Audiência pública discute instituição do Dia das Mães e dos Pais no calendário oficial de Joinville - A Notícia

Versão mobile

 

Política11/07/2018 | 08h00Atualizada em 11/07/2018 | 08h00

Audiência pública discute instituição do Dia das Mães e dos Pais no calendário oficial de Joinville

Projeto, que será debatido nesta quarta-feira na Câmara de Vereadores, tem objetivo de instituir as datas nas unidades educacionais da cidade

Audiência pública discute instituição do Dia das Mães e dos Pais no calendário oficial de Joinville Salmo Duarte/A Notícia
A intenção da audiência pública na Câmara é discutir a proposta com a comunidade antes da votação entre os vereadores Foto: Salmo Duarte / A Notícia

Um projeto protocolado na Câmara de Vereadores de Joinville quer determinar a comemoração do Dia dos Pais e do Dia das Mães nas instituições públicas de ensino municipais. Hoje, a inserção ou não de atividades alusivas a essas datas é facultativa. A iniciativa propõe instituir o Dia das Mães, tradicionalmente celebrado em maio, e o dos pais, em agosto, no calendário oficial do Município e nas unidades educacionais. Essa medida será debatida hoje, às 19h30, em audiência pública,  no Plenário do Legislativo.

A intenção é discutir a proposta amplamente antes da votação da proposta, uma vez que a mesma tende a gerar reflexões divergentes entre parte do legislativo, comunidade escolar e a área da educação infantil.

De acordo com o autor deste Projeto de Lei Ordinária nº 88/2018, o vereador Jaime Evaristo (PSC), a proposição vem em resposta ao questionamento de alguns pais que o procuraram para relatar que as comemorações não estavam mais acontecendo. As escolas e centros de educação infantis (CEIs) optaram por manter as atividades do Dia da Família - comemorado anualmente em 8 de dezembro, no Brasil.

— A finalidade (do projeto) é porque a família, pai e mãe, é uma instituição. Nós ficamos surpresos que isso estava acontecendo e, rapidamente, conversando com outras pessoas que estiveram ao nosso lado naquele momento e nos dando auxílio, encaminhamos um projeto de lei, para que seja instituído no calendário do município de Joinville, as comemorações nas datas do Dia das Mães e do Dia dos Pais — considera o político.

No entanto, conforme o vereador, garantir, por lei, que as duas datas sejam comemoradas na rede pública de ensino é um agregador, tendo em vista que as homenagens relacionadas ao Dia da Família poderão ser mantidas de acordo com a preferência de cada instituição. Ele explica ainda que, por se tratar de família, a questão independe de credo religioso e visa puramente manter a tradição das datas.

— Quanto mais a família estiver próxima da escola, é importante. Não queremos que acabe na memória de uma criança algo que está na cultura e que essa comemoração do Dia das Mães e dos Pais seja excluída totalmente das escolas municipais de Joinville — ressalta o vereador.

 JOINVILLE,SC,BRASIL,10-07-2018.Projeito de lei será discutido na câmara de vereadores entorno das comemorações do dia mães e dos pais nas escolas municipais de Joinville.Patricia Volpato,psicopedagoga.(Foto:Salmo Duarte/A Notícia)Indexador: Maykon Lammerhirt
Especialista considera que Dia da Família é suficiente para reforçar o papel da importância dos responsáveisFoto: Salmo Duarte / A Notícia

Existem diferentes constituições de famílias, explica psicopedagoga

A psicopedagoga e especialista no atendimento de crianças e adolescentes, Patrícia Volpato, tem percepção diferente. Segundo ela, o fato de hoje existirem diferentes constituições familiares como, por exemplo, formadas apenas pela mãe ou o pai, por casais homoafetivos ou ainda por avós, padrinhos ou tios como responsáveis pela criação da criança, o Dia da Família é suficiente. Ela também cita que muitas vezes, quando há perda recente do elo materno ou paterno, as atividades alusivas dessas datas podem acabar expondo a criança as atividades que ela não tem escolha.

— É importante pensar naquele que cuida daquela criança, que dá afeto, que estimula e que protege independente de ser o pai, a mãe, o tio, o avô, o padrinho. Então, se retirar o Dia da Mãe, o Dia do Pai e manter o da Família, não há problema para o desenvolvimento da criança. É algo realmente tradicional, têm mães e pais que acham bacana, outros acham desnecessário, mas pensando na criança e na formação atual das famílias, não há necessidade porque não será isso que vai reforçar o papel de importância (do responsável), mas sim os valores que eles passam em casa — salienta.

No entendimento do vereador que propôs o PL, é importante que haja esse debate de ideias e que a população exerça o livre arbítrio em falar sobre o tema.

— Não podemos levar um projeto desse para aprovação sem ouvirmos a comunidade — conclui Evaristo.

Pais e responsáveis se dividem quanto a obrigatoriedade das comemorações nas escolas

A importância da presença da família na educação é reforçada por aqueles que mantêm crianças e adolescentes na escola. Porém, entre os pais e responsáveis de estudantes ouvidos pela reportagem, o tema também não tem consenso quando o assunto é determinar a comemoração do Dia das Mães e dos Pais em separado do Dia da Família..

Na comunidade da Escola Municipal Anita Garibaldi, uma das instituições públicas municipais que optou por manter no calendário uma única comemoração para a família, por exemplo, parte dos responsáveis pelas crianças concordam com o modelo facultativo, outros defendem a manutenção das homenagens em cada uma das datas.

— Eu como professora aposentada sei o que é uma criança no dia dos pais não ter um pai, uma mãe para apresentar. A estrutura mudou muito, hoje em dia tem muitas crianças que não vivem com os pais, que não os conhecem, tem criança que é criada por dois pais ou duas mães ou pelos avós. Então acho importante o Dia da Família, independente de quem venha — defende Carmendia Vieira da Silva, avó de uma estudante da rede municipal.

Em contrapartida, para a técnica administrativa Rosana Gruber, é importante a manutenção cultural que as datas representam no ambiente escolar.

— Com certeza essas comemorações devem ser mantidas. Isso é padrão e não deve mudar, com o Dia das Mães sempre em maio e, em agosto, o Dia dos Pais. Sempre foi assim e é uma coisa normal, que vem desde os avós, não tem porque mudar — aponta Rosana Gruber, mãe de aluna.

Para Viviane Ochner, as questões de rotina influenciam na participação ou não dos pais ou responsáveis nos dias de comemoração e devem ser levadas em conta.

— Acho que (a comemoração) poderia ser feita no Dia da Família, porque nas comemorações separadas muitos pais trabalham e não são liberados do serviço. Eu trabalho direto e é difícil vir até a escola no Dia das Mães e também no Dia dos Pais — diz.

Já para Gilmar Vicente da Silva, dia de pai e de mãe são todos os dias e o Dia da Família é importante porque agrega a presença dos demais familiares na escola.

— A questão é a família estar na escola, isso é o mais importante, porque dia de pai e mãe é algo mais pessoal e de dentro da sua casa. A escola deve prezar pela família — opina ele, que é pai de uma aluna.

Posição da Prefeitura

A Prefeitura de Joinville foi procurada pela reportagem para comentar a posição do Executivo com relação ao Projeto de Lei. Em nota, a administração informou, por meio da Secretaria de Educação, que, "em relação a eventos relacionados a datas comemorativas em escolas e CEIs, a forma usada para lembrar as datas é de autonomia de cada unidade. Já o evento Dia da Família é realizado em data a ser decidida com a comunidade escolar".

 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaPolícia apreende 288 quilos de maconha em Balneário Piçarras https://t.co/lK7JiiWRe5 #LeianoANhá 2 horas Retweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaMudanças no trânsito da rua Ottokar Doerffel começam neste sábado em Joinville https://t.co/BftrfS3xOY #LeianoANhá 3 horas Retweet

Veja também

A Notícia
Busca