Gerências de saúde pedem que população comunique morte de macacos no Norte de SC - A Notícia

Versão mobile

 

Monitoramento27/03/2018 | 11h01Atualizada em 27/03/2018 | 11h01

Gerências de saúde pedem que população comunique morte de macacos no Norte de SC

É uma forma de monitorar e investigar a possibilidade da febre amarela chegar ao Estado

Gerências de saúde pedem que população comunique morte de macacos no Norte de SC Salmo Duarte/A Notícia
Foto: Salmo Duarte / A Notícia

As gerências regionais de saúde de Joinville e Jaraguá do Sul realizam nesta quarta-feira um encontro para sensibilizar os órgãos ambientais na atenção à morte de macacos na região. A reunião vai contar com órgãos ambientais e vigilâncias epidemiológicas dos municípios do Norte de SC para estabelecer o fluxo de notificação, manejo e coleta de macacos. É uma maneira de monitorar e investigar a possibilidade da febre amarela chegar ao Estado.

Como a doença está evidente no Brasil, as gerências querem alertar a população e os órgãos ambientais para caso ela possa chegar ao Sul do País. Segundo a bióloga Ana Flávia Oenning, da 22ª Gerência de Saúde, os macacos são como uma "sentinela" nesse caso. Quando o animal morre pode ser um alerta do vírus da febre amarela estar circulando na região.

— Como o macaco tem a genética muito parecida com a nossa, eles também adoecem de febre amarela. Eles não transmitem, mas ficam doentes como nós — explica.

Até agora, há ocorrência de três mortes de macacos no Norte e Nordeste de Santa Catarina, mas nenhuma em razão da doença. A bióloga alerta para qualquer pessoa avisar a vigilância epidemiológica do município caso encontre um macaco morto. A orientação é de que a população não mexa no animal e nem o remova para que a equipe de profissionais possa coletar as vísceras de 8 a 24 horas após a morte.

O material coletado é enviado para análise no Laboratório Central de Saúde Pública de Santa Catarina, que encaminha para outro em São Paulo. Isso possibilita a análise das amostras para determinar as causas da morte, confirmando ou descartando a presença do vírus da febre amarela.

Atualmente, Santa Catarina possui 33 pessoas notificadas com a doença. Desses, 27 foram descartados, cinco estão em investigação e um caso foi confirmado, sendo este contraído em outro Estado.

 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaPRF flagra carro a 190 km/h na BR-101, em Joinville https://t.co/Xme6Nw4DOD #LeianoANhá 46 minutosRetweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaConfira áudio com as propostas dos candidatos ao governo de SC para Joinville e região https://t.co/dKdUy7lj8v #LeianoANhá 16 horas Retweet

Veja também

A Notícia
Busca