Instituto de Joinville realiza ação contra o abuso e exploração infantil - A Notícia

Vers?o mobile

 

Combate04/05/2018 | 11h14Atualizada em 04/05/2018 | 11h14

Instituto de Joinville realiza ação contra o abuso e exploração infantil

Serão realizadas atividades internas e também palestras em escolas municipais de 14 a 18 de maio

Instituto de Joinville realiza ação contra o abuso e exploração infantil Salmo Duarte/Agencia RBS
Foto: Salmo Duarte / Agencia RBS

O Instituto Priscila Zanette realizará a ação "Mais respeito, sou criança" de 14 a 18 de maio em Joinville. A data da iniciativa tem relação com o dia 18, conhecido como o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Infantil. Serão feitas atividades internas e também palestras em escolas do município.

Durante os dias 14 a 17, a instituição realizará atividades internas, com rodas de conversas entre profissionais da equipe técnica e as crianças e adolescentes,  distribuição do folheto informativo sobre o tema e atividades diferenciadas em todas as oficinas pelos professores.

A ação final será feita no dia 17, às 16 horas, com todos os profissionais e alunos, mobilizando a iniciativa por meio de um minuto de silêncio e uma bela interação com balões no ar em sinal de homenagem as vítimas e também chamando a atenção para o respeito as crianças e adolescentes.

Para uma maior interação com o público de interesse do Instituto Priscila Zanette, será disponibilizado palestras nas escolas municipais: Sylvio Sniecikovski, Rosa Maria Berezoski, Thereza Mazzolli, Hans Dieter; com a participação do Conselho Tutelar e a equipe técnica do IPZ.

A escolha da data, 18 de maio, é em memória do “Caso Araceli”, um crime que chocou o país na época. Araceli Crespo era uma menina de oito anos de idade, que foi violada e assassinada em 18 de maio de 1973. O crime, apesar de hediondo, ainda segue impune.

O Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual Infantil foi instituído oficialmente no país através da Lei n° 9.970, de 17 de maio de 2000.

No Brasil, o Disque 100 é um serviço gratuito disponibilizado pela Secretaria dos Direitos Humanos da Presidência da República que registra denúncias anônimas de jovens que se sintam ameaçados ou que sofreram qualquer tipo de abuso ou exploração sexual.

 
A Notícia
Busca