem não ser duradouras, afinal, o rosto das crianças muda bastante nos primeiros dois anos de vida.

Como conclusão, os pesquisadores sugerem a eliminação completa de bebidas alcoólicas na gestação, pois os resultados apontam alterações mesmo quando os níveis de consumo são baixos. 

 
 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaSaavedra: MPSC abre inquérito questionando Prefeitura de Joinville sobre mobilidade https://t.co/aHTnFhRM1S #LeianoANhá 2 horas Retweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaLoetz: Indústria é o setor mais pessimista com a realidade dos negócios em Joinville e região https://t.co/BQW2g3oswH #LeianoANhá 3 horas Retweet
A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros