Hospital Regional suspende angioplastias em Joinville - A Notícia

Versão mobile

 

Saúde10/09/2018 | 07h30Atualizada em 10/09/2018 | 08h35

Hospital Regional suspende angioplastias em Joinville

Procedimentos para desobstruir artérias não estão sendo realizados por falta de materiais

Hospital Regional suspende angioplastias em Joinville Gabriela Florêncio/Jornal A Notícia
Pai de Carla está esperando por cirurgia Foto: Gabriela Florêncio / Jornal A Notícia

Pacientes que aguardam para realizar uma angioplastia no Hospital Regional Hans Dieter Schmidt, no bairro Boa Vista, na zona Leste de Joinville, tiveram o procedimento suspenso. A cirurgia é realizada para desobstruir as artérias bloqueadas por causa do acúmulo de gordura. Há pelo menos dez dias, estes procedimentos não estão sendo realizados na unidade hospitalar por causa da falta de materiais.

O pai da comerciante Carla Josiani Alves Schulze, 39 anos, foi internado no Regional há cerca de dez dias para realizar uma angioplastia emergencial. Ele fez diversos exames, e assim que o médico decidiu pela realização do procedimento, a família foi informada de que não havia material para efetivar a cirurgia.

– O meu pai, Vilmar, precisa fazer uma angioplastia nas duas pernas, porque tem dois coágulos. Mas sem esse material não tem o que fazer – conta a filha.

Vilmar também tem diabetes e hipertensão, o que agrava a situação, e ele já teve hemorragias externas. Com a falta dos materiais, a equipe médica já fez outros procedimentos paliativos nas pernas do paciente, na tentativa de amenizar o quadro, como um desbridamento cirúrgico – que é a remoção de tecido morto presente nos coágulos.

Familiares dizem que apenas cirurgia pode ajudar

Com o passar dos dias, a angústia aumenta entre os familiares de Vilmar. Eles contam que somente a cirurgia poderá solucionar as condições de saúde do senhor. Além disso, os familiares afirmam que, pela demora no procedimento, ele acaba tendo picos de pressão alta ocasionados pela ansiedade e pelo nervosismo. Desta forma, a família teme que essa demora acarrete uma piora no estado de saúde de Vilmar.

A comerciante também disse que questionou os servidores da unidade hospitalar sobre o prazo para receberem os materiais para a cirurgia. Segundo ela, os médicos afirmaram que, inicialmente, havia os materiais em estoque para efetuar as cirurgias dos pacientes. Entretanto, segundo Carla, a falta de pagamento a um fornecedor motivou o recolhimento de todos os itens. Depois disso, a família de Vilmar foi informada de que não havia data para a realização da cirurgia.

Ainda de acordo com Carla, os médicos da unidade relataram que cerca de 30 pacientes estão internados no Regional aguardando os materiais para realizar a angioplastia. Observando que o caso envolvia outros pacientes com quadros graves, a comerciante decidiu formalizar uma denúncia na ouvidoria do Ministério do Público (MP), informando sobre a falta de materiais.

– Eu fiz uma denúncia na ouvidoria do Ministério Público e agora eu estou esperando uma resposta deles, para ver se podem nos ajudar também – complementa Carla.

Pacientes que aguardam para realizar uma angioplastia no Hospital Regional Hans Dieter Schmidt, no bairro Boa Vista, na zona Leste de Joinville. Alessandra Cristiane Kassulke, filha do Sergio.
Alessandra acompanha o pai Sérgio, internado no início deste mêsFoto: Gabriela Florêncio / Jornal A Notícia

Drama também é enfrentado por outras famílias

Assim como a filha de Vilmar, Alessandra Cristiane Kassulke, 32 anos, enfrenta a mesma situação. O pai dela, Sérgio, 58, foi internado às pressas no início deste mês para realizar a angioplastia na região abdominal. O caso dele é urgente porque não há nenhum outro tratamento alternativo para ser realizado, como o de Vilmar. Neste momento, o paciente toma antibióticos para que a infecção em uma ferida no calcanhar não se agrave.

De acordo com a filha, ela veio de Schroeder, no Norte catarinense, para acompanhar Sérgio e repassar informações aos outros familiares. Conforme Alessandra, o pai está bem debilitado por causa do grave estado de saúde, ocasionando feridas nas pernas e uma pele arroxeada. A preocupação dela é, caso não seja realizada a angioplastia logo, ele corra o risco de amputar as pernas ou até de morrer.

– Nós queremos uma resposta. Se não tem condições de fazer o procedimento aqui, que encaminhe para outro hospital. As coisas têm que se resolver, só não deixem o paciente morrer na cama do hospital porque hoje é o meu pai, mas amanhã pode ser outra pessoa – lamenta Alessandra.

O que diz a instituição

A direção do Hospital Hans Dieter Schmidt informou que houve um problema no fluxo de entrega de materiais para a realização de angioplastia, que deve ser normalizada nos próximos dias. Segundo a direção, nenhum paciente permanecerá desassistido e os casos mais graves deverão ser transferidos para outras unidades da rede hospitalar do Estado, a critério médico.

 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaHomem é preso em flagrante por assalto em comércio de Balneário Piçarras https://t.co/5zwz6pYCpG #LeianoANhá 2 horas Retweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaHomem é preso em flagrante por assalto em comércio de Balneário Piçarras https://t.co/bwuTTpeOme #LeianoANhá 2 horas Retweet

Veja também

A Notícia
Busca