Foragido há um ano, condenado por decapitação é preso em Joinville  - A Notícia

Versão mobile

 

Segurança16/09/2018 | 18h31Atualizada em 16/09/2018 | 18h38

Foragido há um ano, condenado por decapitação é preso em Joinville 

O homem de 32 anos foi sentenciado a mais de 43 anos de prisão. Ele estava no bairro Boa Vista quando foi encontrado pela polícia

Foragido há um ano, condenado por decapitação é preso em Joinville  Divulgação/Policia Civil
Valter, o terceiro da direita para a esquerda, estava preso por furto quando fugiu da Penitenciária, em 2017 Foto: Divulgação / Policia Civil

Valter Carlos Mendes, 32 anos, o último condenado pela decapitação do adolescente Israel Melo Junior em 2016 que ainda estava em liberdade, foi preso na tarde desta sexta-feira, 14 de setembro. A prisão ocorreu depois de a polícia realizar uma abordagem a um Sandero no bairro Boa Vista e constatar no sistema que ele era foragido. Com o homem foi encontrada uma pistola calibre .45, além de carregadores e munições. 

Valter, que era conhecido como Tai, havia sido preso em 25 de setembro de 2016, durante a Operação Leviathan, que buscava integrantes de uma facção criminosa em Joinville. Ele foi detido por furto a uma paróquia, crime pelo qual foram encontradas provas em sua casa, como dinheiro e objetos da igreja, além de armas e drogas. Na época da prisão, ele já era suspeito de envolvimento no sequestro e morte do adolescente Juninho em fevereiro de 2016, em um crime que chocou o Estado. 

Em julho de 2018, Valter e Carlos Alexandre de Melo foram condenados em um júri popular. Outros cinco réus já haviam sido julgados e condenados em agosto de 2017.  O julgamento ocorreu separadamente porque a defesa de Carlos havia pedido um exame de sanidade mental — que foi realizado e desconsiderou a possibilidade de insanidade — e a defesa de Valter havia recorrido. No fim, ele recebeu a maior pena entre todos os envolvidos no crime: 43 anos e seis meses de reclusão em regime fechado, e três anos de detenção em regime inicialmente semiaberto. 

Quando foi condenado, Valter já era foragido da justiça. Ele havia fugido da Penitenciária Industrial de Joinville em 3 de setembro de 2017, com outro detento, na hora do recolhimento de lixo.  A condenação de Valter é por sete crimes: sequestro e cárcere privado contra duas pessoas, que foram usadas como isca para atrair Israel; homicídio triplamente qualificado, por motivo torpe; tortura e dissimulação; destruição de cadáver; ocultação de cadáver; vilipêndio a cadáver; e associação criminosa armada.

Relembre o caso

O jovem Israel de Mello Junior, de 16 anos, foi atraído para uma emboscada durante o sequestro de outras duas pessoas. Ele foi mantido em uma casa no bairro Ulysses Guimarães, onde foi torturado. Após a morte de Israel, sua cabeça foi cortada com golpes de machado e deixada em uma mochila no bairro Jardim Paraíso. A sacola foi localizada por moradores no dia 2 de fevereiro do ano passado. Um vídeo, gravado pelos criminosos, circulou nas redes sociais mostrando o crime.

O jovem foi apresentado ao mundo das drogas durante a adolescência, segundo informações reveladas por testemunhas ao AN na época do crime. Os depoimentos revelaram a ausência de perspectiva do adolescente, que se envolveu com o mundo do crime  menos de dois anos antes da morte com requintes de crueldade, em 2016.



 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaHomem cumprindo pena em regime aberto é preso suspeito de roubar loja em Joinville  https://t.co/0AJlTjdZi2 #LeianoANhá 21 horas Retweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaMil litros de lixo são recolhidos durante caminhada em Joinville https://t.co/3O8Xs0fvpk #LeianoANhá 22 horas Retweet

Veja também

A Notícia
Busca