Começa a campanha de vacinação contra a influenza em Joinville - A Notícia

Vers?o mobile

 
 

Saúde22/04/2018 | 21h00Atualizada em 22/04/2018 | 21h29

Começa a campanha de vacinação contra a influenza em Joinville

Período de imunização vai até o dia 1º de junho, sendo o dia 12 de maio a data da mobilização nacional contra a doença

Começa a campanha de vacinação contra a influenza em Joinville Marco Favero/Agencia RBS
Foto: Marco Favero / Agencia RBS
A Notícia
A Notícia

A Campanha Nacional de Vacinação Contra a Influenza começa nesta segunda-feira me Joinville. A meta neste ano é imunizar aproximadamente 137 mil pessoas do público-alvo. Para isso, 54 unidades de saúde da cidade vão oferecer as doses. De acordo com a Secretaria de Saúde, no ano passado 147.348 pessoas foram vacinadas. Em 2018, a campanha vai até 1º de junho, sendo dia 12 de maio a data da mobilização nacional.

As doses oferecidas em Joinville são trivalentes, assim como no ano passado, protegendo contra três subtipos da influenza, contendo uma cepa A/H1N1, uma cepa A/H3N2 e uma cepa B. Entretanto, neste ano, duas cepas foram atualizadas em função da mutação dos vírus. A SES alerta para a importância da prevenção pela imunização do público-alvo, que envolve crianças de seis meses a menores de cinco anos, gestantes, puérperas, pessoas com mais de 60 anos e trabalhadores da área da saúde (veja abaixo grupo completo).

Algumas pessoas ainda têm resistência na hora de tomar a dose, por receio dos efeitos colaterais da vacina. A imunização contra a influenza é totalmente segura e não pode causar a gripe, porque é composta de vírus inativados, fracionados e purificados.

— A vacina não é fabricada utilizando vírus vivos e, por este motivo, não tem a capacidade de produzir a doença depois da imunização. Vale lembrar que existem vários tipos de gripe e, portanto, a pessoa pode já estar sofrendo com algum deles na hora de tomar a vacina. Mas somente a dose não acarreta a doença — explica Vera Milan, enfermeira da SES.

As reações que podem ser observadas depois de tomar a dose são vermelhidão, endurecimento e dor no local da aplicação. Além disso, com menos frequência, alguns pacientes podem apresentar mal-estar e febre baixa. Ainda que raro, caso ocorram sintomas como febre muito alta, reação exagerada, irritabilidade extrema, sinais de dor abdominal, recusa alimentar e sangue nas fezes, entre outros, é recomendado procurar imediatamente um médico ou serviço de emergência.

A enfermeira ainda alerta que, como a vacina tem traços da proteína do ovo, ela é contraindicada para pessoas que já tenham tido reações anafiláticas ao tomar a vacina ou ao ingerir o alimento. Já casos leves de alergia não são impedidores. Após a imunização, a pessoa passa a estar protegida contra a influenza dentro de um período de duas a três semanas.

Dados da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive-SC) demonstram que foram notificados 116 casos suspeitos de síndrome respiratória aguda (SRAG), de 31 de dezembro de 2017 até 17 de abril no Estado. Destes, 22 foram confirmados para influenza – sendo 11 pelo vírus A subtipo H3N2; nove pelo A subtipo H1N1; e dois pelo B – e 19 casos estão sendo investigados, aguardando confirmação laboratorial.

PÚBLICO-ALVO DA CAMPANHA:
-
Crianças entre 6 meses e 5 anos;
- Funcionários do sistema prisional;
- Gestantes;
- Idosos (pessoas com 60 anos ou mais);
- Mulheres em período pós-parto;
- Professores;
- População privada de liberdade;
- Portadores de doenças crônicas;
- Profissionais da área da saúde.

DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA:
- Crianças: carteira de vacinação;
- Gestantes e mulheres em período pós-parto e idosos: carteira de vacinação ou documento pessoal com foto;
- Professores: folha de pagamento do último mês ou do mês presente ou declaração assinada pelo diretor da instituição de ensino onde a pessoa trabalha e documento pessoal com foto;
- Portadores de doenças crônicas: cartão de vacinação para vacinas especiais ou receita médica que informe o diagnóstico do paciente;
- Profissionais da área da saúde: carteira de identidade profissional ou crachá de onde a pessoa trabalha;
- Funcionários do sistema prisional e população privada de liberdade recebem a vacina em visitas realizadas pela unidade responsável pelo serviço.

UNIDADES QUE PARTICIPARÃO DO DIA D:
- Unidade Básica de Saúde da Família de Pirabeiraba;
- Unidade Básica de Saúde da Família do Jardim Paraíso I/II;
- Unidade Básica de Saúde do Bom Retiro;
- Unidade Básica de Saúde do Vila Nova sede;
- Unidade Básica de Saúde da Família do São Marcos;
- Unidade Básica de Saúde da Família do Morro do Meio;
- Unidade Básica de Saúde do Glória;
- Unidade Básica de Saúde do Costa e Silva;
- Unidade Básica de Saúde Leonardo Schlickmann (Iririú);
- Unidade Básica de Saúde do Comasa;
- Unidade Básica de Saúde do Aventureiro I;
- Unidade Básica de Saúde da Família do Cubatão;
- Unidade Básica de Saúde Bakhita;
- Unidade Básica de Saúde da Família do Itaum;
- Unidade Básica de Saúde da Família do Parque Joinville;
- Unidade Básica de Saúde da Família do Moinho;
- Unidade Básica de Saúde do Saguaçu;
- Unidade Básica de Saúde da Família do Floresta;
- Unidade Básica de Saúde da Família Edla Jordan;
- Unidade Básica de Saúde da Família do Jarivatuba;
- Unidade Básica de Saúde da Família do Paranaguamirim;
- Unidade Básica de Saúde da Família do Fátima;
- Unidade Básica de Saúde da Família do Adhemar Garcia;
- Unidade Básica de Saúde da Família do Itinga Continental;
- Unidade Básica de Saúde da Família do BMW I;
- Unidade Básica de Saúde da Família do Jardim Edilene;
- Centreventos Cau Hansen (ponto alternativo);

Para verificar todos os 54 postos de vacinação, acesse o site da Prefeitura, clicando aqui

 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaIncêndio atinge 24 lanchas na Ilha das Flores, em Porto Alegre https://t.co/re4ry66c3vhá 1 horaRetweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaPróspera vence a primeira, e Barroso segue 100% na Série B do Catarinense 2019  https://t.co/2rc6uYmcS0há 1 horaRetweet

Veja também

A Notícia
Busca