Atraso em obras contribui para aumento de insegurança na praça Dario Salles em Joinville - A Notícia

Versão mobile

 

Infraestrutura02/04/2018 | 15h00Atualizada em 02/04/2018 | 15h00

Atraso em obras contribui para aumento de insegurança na praça Dario Salles em Joinville

Espaço foi fechado para obras de drenagem do rio Mathias. Previsão de reabertura era junho de 2015

Atraso em obras contribui para aumento de insegurança na praça Dario Salles em Joinville Salmo Duarte/A Notícia
Parte dos tapumes foi retirada no final do mês passado Foto: Salmo Duarte / A Notícia

O atraso nas obras de drenagem do rio Mathias contribuiu para o aumento dos problemas de insegurança na região da praça Dario Salles, no Centro de Joinville. O local foi fechado para a instalação de um canteiro de obras em junho de 2014, com previsão de reabertura para o ano seguinte. Quase três anos depois do prazo, o espaço virou ponto para consumo e tráfico de drogas, pernoite de andarilhos e prostituição.

Sandra Regina Ribeiro, 44 anos, trabalha há mais de uma década em frente a praça e já foi vítima das pessoas que ocuparam o local. Segundo ela, foram quatro arrombamentos ao comércio apenas em outubro do ano passado. Foram levados produtos, comida, bicicleta e outros objetos.

O funcionamento do comércio também foi afetado pela intervenção na praça, que recebia anualmente enfeites de Natal e era frequentada por famílias no final do ano. Sandra conta que mantinha o negócio em funcionamento até cerca de 1 hora da madrugada antes das obras começarem. No entanto, nos últimos três anos conseguiu deixar aberto, no máximo, até às 20 horas.

— Antes as pessoas vinham para ver a decoração e agora o pessoal não aparece mais. Eu tenho falado que isso aqui ia virar uma cracolândia — afirma.

A comerciante conta já ter visto brigas, mulheres se prostituírem e até mães com crianças vendendo drogas na área fechada por tapumes. Além disso, ela diz que os proprietários de lojas em torno da Dario Salles também sofrem com a intimidação causado pelos usuários de drogas e andarilhos.

No final do mês passado, a Prefeitura retirou parte dos tapumes e reduziu o espaço de canteiro de obras, mas manteve a restrição de acesso aos pedestres. A justificativa foi a presença de usuários de drogas no local, identificada após rondas realizadas pela Guarda Municipal. Sandra admite ter visto uma mudança, mas teme que o problema apenas se transfira para a parte restante ou outro local da cidade.

— Não sei nem porque eles não estão ali na parte onde ainda ficaram os tapumes. Acho que talvez é por causa da chuva. Nós estamos esperando uma solução e não adianta tirar daqui e levar eles para outro lado. Tem que dar um banho, comida e um trabalho para essas pessoas — defende.

O comerciante Vladimir Brito, 47 anos, também trabalha em frente a praça e notou o aumento da insegurança nos últimos anos na região. Ele acredita que havia cerca de 30 pessoas que circulavam diariamente dentro da praça, mas nenhum era contratado da obra. Eles abordavam o proprietário do estabelecimento para pedir comida e Vladimir até chegou a fazer doação, mas descobriu em seguida que os alimentos eram trocados por drogas dentro do espaço cercado por tapumes.

Para ele, a situação tem que ser controlada impedindo que traficantes entreguem drogas no local e assim fazendo com que os usuários se dispersem da praça. Vladimir também tem receio de que eles voltem a ocupar a parte ainda restante do canteiros de obras.

— Eles vão acabar achando um jeito de entrar no que ficou. Se fecharem mais e não deixarem espaço para entrarem talvez resolva o problema — sugere.

 JOINVILLE,SC,BRASIL,28-03-2018.Falta de Segurança no Centro.Locais com tapumes estão sendo usados para se usar drogas no centro da cidade,foto da praça Dário Sales.(Foto:Salmo Duarte/A Notícia)
Foto: Salmo Duarte / A Notícia

Revitalização da praça fica para 2019

A reportagem solicitou à Prefeitura um representante que pudesse falar sobre os motivos que atrasaram as obras de drenagem do rio Mathias. O município optou em se pronunciar por meio de nota, em que informou apenas que os cronogramas foram alterados e a previsão de finalização é dezembro deste ano. Também informou que parte da área da praça permanece isolada para o canteiro das obras porque os trabalhos ainda não foram finalizados. Apenas depois do término do uso do espaço é que a praça passará por uma revitalização completa.

O município afirmou que o local servia de "esconderijo" para pessoas consumirem drogas e a retirada dos tapumes foi feito a partir de denúncias que chegaram à Guarda Municipal. A principal irregularidade apresentada foi o consumo de drogas no local. As pessoas que perceberem ações ilícitas na área da praça podem acionar a guarda pelo telefone 153.

A Prefeitura também informou que acompanha os moradores de rua da cidade e sempre presta auxílio dentro da política social voltado a esse público, que está centralizada no Centro Pop. A proposta é encaminhar essas pessoas para a saída da situação de rua e orientá-las para o retorno ao convívio familiar e independência financeira. Também são feitos encaminhamentos para a busca de emprego ou tratamento para a dependência, conforme a necessidade.

 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaPRF flagra carro a 190 km/h na BR-101, em Joinville https://t.co/Xme6Nw4DOD #LeianoANhá 46 minutosRetweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaConfira áudio com as propostas dos candidatos ao governo de SC para Joinville e região https://t.co/dKdUy7lj8v #LeianoANhá 16 horas Retweet

Veja também

A Notícia
Busca