Servidores municipais iniciam greve a partir desta segunda-feira em Joinville - A Notícia

Versão mobile

 

Paralisação15/06/2018 | 12h13Atualizada em 15/06/2018 | 14h37

Servidores municipais iniciam greve a partir desta segunda-feira em Joinville

Decisão foi tomada durante assembleia realizada na manhã desta sexta-feira

Servidores municipais iniciam greve a partir desta segunda-feira em Joinville Salmo Duarte/A Notícia
Foto: Salmo Duarte / A Notícia
A Notícia
A Notícia

Os servidores municipais irão entrar em greve a partir desta segunda-feira em Joinville. A decisão foi tomada durante assembleia realizada na manhã desta sexta-feira. Na pauta do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Joinville e Região (Sinsej), entre outras reivindicações, está o reajuste salarial baseado na inflação e mais 5%, desde a data base que foi em maio. 

Conforme a categoria, cerca de 2.000 trabalhadores participaram da reunião nesta sexta, sendo que aproximadamente 1.700 votaram a favor da paralisação. De acordo com o presidente do Sinsej, Ulrich Beathalter, além da campanha salarial, a paralisação também tem como objetivo "resgatar direitos dos servidores que foram cortados ao longo dos anos". 

— A paralisação será contra a retirada de alguns direitos dos trabalhadores, como a licença-prêmio, o abono no Natal... E, agora, a ameaça da Prefeitura em restringir a hora-atividades dos professores — afirma o presidente. 

Em nota, a Prefeitura de Joinville informou que "lamenta a decisão do Sinsej de decretar a greve. O Município apresentou a proposta de reajuste salarial com base na inflação, de 1,69%, pago em parcela única, além de aumento de 4,7% no Vale-alimentação da categoria. Com isso, o valor deste benefício passa de R$ 296,75 para R$ 310. Além disso, foi dada a gratificação de interiorização aos Agentes Comunitários de Saúde e alteração na tabela salarial do magistério".

A Prefeitura ainda afirmou na nota que irá descontar dos servidores os dias parados por causa da greve e também que "continua aberta ao diálogo e espera que o sindicato reveja a decisão tomada, pois prejudica a população joinvilense".  Por causa da assembleia realizada nesta sexta, segundo a Prefeitura, três unidades básicas de saúde estão fechadas: Canela, Jardim Paraíso IV e Itinga. 

Além disso, segundo o Governo Municipal, foram computadas 1.012 ausências nos locais de ausentes trabalho. A maioria das faltas contabilizadas são na área de Educação (725), seguido de servidores da Saúde (26). 

O Sinsej também prevê a realização, a partir das 14 horas desta sexta-feira, de uma formação sobre os 10 anos do piso do magistério e a aplicação da hora-atividade na categoria, no auditório do Sindicato. 

 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaEntenda o efeito dominó do declínio do Joinville nos últimos anos https://t.co/hWLyLwTIL8 #LeianoANhá 11 horas Retweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaJEC e Fluminense estreiam na Copa SC no dia 16 de setembro https://t.co/ue5pkUsLKa #LeianoANhá 12 horas Retweet

Veja também

A Notícia
Busca