Saavedra: Nova ala da UTI neonatal do Hospital Infantil prevista para o segundo semestre - Geral - A Notícia

Versão mobile

Saúde16/05/2017 | 06h30Atualizada em 16/05/2017 | 06h30

Saavedra: Nova ala da UTI neonatal do Hospital Infantil prevista para o segundo semestre

Confira estas e outras notícias do colunista Jefferson Saavedra

A ampliação dos serviços vai levar a um novo contrato em o governo do Estado e a organização social administradora do Hospital Infantil. A nova ala de UTI neonatal, com 20 leitos (hoje são sete), deve ficar pronta no início do segundo semestre. Logo em seguida, ainda em 2017, estará pronta a ala psiquiátrica

Hoje, o atendimento psiquiátrico conta com quatro leitos, que mal dão conta dos atendimentos determinados pela Justiça. O novo setor terá 14 leitos e atenderá ao Estado. Hoje, o contrato paga R$ 6 milhões mensais à Nossa Senhora das Graças. Os novos serviços, além da atualização, devem elevar o repasse para R$ 8 milhões. 

Leia mais notícias do colunista Jefferson Saavedra

Ameaça no PA
Em ritmo lento, com apenas três pessoas trabalhando na segunda-feira, a reforma do PA Sul (Itaum) ainda depende de entendimento entre Prefeitura de Joinville e o governo do Estado para repasse de R$ 2 milhões. O Badesc ainda não liberou o recurso porque faltam documentos, como a escritura do imóvel onde o PA foi construído. 

Nova fonte?
O governador e o prefeito estão tratando do tema diretamente. Udo teme mais atrasos na obra, o que poderia inviabilizar repasse. O secretário da Saúde, Vicente Caropreso, afirmou ontem em Joinville que busca uma forma de fazer a liberação do repasse, mas não crê mais que a fonte original dos R$ 2 milhões ainda possa ser usada.

Luz do Mirante
A Celesc confirmou a autorização para a fiação subterrânea no Mirante do Boa Vista, providência que vinha sendo estudada antes ainda da inauguração da estrutura. O mirante também vai ganhar nova iluminação. Já a terceira etapa da fiação subterrânea na cidade deve demorar mais um tempo porque o mapeamento das ruas ainda está em andamento. 

Todos por LHS

Foto: Salmo Duarte / A Notícia

Na inauguração da escola Luiz Henrique, no Parque Guarani, nada mais característico do que juntar políticos de diferentes partidos. O governador, o prefeito de Joinville, os três senadores, cinco deputados estaduais e os dois federais com base em Joinville estiveram presente, além de várias outras lideranças, como secretários estaduais e municipais, prefeitos da região. Também teve culto ecumênico.

Lembrança de 2011
Em rara presença em evento do governo do Estado, principalmente depois de sua saída da Secretaria de Estado da Educação, em 2012, Marco Tebaldi lembrou ontem que a contratação do projeto junto ao governo federal da escola inaugurada ontem foi no seu período como secretário, ainda em 2011. A licitação foi o passo seguinte, já na gestão de Eduardo Deschamps.

Prejuízo
A falta de regulamentação de lei federal de 2013 sobre universidades comunitárias levou a Univille a perder R$ 1,2 milhão, a ser usado na recuperação do ginásio de esportes, interditado pela própria universidade. O dinheiro estava previsto em emendas parlamentares. O ministro da Educação ouviu ontem da reitora Sandra Furlan um pedido de regularização.

Licença de saúde
Na próxima sexta, o prefeito de Araquari, Clenilton Pereira, transfere o cargo para o vice Jasper Júnior. Clenilton vai passar ficar 30 dias de licença por causa de cirurgia.

Lamento
O fato de Fernando Krelling não ter sido chamado para a ¿mesa¿ das autoridades na inauguração da escola LHS rendeu críticas dos vereadores ao cerimonial na sessão de ontem.

Pela Câmara
Uma mudança nos cargos da saúde de Joinville, a ser adotada no próximo concurso, terá de passar pelos vereadores. O concurso deve ser realizado no segundo semestre.

Balanço da ADR

Em tom empolgado, a secretária Simone Schramm (ADR) aproveitou a presença de lideranças políticas, como governador, prefeito, senadores e deputados, para fazer balanço da atuação do governo do Estado em Joinville nos últimos anos.

Redução nas perdas

A Águas de Joinville contesta relatório da Amae e aponta redução de 997 mil metros cúbicos em volume de água perdida no ano passado. Para a agência, não teria havido redução nas perdas físicas de água em 2016. A companhia diz ainda que a perda de água por ligação caiu de 637 para 604 litros em um ano.

Renúncia
Em 2006, convicto de que seria o candidato a governador pelo PFL, Raimundo Colombo renunciou à Prefeitura de Lages para ficar apto à disputa. Só que a coisa embolou e tudo passou a indicar que o PFL apoiaria Esperidião Amin. Luiz Henrique viu aí uma oportunidade e ofereceu a vaga ao Senado a Colombo em troca do apoio do PFL. Foi a famosa conversa em Navegantes.

Aviso
Colombo ajudou na costura e foi formada a tríplice aliança, com o PFL no mesmo barco do PMDB. O resto da história, todo mundo sabe. No mês passado, em entrevista, Colombo lembrou ter tido um desgosto em Lages, quando prefeito, sem citar qual o episódio. Na manhã de ontem, em Joinville, houve quem lembrasse que para renunciar a uma Prefeitura, é preciso ter garantia do partido que vai concorrer. Deve ser uma lembrança a alguém em dúvida sobre renunciar a uma prefeitura para disputar em 2018...

Apelos por escola
Lideranças políticas de Garuva, Itapoá e São Francisco do Sul entregaram ontem pedidos ao governador Colombo e ao ministro Mendonça Filho (Educação) de construção de escolas de ensino médio. ¿Sem educação, a pessoa está condenada a não ter emprego ou a ficar com baixa remuneração¿, alegou o prefeito de Itapoá, Marlon Neuber (PR).

Nos balneários
Itapoá tem garantia de receber uma área na entrada da cidade, na SC-416, para abrigar a escola. O pedido de São Francisco é de construção de estabelecimento nas praias. O local escolhido fica em Ubatuba, perto da Transpetro, em área comunitária de loteamento. ¿É onde temos a maior demanda de alunos¿, diz o secretário de Educação, Marcos de Araujo.

Onde está mapeado
Em Garuva, a Prefeitura quer ceder uma área na avenida Celso Ramos. O prefeito Rodrigo David (PMDB) alega que a atual escola não atende toda a demanda da cidade e há necessidade de melhoria na qualificação dos alunos. A Secretaria de Estado da Educação mapeou demandas em Joinville (duas escolas), Itapoá, São Francisco do Sul e Araquari.

Áreas de Joinville
No entanto, o secretário de Educação, Eduardo Deschamps, avisa que os locais para escolas de ensino médio podem ser alterados. Em média, o governo federal demora quatro anos para a liberação os recursos. Neste momento, o programa está fechado. Udo Döhler ofereceu ontem áreas no Paranaguamirim e no Espinheiros para a construção de escolas de ensino médio. A doação precisa passar pela Câmara. 

Casa cheia

Foto: Maykon Lammerhirt / A Notícia

Mais uma vez, uma audiência sobre segurança pública atraiu um bom público em Joinville. Desta vez, o evento da Câmara de Vereadores foi realizado na Paróquia São Paulo Apóstolo, no Comasa. O bairro foi escolhido após latrocínio ocorrido em abril. Os pedidos dos moradores serão levados à Secretaria de Estado da Segurança Pública.

 
 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaConfira dez vagas abertas na área de tecnologia da informação em Joinville https://t.co/NphlLGRY1f #LeianoANhá 48 minutosRetweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaPingo é apresentado no JEC e garante que equipe brigará pelo acesso https://t.co/AnhmTNYZID #LeianoANhá 1 horaRetweet
A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros