Medicina, Biologia ou Enfermagem? Conheça as diferenças entre alguns dos principais cursos da Saúde - Geral - A Notícia

Vers?o mobile

 
 

Profissão: Saúde15/07/2014 | 05h11

Medicina, Biologia ou Enfermagem? Conheça as diferenças entre alguns dos principais cursos da Saúde

Entender as especificidades de cada graduação pode ajudar a não surtar com o vestibular

Medicina, Biologia ou Enfermagem? Conheça as diferenças entre alguns dos principais cursos da Saúde Betina Humeres/Agencia RBS
Vestibulandos interrogam Waldemar Barbosa, aluno da primeira turma de Medicina da UFSC e primeiro estudante de SC a fazer residência em um hospital Foto: Betina Humeres / Agencia RBS
A saúde lida com vidas, não é ciência para burocratas. Então, se você pensa em cursar Medicina ou Enfermagem fique atento se tem perfil. Na Medicina é preciso encarar anos de estudo puxado, jornadas de trabalho exaustivas, contornar os fantasmas da morte e ainda atender com dignidade muitos pacientes por dia.

Leia outras matérias:
:: UFSC Araranguá abrirá mais 60 vagas em Medicina até 2016
:: Faculdade de Jornalismo exige mais que gosto pela leitura

A recompensa é idealista e financeira. Dificilmente um médico ficará sem emprego e o salário é bem mais alto do que a média. Mas se pensa em trabalhar só por dinheiro, caia fora.

Na Enfermagem o panorama é parecido, mas há menos anos de estudos e menos grana. Há ainda quem se interesse pela área e trabalhe como biólogo, atuando na pesquisa ou combate ofensivo aos microrganismos, as pragas das unidades de tratamento.

Para entender sobre estas profissões, dois estudantes do Sesc pré-vestibular foram conversar com o doutor Waldemar Barbosa, 80 anos, aluno da primeira turma de Medicina da UFSC e primeiro estudante de Santa Catarina a fazer residência num hospital, o Infantil Joana de Gusmão, do qual virou diretor e dedicou 32 anos de vida. Barbosa também foi um dos fundadores do curso de Enfermagem da UFSC, e por anos se dedicou à Biologia, sua paixão desde criança.

Com três cursos superiores - ele também é formado em Agronomia e Odontologia - e muitas histórias para contar, o papo com Juliana Luiz Butzge, 18, e Fellipe da Mota de Abreu, 19, foi longo. No braço da poltrona de Waldemar estava a medalha de honra ao mérito entregue pela Assembleia Legislativa de Santa Catarina, no dia 25 de junho, pela contribuição do médico à pediatria, sua especialização.

Waldemar adora crianças e foi esse gostar que evitou que ele desistisse da profissão, quando iniciou a convivência com crianças muito doentes e não pode evitar perdas.

— Bom profissional tem que gostar de gente, olhar para as pessoas, sentir e principalmente ouvir. Na Medicina tem um estudo que se chama anamnese e significa a conversa do médico com o paciente para entender por onde chega a doença. Hoje muitos médicos nem encaram nos olhos. O que sempre digo é que essas profissões melhoraram muito do ponto de vista técnico, mas do humano piorou.

Juliana quer se formar em Biologia para pesquisar vírus e bactérias. Fellipe quer desbravar a anatomia para entender as potencialidades e fraquezas do corpo humano. Entre tantas, a principal dúvida é como se tornarão bons profissionais. A resposta de Waldemar é simples:

— Quando se trabalha por uma causa maior que o contracheque, ninguém pode te frear.


:: MEDICINA

• DISCIPLINAS
São 12 departamentos no curso, cerca de 40 áreas de conhecimento. É a maior carga horária da universidade. São 7,2 mil horas/aula. O mínimo de aulas por semana é 32 horas. O que significa que os estudantes têm dois turnos letivos por dia. O padrão de estudo são quatro anos teórico-práticos, dois anos de treinamento hospitalar, e de três a cinco anos para aqueles que desejarem se especializar.

• MERCADO DE TRABALHO
"Não existe médico sem emprego", defende o coordenador do curso de Medicina da UFSC.

• OPÇÕES DE ATUAÇÃO
Hospitais, postos de saúde, clínicas, pesquisa, ensino. Há cerca de 60 especialidades na Medicina. Um vasto mercado é na Medicina da Família.

• DO QUE É PRECISO GOSTAR
Fundamental é gostar de estudar, e gostar de gente.

*Fonte: Carlos Eduardo Andrade Pinheiro, coordenador de Medicina UFSC


:: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

• DISCIPLINAS
São quatro anos de curso. As disciplinas são relacionadas com as áreas de Botânica, Zoologia, Ecologia, Bioquímica e Anatomia. No caso do curso de licenciatura, estão incluídas disciplinas na área de formação pedagógica.

• MERCADO DE TRABALHO
Instituições de ensino e pesquisa (públicas e privadas), ministérios governamentais, secretarias, fundações e instituições estaduais e municipais na área de saúde e meio ambiente, empresas e laboratórios (públicos e privados), hospitais, museus, jardins, zoológicos, empresas em áreas relacionadas, rede de ensino fundamental e médio (público e privado), turismo e rede hoteleira.

• OPÇÕES DE ATUAÇÃO
É possível atuar nas áreas de Meio Ambiente e Biodiversidade; Saúde; Biotecnologia e Produção; Educação; Ecoturismo; Educação ambiental.

• DO QUE É PRECISO GOSTAR
Ter interesse pelos organismos vivos, microscópicos e macroscópicos, e por tudo o que lhes constitui e permite a vida, bem como pelo ambiente em que vivem. Ter capacidade de observação acurada. Gostar de resolver problemas com abordagem lógica e criatividade.

* Fonte: Maria Risoleta Marques, coordenadora Ciências Biológicas UFSC


:: ENFERMAGEM

DISCIPLINAS
Inclui matérias das áreas das ciências básicas (anatomia, fisiologia, farmacologia), das ciências humanas (antropologia, psicologia, sociologia) e da enfermagem. São 4.860 horas/aula, que podem ser cumpridas em, no mínimo, quatro anos.

MERCADO DE TRABALHO
É bem variado. É possível trabalhar em serviços públicos e privados de saúde, programas de estratégia de Saúde da Família, policlínicas, clínicas privadas, hospitais, maternidades, centros cirúrgico, empresas, planos de saúde.

OPÇÕES DE ATUAÇÃO
Saúde da Família, nefrologia, cardiologia, clínica cirúrgica, urgência e emergência, pediatria, neonatologia, obstetrícia, clínica médica, auditoria, acupuntura, geronto-geriatria, saúde mental, saúde do trabalhador.

DO QUE É PRECISO GOSTAR
De pessoas, especialmente pessoas com fragilidades.

* Fonte: Soraia Dornelles Schoeller, coordenadora do curso de Enfermagem UFSC.

DIÁRIO CATARINENSE

 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaTrecho da rua João Colin tem interdição parcial para realização de obra em Joinville https://t.co/7lb3DW9emvhá 31 minutosRetweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaTerça-feira continua com predomínio de sol entre nuvens em Joinville https://t.co/1qLNZmQIN3há 31 minutosRetweet
A Notícia
Busca