A cura pela consciência: conheça o ThetaHealing, técnica de meditação que ajuda a tratar doenças - Geral - A Notícia

Versão mobile

Saúde08/06/2017 | 11h00Atualizada em 08/06/2017 | 15h48

A cura pela consciência: conheça o ThetaHealing, técnica de meditação que ajuda a tratar doenças

Prática meditativa e terapêutica promove a mudança de padrões emocionais e mentais e tem ajudado na cura de doenças 

Você acredita que é possível curar traumas, padrões mentais e emocionais, ressentimentos e até doenças físicas apenas acessando a própria consciência? Prática nova, mas que vem se popularizando no Brasil, o ThetaHealing é uma técnica meditativa e terapêutica que ensina a acessar um estado de consciência por meio das ondas cerebrais theta — ondas com ritmo mais lento em comparação a outras. É como se aprendêssemos a olhar para dentro e a transformar programas mentais que nos trazem sofrimento. Não tem nada a ver com religião, mas com uma forma de se conectar com a própria existência para criar uma nova realidade.

Parece milagre. E é, pelo menos para a criadora da técnica, a norte-americana Vianna Stibal, 54 anos. Em 1995, ela foi diagnosticada com câncer no fêmur direito. Medicina convencional e alternativa falharam, até que ela chegou à cura depois de usar a técnica de meditação. No Brasil, o ThetaHealing chegou há cerca de sete anos.

Para a psicóloga carioca Katia Larsen, a prática deu um salto quântico em seu trabalho. Com 25 anos de trajetória com a psicologia, estuda o ThetaHealing há quatro anos e hoje dá aulas em todo o Brasil. Em Florianópolis, ela fará uma palestra gratuita nesta quinta-feira nO Sítio, na Lagoa da Conceição. De sexta a domingo, ministra curso sobre o tema em uma escola de yoga. Confira entrevista sobre o que é e como o ThetaHealing funciona:

DC - O que é o Thetahealing?
Katia Larsen - É uma técnica meditativa e terapêutica. Utiliza-se a meditação para chegar a um estado de consciência através da ativação de ondas cerebrais, no caso a onda theta.

DC - O que é a onda Theta?
Katia - Temos em nosso cérebro impulsos elétricos ou ondas chamadas theta, beta, alpha, delta. Quando pensamos sobre questões normais do dia a dia, por exemplo, usamos mais as ondas tipo beta (14 - 40 Hz). Já a onda theta é um estado mais profundo, um estado no qual é possível chegar naturalmente (as ondas cerebrais theta estão presentes durante a meditação profunda e no sono leve, a um ritmo de 4 a 7,5 Hz).

DC - Como se aprende o ThetaHealing?
Katia - ThetaHealing é uma técnica que ajuda a entrar nesse estado mais desperto. O inconsciente fica mais acessível, porque a onda cerebral theta afrouxa os conteúdos inconscientes. Durante as sessões terapêuticas ou cursos, ensinamos uma meditação que leva para essa configuração de onda cerebral. Durante a sessão ninguém dorme. Fica-se sentado e acordado e o que a gente ensina é a configurar o cérebro. No curso básico, ensino como configurar esse estado de consciência no dia a dia, para que se possa aplicar em tudo na vida.

DC - Como chegar a esse estado de consciência?
Katia - O primeiro passo é ensinar a meditar. A partir daí, vai-se criando caminhos neuronais no cérebro e, aos poucos, chegar a esse estado de consciência fica mais automático. Identificamos quais são as crenças e padrões que limitam. Crenças que um dia nos serviram, verdades que um dia a gente aprendeu na família, na cultura ou que herdou de ancestrais ou mesmo trouxe de outra consciência ou outra existência. Verdades que agora já não fazem mais sentido e nos limitam. Por exemplo, se eu sinto medo, fico ligado a sentimentos como ressentimento, remorso, rejeição. Tudo isso são construções da nossa cabeça. Não é uma realidade.

DC - Qual o problema de ficar preso a esses padrões?
Katia - O grande problema da humanidade hoje é ter uma série de emoções, pensamentos e sentimentos sem se dar conta de quais são. E aí as pessoas agem de forma inconsciente, projetando as próprias emoções em outras pessoas e, dessa forma, criando problemas até como a violência.

A psicóloga Katia Larsen trabalha com ThetaHealing há quatro anos e dá aulas em todo o Brasil Foto: Instituto ThetaConsciência / Divulgação

DC - Que tipos de padrões temos e que são inconscientes?
Katia - Situações traumáticas que podem ter começado, inclusive, na gestação. São memórias ou informações que ficam no campo da pessoa como se fosse uma verdade. Uma gravidez não desejada no começo pode gerar um filho que, quando adulto, tenha na memória sentimentos como rejeição. Isso fica rodando como se fosse um software debaixo da consciência. E a pessoa não entende por que tem problemas com a mãe, ou não consegue se relacionar bem. Com o ThetaHealing, conseguimos acessar as informações que estão bloqueando ou limitando. E buscamos entender por que estão ali e para que servem. Assim, tentamos substituir por crenças ou verdades mais saudáveis e úteis.

DC - O ThetaHeling é eficaz também na cura de doenças do corpo físico?
Katia - ThetaHealing tem sido eficaz para ajudar na cura de câncer e doenças autoimunes. Isso porque são doenças criadas a partir de questões emocionais que nem sempre a pessoa é consciente. Às vezes veio da mãe, da família anterior, e a pessoa nem sabe. Aquilo está ali, fica o registro da informação nas nossas moléculas, nas nossas células. Vianna Stibal, criadora do ThetaHealing, teve câncer e alcançou a cura por meio dessa prática.

DC - ThetaHealing tem a ver com religião?
Katia - Não é uma prática embasada na religião. Trata-se de conectar-se com o aspecto divino que existe em cada um. Esse é o princípio norteador. Muita gente fala hoje em inteligência espiritual e o ThetaHealing ensina a se conectar com essa inteligência. Vianna Stibal diz que pode ser também conhecido como uma oração que conecta com a fonte criadora. Alguns vão chamar de Deus, de Buda, de Jesus. Não importa. O importante é que existe uma fonte, uma consciência maior e cósmica que tudo organiza e da qual fazemos parte. Tem um aspecto que conecta com isso e sem isso não estaríamos fazendo esse trabalho.

DC - Se aprende por meio de curso ou sessões terapêuticas?
Katia - Pode-se aprender por meio de curso ou sessões. Existem tratamentos e vários níveis de questões. Conheço pessoas que começam pelo curso e optam também pelas terapias. Ou pessoas que começam pelas terapias e querem aprender a aplicar.

DC - Como é o curso? Qualquer pessoa pode aprender?
Katia - É indicado para qualquer pessoa que tenha interesse. O curso deste fim de semana é DNA básico, o beabá. Depois tem cursos mais avançados. A partir de dois cursos, é possível ajudar outras pessoas.

Quando você começou a trabalhar com o ThetaHealing?
Katia - Sou psicóloga há 25 anos e comecei a trabalhar com o Theta há quatro. Deu um salto quântico dentro do meu trabalho terapêutico. Eu já tinha muitos pacientes e, quando comecei a atender com essa técnica, muitos se curaram bem rápido. Percebei que para mim seria um dos meus caminhos principais em termos terapêuticos. Sou professora de psicologia também. Então comecei a ensinar o thetahealing.

De que forma o ThetaHealing pode transformar?
Katia - Por meio da consciência. A mudança da sua consciência é muito rápida. Você começa a perceber o quanto emoções negativas, como ressentimentos, remorso, rejeição, medo, principalmente ressentimento — as pessoas se ressentem muito fácil com as coisas — são fatores que fazem adoecer. E naturalmente, por meio da meditação, percebe que não há nada que cure mais do que a própria consciência de amor, de compaixão, altruísmo. Você acessa os conteúdos negativos e inconscientes e começa a querer se curar. Porque vê que, quando se cura, cura todo mundo ao redor. E cura em ressonância: ajuda a família, os filhos, os pais. Se expande em círculo. E é isso que a gente quer, viver numa comunidade mais cooperativa, com mais amor. O que precisa ser feito é uma transformação da consciência. Para transformar o resto das coisas. Não tem outro jeito. 

AGENDE-SE
O quê:
palestra Aprendendo a identificar emoções, bloqueios e crenças negativas, com Katia Larsen
Quando: quinta-feira, dia 8, às 19h
Onde:O Sítio (Rua Francisca Luísa Vieira, 53, Lagoa da Conceição, Florianópolis)
Quanto: gratuito

Leia também
Como treinar o cérebro para ser mais otimista e melhorar a saúde
Terapias complementares ganham espaço no SUS em Santa Catarina


 
 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaJogo-treino entre reservas e time sub-20 marca o início da semana do JEC https://t.co/w4tcsebxAs #LeianoANhá 22 minutosRetweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaCarreta bate em árvore e trânsito fica complicado na Expedicionário Holz, no Centro de Joinville https://t.co/aibwo3hSie #LeianoANhá 3 horas Retweet
A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros