Joinville quer vacinar 28 mil crianças em campanha contra sarampo e poliomielite - A Notícia

Versão mobile

 

Saúde06/08/2018 | 15h57Atualizada em 06/08/2018 | 15h57

Joinville quer vacinar 28 mil crianças em campanha contra sarampo e poliomielite

Mobilização começou nesta segunda-feira e vai até o dia 31 em todas as unidades de saúde

Joinville quer vacinar 28 mil crianças em campanha contra sarampo e poliomielite Salmo Duarte/A Notícia
Foto: Salmo Duarte / A Notícia

A campanha nacional de vacinação contra o sarampo e a poliomielite pretende imunizar 28.747 crianças em Joinville. A mobilização começou nesta segunda-feira e vai até o dia 31 em todas as unidades de saúde do município. O público-alvo são os maiores de um ano e menores de cinco anos de idade que já tenham ou não recebido as doses anteriores.

O atendimento acontece no horário de funcionamento de cada unidade de saúde, de segunda a sexta-feira. Para contemplar também as crianças que não podem ser levadas durante a semana, está marcado um dia D da campanha para 18 de agosto. Será um sábado em que haverá vacinação das 8 às 17 horas.

Segundo a enfermeira do serviço de imunização do município, Sandrine Teuber, a poliomielite e o sarampo são doenças graves, principalmente, para as crianças. Ela explica que os adultos ficam muito doentes também, mas as crianças tem até o risco de morte quando contraem as doenças. Por isso, a campanha é fundamental para garantir a segurança do público-alvo.

— Se a criança já tem as duas doses, os pais devem levar elas novamente para uma dose adicional para garantir a imunização. A doença está de novo batendo na nossa porta — esclarece.

Sandrine conta que durante os últimos dois anos o Brasil permaneceu sem nenhum caso de sarampo, ganhando o certificado de território livre da doença. Em Santa Catarina, o último caso foi em 2013. No entanto, neste ano já são 822 casos confirmados no Brasil, com surtos em Roraima e Amazonas, além de casos isolados em estados como Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro e São Paulo.

De acordo com a enfermeira, a meta de vacinação no ano passado não foi atingida, com menos de 95% do público-alvo imunizado em todo o País. O sarampo se aproveitou dessa baixa cobertura da vacina para se espalhar em alguns ambientes. 

— O sarampo é altamente transmissível. Em um ambiente em que as pessoas não estão imunizadas, a grande maioria delas vai pegar a doença. Então, teremos casos também em Santa Catarina se não fizermos a nossa parte, que é a vacinação — defende.

No caso da outra doença combatida pela campanha, há 29 anos não existe registro de um caso de poliomielite no País. No entanto, houve um caso confirmado em junho na Venezuela e, como tem havido a entrada de imigrantes do país vizinho pelo Norte do Brasil, aumentou a preocupação do Ministério da Saúde.

Além disso, o governo federal fez um alerta de que 312 municípios brasileiros estavam com cobertura vacinal muito baixa contra a doença em julho deste ano. A poliomielite é uma doença grave que pode deixar muitas sequelas nas crianças.

Leia também:

Campanha de vacinação contra sarampo e pólio começa nesta segunda-feira

 JOINVILLE,SC,BRASIL,06-08-2018.Vacinação contra sarampo e poliomielite começou nesta segunda  com campanha em todo Brasil.(Foto:Salmo Duarte/A Notícia)
Foto: Salmo Duarte / A Notícia

SERVIÇO

Campanha nacional

Entre 6 e 31 de agosto ocorre a campanha nacional de vacinação contra a poliomielite e o sarampo, com dia D em 18 de agosto. Toda criança entre um e cinco anos deve ser levada à sala de vacina para receber as doses, independentemente de já ter sido vacinada. Além disso, as doses gratuitas são ofertadas pelo SUS e estão disponíveis o ano inteiro.

PERGUNTAS E RESPOSTAS

- Quando e onde ocorre a campanha? 

Entre 6 e 31 de agosto, com o Dia D agendado para 18 de agosto, em postos de saúde de todo o país. No Estado, 1.102 salas de vacinação participam da campanha. 

- Qual o foco da campanha?

Crianças com idade entre 1 ano e 5 anos incompletos (4 anos, 11 meses e 29 dias). 

- Crianças que já foram vacinadas anteriormente devem ser levadas aos postos? 

Sim. Todas as crianças com idade entre um ano e menores de cinco anos devem comparecer aos postos. Quem estiver com o esquema vacinal incompleto receberá as doses necessárias para atualização e quem estiver com o esquema vacinal completo receberá outro reforço. 

- Há riscos ao tomar doses a mais? 

Não há riscos. 

- Alguma das vacinas têm contraindicação? 

Não, mas crianças com doenças imunossupressoras devem passar por avaliação médica.

- Qual a vacina usada contra a pólio? 

Crianças que nunca foram imunizadas contra a pólio vão receber a Vacina Inativada Poliomielite (VIP), na forma injetável. Crianças que já receberam uma ou mais doses contra a pólio vão receber a Vacina Oral Poliomielite (VOP), na forma de gotinha. 

- Qual a vacina usada contra o sarampo? 

A vacina contra o sarampo usada na campanha é a tríplice viral, que protege também contra a rubéola e a caxumba.

- O que levar?

A caderneta de vacinação. Mas mesmo quem não tiver o documento deve procurar o posto de saúde para imunização. 

- Adultos participam da campanha?

Não. A campanha tem como foco crianças, mas conforme previsto no Calendário Nacional de Vacinação, adultos com até 29 anos que não tiverem completado o esquema na infância devem receber duas doses da tríplice viral e adultos com idade entre 30 e 49 anos devem receber uma dose da tríplice viral. O adulto que não souber sua situação vacinal deve procurar o posto de saúde mais próximo para tomar as doses previstas para sua faixa etária.

 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaJEC/Krona coloca à venda ingressos para duelo decisivo com o Cascavel https://t.co/uXJr2KVjl6 #LeianoANhá 2 horas Retweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaBasquete Joinville perde para o Flamengo por apenas um ponto https://t.co/mXmgOZhu6c #LeianoANhá 3 horas Retweet

Veja também

A Notícia
Busca