Tenente da PM preso pela Polícia Civil ganha liberdade provisória após pagar fiança em Florianópolis - Geral - A Notícia

Versão mobile

IMPASSE15/02/2017 | 16h22Atualizada em 15/02/2017 | 17h54

Tenente da PM preso pela Polícia Civil ganha liberdade provisória após pagar fiança em Florianópolis

Oficial responderá em liberdade pelos crimes de desobediência, desacato, resistência e falsa identidade

Tenente da PM preso pela Polícia Civil ganha liberdade provisória após pagar fiança em Florianópolis Leo Munhoz/Agencia RBS
Tenente Paulo Renato Farias, ao fundo, deixou a sede da Deic e foi levado a Bal. Camboriú ainda na terça-feira Foto: Leo Munhoz / Agencia RBS

A Justiça concedeu na tarde desta quarta-feira liberdade provisória ao tenente da Polícia Militar Paulo Renato Farias. Ele estava detido desde a manhã de terça, quando discutiu com integrantes da Polícia Civil instantes antes de uma entrevista coletiva na sede da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic), em Florianópolis.

A libertação do oficial foi garantida com o pagamento de fiança no valor de R$ 937,00, determinada em uma audiência de custódia na Capital. Apesar de ser permitida a fiança, a juíza Erica Lourenço de Lima Ferreira apontou que a prisão obedeceu as formalidades constitucionais e formalizou o flagrante pelos crimes de desobediência, desacato, resistência e de falsa identidade — policiais civis alegaram que o PM fingiu ser jornalista ao entrar na Deic.

Na audiência também foi determinada a requisição de cópias das gravações das câmeras de segurança de todas as dependências da Deic, registradas entre 7h e 21h da última terça-feira, para auxiliar na apuração do caso. Uma cópia do processo será enviada para a 5ª Vara Criminal da Capital, onde deverá ser apurado se também houve crime militar no episódio. 

Após ser detido na Deic, o tenente da PM passou a noite em um batalhão da corporação em Balneário Camboriú, sob custódia da própria Polícia Militar. Comandante da PM na cidade de São João Batista, o tenente compareceu à paisana na coletiva anunciada pela direção da Deic. Ele estava descontente pelo fato de a PM não ter sido avisada previamente da operação da Polícia Civil em São João Batista, na madrugada de sábado, quando três assaltantes morreram em confronto e dois policiais civis ficaram feridos.

Farias queria se manifestar na entrevista coletiva, mas foi impedido. Em meio à confusão, delegados levaram o oficial até uma sala e o algemaram. Como ele se recusou a assinar um termo circunstanciado, acabou preso em flagrante. 

Na audiência de custódia desta quarta, o tenente confirmou que entrou na sede da Deic sem se identificar como oficial da PM, mas negou que tenha afirmado ser jornalista. O policial militar também negou ter atacado os policiais civis, mas reconheceu que resistiu ao ser algemado.

 
 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaAO VIVO: acompanhe o jogo entre JEC x Chapecoense https://t.co/nCdCQ4s1Uv https://t.co/387gqzvZbJhá 2 horas Retweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaPolícia Civil terá novo comando a partir de março em Joinville https://t.co/NR14H7M7KDhá 1 diaRetweet
A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros