Famílias atingidas pela enchente de janeiro, em Joinville, ainda aguardam liberação de FGTS - A Notícia

Versão mobile

 

Comunidade13/03/2018 | 11h23Atualizada em 13/03/2018 | 11h23

Famílias atingidas pela enchente de janeiro, em Joinville, ainda aguardam liberação de FGTS

Processos para autorizar movimento do Fundo de Garantia para cobrir prejuízos com alagamentos se iniciam no fim do mês de março

Famílias atingidas pela enchente de janeiro, em Joinville, ainda aguardam liberação de FGTS Salmo Duarte/A Notícia
Foto: Salmo Duarte / A Notícia

Nas calçadas da Rua Honório Benevenutti, no bairro Vila Nova, ainda é possível encontrar móveis estragados pelos alagamentos que ocorreram em Joinville entre 16 e 18 de janeiro deste ano. Nesta data choveu, em cerca de 24 horas, 203 milímetros, o equivalente a um mês de precipitação na cidade. 

A água demorou para escoar e um dos acessos ao bairro, um dos mais afetados na cidade, chegou a ser interditado. Foi para a Rua Honório Benevenutti que a auxiliar de limpeza Gisele de Andrade, 38 anos, se mudou depois que a casa em que ela vivia com a filha adolescente e o filho de 5 anos ficou alagada, na Rua dos Suíços, perto das plantações de arroz da região.

- Não tinha muita escolha. Aqui nunca tinha enchido, nem na casa em que eu morava antes. Agora é contar com a sorte para não acontecer de novo - conta ela.

O mau cheiro causado pelo esgoto motivou a mudança, e eles partiram com poucas coisas para a nova casa. Dois meses depois dos alagamentos, eles ainda dormem em colchões doados, colocados diretamente no chão e esperam a chance de ter novamente uma geladeira e um sofá. 

São bens básicos, como aqueles que podem ser vistos, estragados pela água, à espera de recolhimento na rua em que moram. Eles só poderão ser adquiridos quando houver a liberação para que os trabalhadores que tiveram as casas atingidas possam movimentar a conta do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS).

imagem de drone do Vila Nova
Foto: Rodrigo Emanuel Philipps / Divulgação

Valor máximo por conta será de R$ 6.220

A Caixa Econômica Federal anunciou que isso ocorrerá no próximo dia 26. A prefeitura de Joinville havia decretado situação de emergência em 29 de janeiro e o governo federal a reconheceu em 8 de fevereiro. A administração pública estimou um prejuízo público em R$ 2,3 milhões, em 21.404 unidades habitacionais. 

Esta semana deve ser divulgado como ocorrerá o procedimento para solicitação da liberação do FGTS, mas o atendimento será na Sala Alfredo Salfer, no Centreventos Cau Hansen, de 26 de março a 27 de abril, das 8h às 14h. O valor máximo liberado para cada conta será de R$ 6.220, se o solicitante tiver este saldo.

 JOINVILLE,SC,BRASIL,08-03-2018.Moradores do bairro Vila Nova que tiveram suas casas tomadas pelas águas do mês de Janeiro ainda esperam pela liberação do FGTS.Gisele de Andrade.(Foto:Salmo Duarte/A Notícia)
Foto: Salmo Duarte / A Notícia

Obras para evitar inundações não têm data para começar

A lavradora Jailde Carlos dos Santos, 37 anos, é natural do Sergipe e se mudou para Joinville há dois anos. Ela lembra que, na noite de 16 de janeiro, acordou e encontrou parte da casa cheia de água. Ao tentar salvar os móveis, andava com água na altura dos joelhos e viu os vizinhos da frente serem resgatados pelo Corpo de Bombeiros para saírem de casa.

Jailde perdeu sofá, fogão e armários, e até a semana passada vivia na mesma casa com doações da proprietária do imóvel alugado. Seus bens continuavam na frente da casa, também esperando recolhimento. Nesta semana, mudou-se para outro endereço e terá que aguardar até o fim do mês para solicitar o FGTS. 

Enquanto isso, assim como Gisele, torce para que o episódio não aconteça novamente. Elas, e muitos dos moradores de Joinville, acreditaram em um boato sobre abertura de comportas na região, já que a força do fluxo de água impressionava.

- Começou a subir com muita rapidez. Eu pensava que este tipo de coisa só acontecia em filme - conta Jailde.

 JOINVILLE,SC,BRASIL,08-03-2018.Moradores do bairro Vila Nova que tiveram suas casas tomadas pelas águas do mês de Janeiro ainda esperam pela liberação do FGTS.Gisele de Andrade.(Foto:Salmo Duarte/A Notícia)
Foto: Salmo Duarte / A Notícia

A prefeitura de Joinville apresentou um Plano Detalhado de Resposta (PDR), por meio do Sistema Integrado de Informações sobre Desastres (S2ID), para ter acesso a recursos emergenciais, e ainda aguarda respostas. Se disponibilizados, os investimentos serão usados para obras nos sistemas de micro e macrodrenagem, recuperação de pontes, pavimentação, muros de arrimos e a desobstrução de rios e canais.

Em agosto do ano passado, a prefeitura assinou um contrato de financiamento de US$ 70 milhões com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), parte do Projeto Viva Cidade 2 - Revitalização Ambiental e Urbana. O valor será usado para obras na zona Sul e no bairro Vila Nova. A abertura do edital de licitação para produção do projeto ainda não tem data para ocorrer.

 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaRedução de espaços na Arena em jogos do JEC começa neste sábado https://t.co/sC4VYCahjC #LeianoANhá 7 minutosRetweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaJEC/Krona terá quatro desfalques na última rodada da Liga Nacional https://t.co/OpWZsa6p0a #LeianoANhá 2 horas Retweet

Veja também

A Notícia
Busca