Tem a sensação de que o ano passou voando? Pode ser culpa sua  - Geral - A Notícia

Versão mobile

Viviane Bevilacqua17/10/2016 | 12h57Atualizada em 17/10/2016 | 14h20

Tem a sensação de que o ano passou voando? Pode ser culpa sua 

Especialista diz que assumimos compromissos demais, sem reservar um tempo para o lazer ou o ócio, e nem vemos a vida passar

                        

Meu Deus, já é Natal de novo! Este ano passou voando, comentou a senhora que descia a escada rolante do shopping na minha frente, ao perceber que algumas lojas já começam a enfeitar suas vitrines para a chegada do Papai Noel. Parece que esta é a impressão de todo mundo: o ano está cada vez mais curto, ou, então, somos nós que andamos cada vez mais atarefados e nem percebemos o tempo passar. Como o calendário dos anos é sempre igual (com exceção dos bissextos), a conclusão é de que a vida vem mesmo atropelando nossos dias, mal nos dando tempo de respirar.



Acompanhe as colunas de Viviane Bevilacqua

Mas será que precisa realmente ser assim? Ser escravo do tempo é a única alternativa que temos? Há quem garanta que não, e que muito da culpa desta correria toda é exclusivamente de cada um de nós.  Tathiane Deândhela é mestre em Liderança e especialista em Gestão do Tempo, com cursos na Universidade de Harvard, uma das mais prestigiadas do mundo. Ela diz que entender que somos nós que estamos no controle do tempo e não o inverso é o melhor caminho para fugir desse distúrbio conhecido pelos cientistas como doença da pressa. E que o segredo para levar qualidade às nossas horas, dias, meses e anos está em uma única palavra: organização.

É inegável esta sensação de que, cada vez mais, o tempo parece mais curto, e segundo Tathiane, para muitos ele realmente é. O problema, diz ela, é que as pessoas  assumem compromissos além do que podem e se perdem na conta de quantas horas tem o dia e quantas delas devem, de fato, ser despendidas em atividades obrigatórias como estudo e trabalho. Praticamente sem tempo para o lazer e o ócio, as pessoas acabam se tornando altamente estressadas, ansiosas e cansadas física e emocionalmente. Consequentemente, a produtividade baixa e, claro, a sensação de que lhe faltam horas em seus dias é cada vez maior. 

A coach faz uma pergunta instigante: Você é feliz da forma com que gasta suas horas? Segundo ela, um adulto para ser saudável e, consequentemente, feliz, precisa no mínimo de 7 horas de sono por dia. Para que isto seja possível, é preciso que este indivíduo passe por um processo de desaceleração da rotina, antes do sono, que envolve pelo menos duas horas livres que devem ser gastas em lazer ou mesmo com o ócio, afinal, fazer nada também é bom. Quantas pessoas conseguem fazer isso? O conselho da especialista é de que se faça uma distribuição melhor do tempo durante cada 24 horas. Ele vale muito e só quem poderá definir o quanto é você mesmo. Aos poucos, você perceberá como a qualidade de vida faz diferença neste processo, afirma. Uma boa reflexão para iniciarmos a semana. 

Leia as últimas notícias do Diário Catarinense


 
 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaJovem de 24 anos é morto a tiros na zona Norte de Joinville https://t.co/NVHjEeMLQChá 9 horas Retweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaJoinvilense ganha quase R$ 1 milhão em aposta na Lotofácil https://t.co/m1zlCP6xes https://t.co/exHcidw8sXhá 12 horas Retweet
  •  
A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros