Dive-SC alerta para prevenção contra gripe A mesmo com temperaturas mais altas - A Notícia

Versão mobile

 

Saúde19/10/2018 | 10h58Atualizada em 19/10/2018 | 11h01

Dive-SC alerta para prevenção contra gripe A mesmo com temperaturas mais altas

Joinville já registrou 29 casos confirmados causados pela influenza

Dive-SC alerta para prevenção contra gripe A mesmo com temperaturas mais altas Germano Rorato/Agencia RBS
Foto: Germano Rorato / Agencia RBS
A Notícia
A Notícia

A Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (Dive-SC) alerta para prevenção contra Influenza mesmo com a chegada das temperaturas mais altas. O diretor do órgão, Eduardo Macário, alerta que a prevenção deve ser mantida durante todo o ano, mesmo com a tendência de diminuição dos casos confirmados no verão.  

Neste ano, a campanha de vacinação contra a influenza atingiu 81% da meta em Joinville. Além da imunização, Macário ressalta a importância da “etiqueta da tosse” para a prevenção do contágio. Como a doença é transmitida de pessoa por pessoa por gotículas respiratórias, como a saliva, a principal ação é cobrir com um pano a boca e o nariz antes de espirrar.  

Além disso, usar álcool em gel frequentemente, manter hábitos saudáveis, alimentação adequada e alta ingestão de líquido e manter ambientes arejados também contribuem com a prevenção da doença. Quanto mais precoce iniciar o tratamento, melhores as chances de tratamento e cura.  

— Se o tratamento for iniciado até 48 horas depois do início dos sintomas, a evolução da doença pode ser melhor. Ela pode até não precisar de internação — explica o diretor. Macário.

Fique atento aos sintomas 

Caso a pessoa apresente um quadro de gripe, como febre alta, tosse, dor de cabeça e garganta ou dificuldades de respirar é preciso procurar uma unidade de saúde mais próxima, mesmo que já seja imunizado com a vacina. O diretor também salienta sobre a importância da vacinação para as pessoas de risco, assim que iniciar a campanha de 2019. 

— Vale lembrar que ano que vem, quando começar a esfriar, é fundamental que as pessoas do grupo de risco se vacinem o quanto antes, para não acontecer o que ocorreu neste ano em que nós não atingimos a meta de vacinação — explica.

Foto: Arte / NSC Jornais

Terceira cidade com mais casos 

Joinville foi a terceira cidade do Estado que mais registrou casos de influenza neste ano. Segundo relatório da Dive-SC publicado nesta quinta-feira (18), o município teve 29 situações confirmadas em 2018 e três mortes. No ranking das cidades que mais registraram casos, fica atrás somente de Florianópolis, que computou 43 ocorrências, e Tubarão, com 30. 

Segundo o diretor da Dive-SC, Eduardo Macário, os principais casos confirmados da doença neste ano em SC acometeram pessoas que pertencem aos grupos de risco, principalmente idosos e pessoas com doenças crônicas, como diabetes, por exemplo. Esses indivíduos são mais vulneráveis a apresentarem casos graves podendo evoluir para a morte.

— Quando as pessoas que têm este tipo de condição clínica contraem uma gripe, o organismo reponde de forma mais negativa e por isso apresentam o quadro mais grave — ressalta Macário.

Casos em SC

Em Santa Catarina foram registrados 443 casos até 17 de outubro deste ano, 46,2% a mais do que o registrado no ano passado inteiro, quando 303 pessoas foram infectadas pelo vírus. Do total de casos deste ano, 55 resultaram em morte.

Das mortes registradas no Estado pelo vírus, 45 ocorreram em pessoas com mais de 40 anos – sendo cinco na faixa etária dos 40 aos 49; 12 entre os 50 a 59 anos e 28 em pessoas com 60 anos ou mais. Assim como destacou o diretor da Dive, ainda há predominância dos vírus H1N1 e H3N2, indicando uma tendência de cocirculação desses dois subtipos de vírus.

Já em outras cidades da região Norte do Estado, a cidade que mais registrou casos foi Jaraguá do Sul, com dez pessoas infectadas, seguida de São Francisco do Sul (cinco casos); Araquari, Balneário Barra do Sul e Barra Velha (dois) e Garuva e Itapoá (com um caso cada).

Confirmada terceira morte por gripe A neste ano em Jaraguá do Sul

Como se prevenir
-
Lavar as mãos com frequência, principalmente após contato com secreções (espirros e tosse), ou após tocar superfícies de uso público, como por exemplo corrimãos de escadas;
- Sempre higienizar as mãos antes da ingestão de alimentos e não compartilhar talheres ou copos;
- Lenço descartável para higiene nasal;
- Cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir;
- Evitar tocar com as mãos olhos, nariz e boca;
- Manter ambientes bem ventilados;
- Evitar contato com pessoas que tenham manifestações de gripe. 

Conheça a "etiqueta da tosse":
- Cubra a boca e o nariz com um lenço quando tossir ou espirrar;
- Coloque o lenço usado no lixo;
- Tussa ou espirre no seu antebraço, não em suas mãos, que são importantes veículos de contaminação;
- Limpe as mãos depois de tossir ou espirrar;
- Lave as mãos com água e sabão e seque-as com papel toalha.  

Tratamento:
A medicação tamiflu é mais eficiente se ministrada em pacientes nas primeiras 48 horas. Sendo assim, fique atento e procure logo uma unidade de saúde se tiver os seguintes sintomas: febre repentina; tosse; dor de garganta; dor de cabeça; dores musculares; dores nas articulações; dores nas costas; falta de ar, cansaço; calafrio.

Leia também: 

46 catarinenses morreram por gripe neste ano

 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaJovem consegue fugir em Balneário Camboriú após suspeita de sequestro em Joinville https://t.co/lSKUOpOdsf #LeianoANhá 10 horas Retweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaJovem é libertada em Balneário Camboriú após suspeita de sequestro em Joinville https://t.co/Dh8D450ixA #LeianoANhá 11 horas Retweet

Veja também

A Notícia
Busca